Produção fábrica GM Gravataí
Categories:

Produção de veículos cai 5% no 1º semestre de 2022

Anfavea reduz a expectativa de crescimento para o ano, que deve ter alta de 4,1% sobre o volume de 2021

A produção de veículos novos no Brasil caiu 5% no primeiro semestre de 2022, segundo balanço divulgado nesta sexta-feira (8) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O volume chegou a 1,09 milhão de unidades de janeiro a junho deste ano, ante os 1,15 milhão de veículos produzidos no mesmo período de 2021. Os dados incluem toda a produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Na análise mensal, o resultado de junho de 2022 (203,6 mil unidades) também é negativo, com retração de 1,1% no volume em relação a maio (205,9 mil). Já na comparação com junho de 2021 (167,5 mil), período com alto índice de paralisação das fábricas brasileiras por falta de componentes eletrônicos, houve crescimento de 21,5% no índice de produção.

Ainda assim, segundo a Anfavea, as fábricas brasileiras de veículos ainda sofrem com a escassez global de semicondutores e outros insumos. Outros desafios globais citados pela entidade são a alta nos preços das commodities e nos fretes globais (impactados pela guerra na Ucrânia), a redução do crescimento do PIB mundial e a maior inflação no Brasil e mercados internacionais. 

Produção fábrica Volkswagen Anchieta
Imagem: Divulgação/VW

Montadoras revisam projeções de produção para 2022

Com este cenário de instabilidade global na cadeia de insumos, a associação que representa as montadoras revisou as projeções de crescimento feitas no início do ano. Se em janeiro a Anfavea apostava em alta de 9,4% na produção de veículos (com expectativa de 2,46 milhões de unidades), atualmente a entidade projeta crescimento de apenas 4,1% sobre 2021, com 2,34 milhões de veículos esperados.

“A crise global dos semicondutores vem se prolongando mais do que esperávamos em janeiro, em função de novos fatores como a guerra na Ucrânia e os lockdowns na China causados pela nova onda de Covid-19, que afetam o fornecimento de insumos e a logística global”, afirma o presidente da Anfavea, Márcio de Lima Leite.

Sob o aspecto de vendas internas, a associação agora aposta em alta de apenas 1% nos licenciamentos, com 2,14 milhões de unidades emplacadas – em janeiro, a expectativa era de crescimento de 8,5% (para 2,3 milhões de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus). Nesta semana, a Fenabrave, que representa as concessionárias, também divulgou previsões atualizadas para o volume de emplacamentos. Considerando apenas automóveis e comerciais leves, a entidade espera que o nível de 2021 seja mantido, com 1,97 milhão de unidades. Entre os veículos de passeio, o Volkswagen Gol foi o carro mais vendido em junho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.