gasolina aditivada
Categories:

Os benefícios da gasolina aditivada feita por você

Você sabe qual é a diferença da gasolina aditivada para a comum, amigo motorista? A Zapay preparou este artigo sobre o tema para lhe mostrar qual vale a pena, gasolina comum ou aditivada

Descubra se gasolina aditivada rende mais, fique por dentro sobre como fugir de armadilhas em postos de combustível, quais são as mudanças que o veículo pode apresentar com a gasolina aditivada o tanque, dentre outras dicas!

– Descubra por que adicionar é a melhor opção 

– Fuja das armadilhas dos postos de combustível 

– Adicione aditivos à sua gasolina e sinta a diferença 

– Controle a qualidade do seu combustível 

– Economize e proteja seu motor

Dica da Zapay: a calculadora de gasolina é um instrumento de grande ajuda aos motoristas que querem economizar e usar a quantidade adequada de combustível para uma viagem. Conheça mais sobre suas vantagens neste conteúdo. 

Descubra por que adicionar é a melhor opção 

É válido que o amigo motorista tenha em mente que a aditivação de gasolina em muito auxilia para evitar a formação de depósitos carboníferos na câmara de combustão do veículo, por conta do alto teor de carbono da gasolina. Desse modo, na teoria, a gasolina aditivada é a melhor opção.

Porém, é preciso ter confiança no produto e, se o condutor não acreditar na qualidade da gasolina aditivada do posto (ou tiver evidências de que se trata de uma opção ruim), é preciso colocar a mão na massa: o próprio motorista pode aditivar o combustível com o frasquinho que se encontra no posto, na concessionária ou ainda em lojas de peças.

Uma observação importante: a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Brasil (ANP) fiscaliza a gasolina, contudo não confere se este combustível, de fato, tem aditivos. Ainda: a agência também não avalia se a aditivação é de qualidade.

Diante de tal contexto, vale dizer que deixar a gasolina comum no tanque sem aditivar pode não ser a melhor opção, por conta dos depósitos carboníferos, que se formarão na cabeça do pistão e, consequentemente, trarão problemas na combustão.

Dica da Zapay: você sabe qual é o melhor motor? Vem que a gente lhe explica! 

Fuja das armadilhas dos postos de combustível 

Como já mencionamos no tópico acima, a ANP não realiza a fiscalização da gasolina aditivada dos postos e das distribuidoras – contudo, a agência fiscaliza a gasolina. Este tipo de procedimento abre espaço para que a distribuidora coloque no caminhão, repleto de gasolina, a quantidade de aditivo que ela quiser.

Você pode estar se perguntando: mas como assim? É simples, caso a distribuidora deseje colocar um litro de aditivo para 10 mil litros de gasolina, ela pode fazer isso e chamar a gasolina de aditivada. Contudo, é impossível garantir que a aditivação tenha sido feita de forma correta ou não.

Ou seja, não há quem fiscalize a gasolina aditivada. Existe mais um agravante: o aditivo pode mudar de uma distribuidora para outra, sem a necessidade oficial de seguir um padrão. Desse modo, há empresas que usam aditivos de boa qualidade, que apresente eficiência, com detergente e dispersante. Já outras utilizam aditivos mais baratos e de pior qualidade. Fato é: o consumidor nunca consegue saber qual é a de boa qualidade e qual é a de má qualidade.

Diante deste impasse, a recomendação é não utilizar a gasolina que já aditivada do posto de combustível. Por isso que é indicado abastecer com gasolina comum e o próprio condutor aditivar este combustível, afinal é uma forma de saber qual é a quantidade certa e a qualidade dos produtos da mistura.

Quer conhecer as nossas dicas para economizar gasolina no dia a dia, amigo motorista? Então, confira esse conteúdo.

Adicione aditivos à sua gasolina e sinta a diferença 

Quando o amigo motorista adiciona aditivos à gasolina de seu carro, há alguns efeitos que podem ocorrer, a depender do tipo de aditivo selecionado, bem como das condições específicas do motor e do veículo em questão. Fato é: o desempenho do automóvel muda.

Conforme já destacamos neste artigo, o desempenho do motor apresenta melhora quando o condutor adiciona aditivos à gasolina comum. E não é por acaso, afinal, alguns aditivos são formulados para melhorar o desempenho do motor, de modo a promover uma queima mais eficiente do combustível e, consequentemente, aumentar a potência. Esta ação pode resultar em aceleração mais suave, que é a resposta mais rápida do acelerador, além de maior velocidade máxima.

Outro ponto positivo é que os aditivos atuam na limpeza, pois ajudam a remover depósitos de carbono e outros resíduos que se acumulam no sistema de combustível, ao longo do tempo. Esta ação de limpeza melhora a eficiência do motor, reduz emissão de poluentes e proporciona uma condução mais suave.

Ao se adicionar aditivos à gasolina ocorre ainda a redução de detonação e pré-ignição. Isso acontece, pois, existem aditivos que apresentam agentes antidetonantes, que ajudam a prevenir a detonação do combustível, devido à compressão excessiva ou ao calor intenso. 

Esta característica por de importante, sobretudo, em motores de alto desempenho ou ainda em situações de carga elevada, de modo a evitar potenciais danos ao motor do veículo.

O aditivo ajuda ainda na proteção contra corrosão, pois apresenta propriedades anticorrosivas, que auxiliam na proteção dos componentes do sistema de combustível contra danos causados pela umidade e pela formação de óxidos. Esta vantagem é, principalmente, importante aos veículos que permanecem estacionados por longos períodos ou em áreas com condições climáticas adversas.

Mais um ponto positivo que o amigo motorista irá notar é que o aditivo ajuda a melhorar a economia de combustível, sendo considerados grandes auxiliares para este ponto. Embora os resultados possam variar, tais produtos podem otimizar a queima do combustível e reduzir o consumo, trazendo como resultado maior autonomia por tanque.

Vale a pena ressaltar que nem todos os aditivos possuem benefícios comprovados ou são necessários para todos os veículos automotores – fique ligado neste ponto! 

Assim posto, antes de utilizar qualquer aditivo, é recomendável que o motorista leia as instruções do fabricante e siga as recomendações do manual do proprietário do veículo. Sempre que houver qualquer dúvida, não hesite em consultar o mecânico de sua confiança, pois ele poderá lhe orientar com questões técnicas.

Controle a qualidade do seu combustível 

Você já percebeu que a qualidade do combustível é fundamental para garantir o bom funcionamento do motor e do veículo, não é mesmo, amigo condutor?! Mas você pode estar se perguntando: como fazer este controle da qualidade do combustível? É justamente sobre este tema que o presente tópico abordará.

É importante frisar que este é um cuidado essencial, sobretudo, em tempos de crise socioeconômica, com combustíveis mais caros – o que impacta diretamente no bolso do proprietário do veículo. E todos querem o mesmo objetivo: reduzir gastos e aproveitar o melhor desempenho do automóvel.

Um dos cuidados que todo condutor deve ter é escolher um posto de gasolina confiável para realizar o abastecimento. Afinal, estabelecimentos bem avaliados pelos consumidores costumam oferecer produtos de qualidade. 

Outro cuidado é avaliar o tipo de combustível comprado, pois é imprescindível que seja a opção (entre gasolina, etanol e diesel) correta para o seu carro. Para não errar, o amigo motorista pode consultar o manual do proprietário do veículo, onde constam as informações técnicas do automóvel. 

Se tiver a oportunidade de observar o combustível na bomba e no tanque do carro, será possível avaliar a qualidade visualmente. Caso o condutor encontrar sinais de impurezas, é sinal de que talvez o combustível não seja o de melhor qualidade. Outro ponto que vale a pena se atentar é quanto ao odor, que costuma ser bastante característico. Se o cheiro estiver estranho ou demasiadamente forte, este pode ser um sinal de contaminação.

O controle de qualidade do combustível passa ainda pelo desempenho do automóvel. Caso o condutor perceba perda de potência, funcionamento irregular do motor ou ainda dificuldade em ligar o veículo, tais sinais podem evidenciar que o combustível tem qualidade duvidosa.

Monitorar o consumo do combustível do veículo é mais um indicativo de problemas na qualidade deste fluido. Se seu carro ou sua motocicleta apresentar aumento expressivo no consumo, sem um motivo aparente, é possível que a qualidade do combustível esteja fora dos padrões recomendados. Novamente, evite abastecer em postos desconhecidos, sem procedência ou com preços exageradamente fora da média.

Caso o amigo condutor perceba que um posto vendeu combustível cuja qualidade está fora do padrão, é possível reportar o caso às autoridades competentes, como a ANP, para que o problema possa ser investigado e resolvido.

Economize e proteja seu motor

Economizar e proteger o motor do veículo são ações importantes para garantir um bom desempenho e aumentar a vida útil do carro – e isso também inclui o uso de combustíveis de qualidade. 

Além disso, para tal, é essencial garantir a manutenção regular, conforme as recomendações do fabricante quanto à periodicidade. Desse modo, realizar trocas de óleo, velas de ignição e filtros (combustível, óleo e ar), segundo as indicações do manual, são cuidados que podem garantir o bom funcionamento do automóvel.  

Ainda: fazer uso do tipo de óleo correto e atentar-se às especificações deste fluido, segundo recomendação do fabricante, faz parte dos cuidados para economizar a proteger o motor. Vale destacar que o uso do óleo lubrificante adequado auxilia na redução de desgaste das peças internas do motor, de modo a mantê-lo protegido. 

Outro ponto importante é a troca de óleo feita regularmente. E não é por acaso: este cuidado ajuda a evitar o acúmulo de sujeira e resíduos que podem prejudicar o desempenho e a durabilidade do motor. 

Atente-se para não acelerar ou forçar o motor do veículo imediatamente após liga-lo. A recomendação é aguardar alguns minutos para que o motor possa aquecer antes de sair. Este cuidado permite que o óleo lubrificante se espalhe por todas as partes do motor, de modo a reduzir o desgaste causado pelo atrito. 

As acelerações bruscas também podem trazer problemas, pois elas colocam uma carga extra no motor. A recomendação é o motorista acelerar de forma gradual e suave, de modo a permitir que o motor atinja a temperatura e a pressão ideais antes de exigir seu máximo desempenho.

É sempre importante frisar que todo condutor deve evitar legar cargas além da capacidade do veículo. Afinal, o excesso de peso coloca uma pressão estra no motor, fato que pode levar a um desgaste prematuro das peças. Ainda: rotações elevadas por muito tempo também podem trazer problemas, como desgaste das peças internas do moto. 

O sistema de arrefecimento também precisa ser lembrado – e deve estar em bom estado. Por isso, é importante verificar regulamente o nível e a condição do líquido de arrefecimento. Na observação, atente-se ainda para saber se há vazamentos e para que o radiador esteja limpo e funcionando adequadamente. Tais cuidados evitarão que o motor tenha problemas graves ou mesmo seja fundido. 

Saiba quais são os principais tipos de combustíveis disponíveis no mercado

  • Gasolina comum – é um dos tipos mais conhecidos entre os condutores. É oficialmente conhecida como Tipo C e apresenta enxofre na composição. 
  • Gasolina aditivada – é também do Tipo C, mas conta com adição de agentes detergentes em sua composição, que impedem o acúmulo de detritos e promovem uma limpeza interna do motor.
  • Gasolina premium – mais caras do que as opções anteriores, apresenta uma octanagem maior, sendo capaz de produzir uma queima muito eficiente, de modo a trazer mais potência ao veículo.
  • Etanol – mais uma opção bastante popular, o álcool veicular é produzido principalmente a partir da cana-de-açúcar e categorizado como renovável, o que o difere da gasolina e do diesel.
  • Etanol aditivado – mais caro do que o etanol comum e, por ser aditivado, apresenta agentes detergentes, com rendimento, em média, 3% maior do que o álcool comum. 
  • Diesel comum – é uma das opções mais utilizadas pela frota de veículos pesados, tais como ônibus, caminhões e máquinas pesadas, devido ao alto rendimento e ao fato dos motores a diesel desenvolverem muito torque.
  • Diesel S-10 – trata-se de um diesel menor poluente, desenvolvido para atender às determinações de consumo e poluição dos motores modernos, além das exigências de entidades reguladoras como o PROCONVE (Programa de Controle à Poluição do Ar por Veículos).
  • Diesel aditivado – assim como as demais opções ativadas, apresenta agentes detergentes. Porém, no caso do diesel, tais agentes começam a agir já durante o abastecimento. 
  • Diesel Premium – contém uma maior quantidade de catano e hidrocarboneto, que aumentam a qualidade da ignição do combustível. Este fato traz mais desempenho ao motor, o que melhora a queima e a emissão de gases.
  • Gás Natural Veicular (GNV) – muito comum entre taxistas e demais motoristas de transporte de pessoas. O valor do GNV pode chegar até 60% daquele aplicado na gasolina.
  • Eletricidade – atende carros elétricos e híbridos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *