vela de ignição
Categories:

Velas de ignição: qual é a sua função e quando é necessário substituí-las

Você sabe como funciona a vela de ignição do seu carro, amigo motorista? Não?! Fique tranquilo, pois a Zapay está aqui para lhe ajudar com este conteúdo especial sobre os detalhes das velas de ignição.

Além de conhecer qual a função das velas de ignição no veículo, saiba qual é sua vida útil (e como prolongá-la), quando devem ser trocadas, dentre outras dicas. Coloque seu cinto de segurança e embarque nesta com a Zapay!

– Qual é a função da vela de ignição? 

– Quantos km dura vela de ignição 

– Quando trocar as velas de ignição do carro 

– Como saber se a vela de ignição está boa? 

– Como fazer com que as velas de ignição durem mais? 

– Vela fria ou quente. Qual a melhor? 

Dica da Zapay: fique por dentro sobre o sistema de direção de um veículo e saiba como ele funciona.

Qual é a função da vela de ignição? 

As velas de ignição são fundamentais para o funcionamento de um veículo automotor, afinal, cabe a elas a criação da faísca dentro da câmara de combustão. Assim, a vela de ignição é a responsável por explodir o combustível e a mistura do ar, de modo a empurrar o pistão para baixo e movimentar o automóvel. 

Tenha sempre em mente, amigo condutor, que as velas de ignição costumam trabalhar em condições extremas – fato que faz com que seja essencial se atentar quanto às trocas desse componente, para que seu desempenho não fique abaixo do esperado.

Você pode estar se perguntando: “mas o que pode acontecer caso as velas desgastadas continuem no veículo?”. Ora, esta situação pode trazer uma série de problemas ao carro, tais como: dificuldades no momento de dar a partida, desempenho do carro abaixo do esperado, maior consumo de combustível, além do fato de que a marcha lenta ficará desregulada.  

Dica da Zapay: tire suas dúvidas sobre teto solar e avalie se vale a pena ter um veículo com este diferencial. 

Como é formada uma vela de ignição?

Uma vela de ignição é composta por várias partes que trabalham juntas para produzir a faísca necessária para a ignição do combustível no motor, conforme você já aprendeu neste artigo. A seguir, confira quais são as principais partes que compõem uma vela de ignição:

  • Terminal: é a parte superior da vela onde o cabo de ignição é conectado. Ele fornece uma conexão elétrica entre o cabo e a vela.
  • Isolador: trata-se do isolante que separa eletricamente o terminal do corpo da vela. Geralmente, é feito de cerâmica resistente ao calor.
  • Eletrodo central: é uma pequena haste metálica que se estende do terminal até o interior da câmara de combustão. Ele é responsável por conduzir a corrente elétrica para criar a faísca.
  • Eletrodo de massa: também chamado de eletrodo lateral, é uma parte metálica que está conectada à carcaça metálica da vela e está localizada próximo ao eletrodo central. A distância entre o eletrodo central e o eletrodo de massa é chamada de folga do eletrodo.
  • Carcaça: diz respeito à parte metálica externa da vela de ignição. Ela serve como ponto de conexão à estrutura do motor, proporcionando o aterramento elétrico necessário.
  • Castelo metálico: apresenta como função abrandar os efeitos da corrosão e da oxidação
  • Anel de vedação: geralmente, feito de borracha, o anel de vedação fica na base da vela e ajuda a selar a passagem de gases na câmara de combustão.

 

Quando a vela de ignição está instalada no motor, a corrente elétrica flui através do cabo de ignição até o terminal da vela. Em seguida, a corrente passa pelo isolador e pelo eletrodo central. 

Desse modo, quando a tensão atinge um valor crítico, ocorre uma faísca elétrica entre o eletrodo central e o eletrodo de massa, ionizando o ar e o combustível na câmara de combustão. Essa faísca provoca a combustão do combustível, iniciando o ciclo de combustão no motor.

Quantos km dura vela de ignição?

Lembre-se de estar sempre atento aos períodos de revisão e potenciais trocas de componentes do seu veículo, motorista. No caso das velas de ignição, é importante ter mente que elas devem ser trocadas a cada 50.000 ou 60.000 quilômetros, por exemplo. O ideal é verificar sempre o que diz o manual do proprietário do automóvel, onde o fabricante especifica todos os dados técnicos acerca do carro.

Dica: é recomendável que as velas do carro sejam verificadas a cada 10.000 quilômetros.

O site da Zapay é sempre uma mão na roda!

Conheça nossos serviços e aprenda como quitar os seus débitos veiculares.

Aqui você pode consultar multas e demais pendências que seu carro ou sua moto possam ter, eventualmente.

Saiba como parcelar multas, IPVA, licenciamento em até 12 vezes no cartão de crédito.

Vem que a Zapay lhe ajuda a deixar sua vida veicular em dia!

Quando trocar as velas de ignição do carro? 

Vale reforçar a dica do tópico anterior: a cada 10.000 quilômetros que o veículo rodar, é recomendável que as velas de ignição sejam checadas e avaliadas por um mecânico de confiança.

Ainda: pode ser que esta marca de quilometragem varie de um veículo para outro, porém é importante estar atento para que o automóvel não alcance 40.000 ou 50.000 quilômetros rodados sem a revisão e a potencial troca.

Vale reforçar que o manual do proprietário do veículo traz a informação precisa sobre qual é o intervalo a ser respeitado para a troca de velas de ignição, conforme as especificações de cada modelo de carro. 

 

velas de ignição

Como saber se a vela de ignição está boa? 

Se ao se avaliada, a vela de ignição estiver nas cores cinza, amarelo ou marrom, é necessário ficar atento, pois esta é uma dica de que ela está no fim de sua vida útil. Por sua vez, caso o amigo condutor queira saber se a vela de ignição está carbonizada, ele deve observar a ponta da vela – se estiver coberta de carvão, esta é a evidência da carbonização.

Já, para saber se a vela de ignição está superaquecendo, é necessário observar a ponta do isolador. Se estiver esbranquiçada ou, ainda, com alguns pontos pretos na superfície, acontecerá o superaquecimento.

Outro componente importante a ser avaliado é a rosca da vela, afinal, se estiver danificada pode indicar que existe um excesso de torque no momento em que a pessoa a colocou no lugar. Observe também o isolador cerâmico, amigo motorista, pois tal peça não deve apresentar nenhuma trinca. 

A seguir, confira o passo a passo para saber como estão as condições da vela de ignição de um veículo. Vale ressaltar que, em caso de qualquer problema, é necessário contratar os serviços de um mecânico profissional:

  • Certifique-se de que o motor esteja desligado antes de começar a verificar as velas de ignição.
  • Em motores de quatro cilindros, as velas de ignição, geralmente, estão localizadas na parte superior do motor, ao longo do cabeçote. Já em motores de seis ou oito cilindros, elas podem estar em diferentes locais, mas ainda devem ser facilmente acessíveis.
  • Cada vela de ignição tem um cabo conectado a ela. Desse modo, um de cada vez, desconecte o cabo, puxando-o pela bota de borracha, não pelo próprio cabo. É importante marcar cada cabo para que seja possível saber qual é a vela ele estava conectado.
  • Faça uso de uma chave de vela apropriada para soltar e remover cada vela do cabeçote do motor. Gire no sentido anti-horário para soltá-las.
  • Observe a ponta da vela de ignição. Uma vela de ignição em boas condições deve ter uma ponta cinza-claro ou marrom-claro. Caso a ponta esteja muito suja, carbonizada, molhada de óleo ou apresentar resíduos de combustível, tais características podem indicar problemas.
  • A folga do eletrodo é a distância entre o eletrodo central e o eletrodo de massa. Use uma ferramenta de calibre de folga para verificar se a folga está dentro das especificações do fabricante. Lembre-se sempre: siga as instruções do manual do proprietário para determinar a folga correta.
  • Caso a vela esteja danificada, desgastada ou suja, é recomendável substituí-la. Se a vela estiver apenas suja, o mecânico pode tentar limpá-la com uma escova de cerdas macias e um limpador de velas de ignição específico.
  • Insira as velas de ignição no cabeçote e aperte-as com a mão até ficarem firmes. Em seguida, use a chave de vela para apertá-las um pouco mais, mas tenha cuidado para não forçar excessivamente. Reconecte os cabos de vela nas velas corretas.

Como fazer com que as velas de ignição durem mais? 

Cada vela de ignição apresenta eletrodos, que, por sua vez, têm um desgaste natural ao longo do tempo. Contudo, o que mais afeta a vida útil das velas de ignição é o ajuste dos parâmetros que a alimentam. Vale dizer que outras partes que apresentem problemas podem também danificar a peça do carro.

Desse modo, a vela de ignição será carbonizada caso haja um desgaste dos anéis ou ainda devido aos vedadores de válvulas que vierem com defeito. Diante de tais situações, cabe ao dono do automóvel limpar as velas de ignição com frequência, se ele não fizer uma retífica no veículo.

Vale dizer que há algumas medidas que podem ser feitas para que a vida útil das velas de ignição se prolonguem. Confira:

  1. Escolha velas de ignição de marcas respeitáveis e com boa reputação. Velas de qualidade tendem a ter melhor desempenho e durabilidade.
  2. Verifique o manual do proprietário do seu carro para obter informações sobre o tipo correto de velas de ignição a serem usadas e a folga do eletrodo recomendada. Siga essas especificações para garantir a compatibilidade e o desempenho ideal.
  3. O superaquecimento do motor pode causar danos às velas de ignição. Por isso, é fundamental avaliar se o sistema de resfriamento do veículo está funcionando corretamente, com o nível adequado de líquido de arrefecimento e a manutenção do sistema em dia.
  4. O combustível em excesso pode levar à formação de depósitos nas velas de ignição, o que pode afetar seu desempenho. A dica é manter o sistema de injeção de combustível em bom estado e evitar combustíveis de baixa qualidade.
  5. Uma manutenção adequada do motor, incluindo a troca de filtros de ar e combustível, pode ajudar a evitar a contaminação das velas de ignição e garantir um funcionamento mais eficiente.
  6. Conduzir em ambientes com altas temperaturas ou com muita poeira pode aumentar o desgaste das velas de ignição. Se possível, evite essas condições ou tome medidas para proteger o motor.
  7. Verifique o manual do proprietário para determinar os intervalos de substituição das velas de ignição recomendados pelo fabricante. Siga essas diretrizes e substitua as velas de ignição no momento apropriado.

 

Tenha sempre em mente que, apesar das medidas acima citadas (que auxiliam para prolongar a vida útil das velas de ignição), estamos falando de peças de desgaste, que, certamente precisarão ser substituídas em algum momento, de acordo com as recomendações do fabricante. Fique ligado!

Vela fria ou quente. Qual a melhor? 

Fique ligado, amigo motorista, pois colocar as velas de ignição com o grau térmico diferente daquele recomendado pelo fabricante é uma conduta errada. Afinal, se estiver quente em demasia, a temperatura na câmara do carro aumentará, o que deixa o motor mais exposto ao risco de fundir, além de outra série de problemas. 

Por sua vez, caso a vela de ignição seja colocada quando estiver muito fria, o desempenho será pior, afinal, isso pode se tornar útil, se o veículo for passado para o álcool ou ainda caso esteja com alguma preparação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *