Categories:

Para-brisa trincado gera multa?

Esse pode parecer um assunto simples, até porque, qualquer motorista está sujeito a ter o para-brisa danificado em algum momento. No entanto, o que muitos não sabem é que trafegar com o vidro trincado pode ser considerado infração, a depender da gravidade.

O que diz a lei sobre para-brisa trincado?

A resolução 216 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina as condições em que um veículo pode circular com o para-brisa trincado, e quando torna-se proibido, sendo necessário o reparo – caso haja possibilidade de conserto – evitando a multa.

A primeira coisa importante é que a Lei indica que podem haver apenas dois danos em um parabrisa. Independente do tamanho ou da localização, três danos já são considerados infração.

A trinca não pode jamais ultrapassar 10 cm de comprimento e se for circular, o limite é 4 cm de diâmetro. Além disso, o dano não pode estar dentro da área crítica de visão do motorista, nem a menos de 2,5 cm das bordas.

Trincas dentro da área crítica de visão, podem ser bastante perigosas por serem capazes de distorcer a noção de espaço e distância enquanto o motorista conduz seu carro. No caso da distância das bordas, os riscos estão ligados a proximidade da trinca com a junção do para-brisa com as colunas laterais do carro. Um dano nessa região, pode reduzir a capacidade de fixação da peça.

Portanto, nem sempre uma trinca pode gerar multa, mas é essencial que o reparo seja feito o mais rápido possível, ainda que não esteja dentro das condições que citamos acima. É preciso considerar que o atrito do vento no para-brisa pode aumentar o dano com o passar do tempo. Além de trazer riscos para você e para os outros, quando menos esperar, a trinca cresce e você poderá levar multa, em caso de uma abordagem.

A infração prevista é grave, com multa de R$ 195,23 e mais 5 pontos incluídos na carteira de habilitação. Como medida administrativa, o carro poderá ser retido, dependendo do estado do dano. Caso haja condições de seguir trafegando, o agente de trânsito poderá lhe entregar um documento que define o prazo máximo para o reparo.

Quais são os riscos para o motorista?

Conduzir com o para-brisa trincado pode ser mais perigoso do que você imagina. É preciso entender que qualquer tipo de dano é capaz de tirar a integridade da peça. Nesse caso, o para-brisa já não é capaz de entregar 100% de suas características.

Em uma estrada, com o carro em alta velocidade, por exemplo, a pressão do vento pode aumentar a trinca ou até mesmo quebrá-lo por completo. Além disso, a luz refletida em uma trinca pode atrapalhar o motorista.

Imagine também a possibilidade de um acidente. A depender da gravidade, um para-brisa sem dano pode ser capaz de segurar o impacto sem estilhaçar.

O que pode trincar o para-brisa?

Segundo o Contran, fragmentos e pedaços do asfalto que se soltam da via são os maiores causadores de danos em para-brisas. Ainda que o vidro utilizado seja reforçado, é muito comum que pedras de pavimento sejam lançadas por outros veículos.

Por conta de um carro em alta velocidade vir de encontro a um desses fragmentos, as velocidades são somadas e o risco é certo, independente da gravidade.

O órgão ainda ressalta que em segundo lugar estão latas e garrafas jogadas de carros em movimento, ou simplesmente deixadas ao lado das estradas.

Reparo do para-brisa trincado do carro

Em primeiro lugar, existem casos onde a trinca atinge determinado nível de profundidade, o que o impede de ser reparado. Nesse caso, a única solução é a substituição.

Nas situações onde existe possibilidade de conserto, tudo vai depender da trinca. A técnica mais utilizada é a aplicação de resina sob pressão no centro da rachadura. A resina se espalha por toda a extensão do dano, tapando-o.

Conclusão

Como dissemos no início deste artigo, esse é um assunto que podemos achar simples, mas a falta de informação coloca pessoas em risco todos os dias. Fora o prejuízo financeiro, é importante garantir a sua segurança e a das pessoas ao seu redor.

Fique atento a possíveis trincas e rachaduras, principalmente quando for viajar. Isso pode lhe  poupar surpresas desagradáveis.

Agora que você já sabe sobre essa infração grave em específico, que tal conhecer um pouco mais sobre os tipos e as principais multas de trânsito?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *