Adição de categoria
Categories:

O que é telemetria veicular e como funciona?

A telemetria veicular é um assunto importante para quem quer segurança e controle no trânsito. Mas, você sabe o que é telemetria? Ou como funciona a telemetria veicular? Aperte os cintos e vem que a Zapay conta tudo sobre telemetria veicular neste artigo cheio de dados para você analisar.

O que é telemetria em veículos?

Segunda a definição do dicionário, telemetria é “a arte de medir distâncias”. Tele quer dizer remotamente, e metria significa medição. Uma definição mais precisa do que é telemetria seria a arte de medir distâncias remotamente.

Um sistema de telemetria veicular é uma ferramenta que pode coletar remotamente as informações de um veículo, como a velocidade (média e instantânea), a localização, a distância percorrida, as paradas, o consumo médio de combustível, a temperatura do sistema mecânico, entre outras informações.

Ela coleta, armazena e disponibiliza esses dados em um sistema para que o gestor de frota possa analisá-los e, baseando-se nisso, chegue a decisões e estratégias para otimizar as operações, resumindo, torná-las mais rápidas, econômicas e eficientes.

Como funciona?

O sistema de telemetria veicular funciona da seguinte maneira:

Primeiro, é instalado no veículo automotor um equipamento para captar as informações referente a sua operação. Usando sinais de rádio, rede de telefonia ou satélite, essas informações são mandadas a um servidor na central de monitoramento.

Essas informações armazenadas no servidor ficam disponíveis para o gestor acessar. Dentro desse sistema, o gestor tem acesso a diversos relatórios, que juntam e analisam os dados de acordo com a sua necessidade. Alguns parâmetros analisados na telemetria veicular são:

  • Velocidade;
  • Torque;
  • Dados do motor: RPM, temperatura, pressão na ignição, status (ligado ou desligado);
  • Dados gerais: Temperatura do freio, óleo, água, combustível e sensores diversos instalados no veículo;
Telemetria veicular
Telemetria veicular

Tipos de telemetria

Atualmente, existem dois modelos de sistema de telemetria veicular no mercado: a telemetria veicular analógica e a telemetria veicular digital.

1 – Telemetria veicular analógica

A telemetria veicular analógica só funciona com a instalação de diversos sensores no veículo para a medição de cada parâmetro que deseja controlar. O acompanhamento de dados é feito sensor a sensor.

Vamos dar um exemplo. Se você quer controlar o RPM do veículo, é necessário instalar um sensor que fará o cálculo do valor no contagiro e calibrar o sensor para cada veículo.

Num segundo momento, se quiser ler também o odômetro, você terá que instalar um novo sensor e calibrá-lo. Para cada parâmetro, um sensor diferente.

O ponto positivo desse método é a sua compatibilidade com diversos modelos de veículos, inclusive os antigos.

Porém, é um sistema muito mais complexo de instalar e manter, pois necessita da instalação de diversos sensores em partes diferentes do veículo, que precisam ser calibrados periodicamente (a cada 3 ou 6 meses) para que as leituras mantenham o nível de exatidão e precisão desejados.

2 – Telemetria veicular digital

A telemetria veicular digital é toda feita tendo como base a leitura de dados a partir da central eletrônica do veículo, o chamado computador de bordo.

A partir de 2009, foram estabelecidos padrões internacionais que facilitam a leitura dessas informações. Nos veículos pesados, com caminhões, as informações trafegam em uma rede chamada Rede CAN (Controller Area Network).

O próprio fabricante do caminhão instala no veículo todos os sensores que irão enviar suas informações para o computador de bordo através dessa rede. Lendo ela, então, é possível ter acesso a tudo que está acontecendo com o veículo.

Ou seja, é preciso só instalar um dispositivo para a leitura da rede, não sendo necessário um conjunto novo de sensores como no caso da telemetria veicular analógica. Lendo diretamente da rede do veículo, a telemetria digital fornece informações muito mais precisas e em maior variedade.

A telemetria em si, já é uma ferramenta eficaz para tornar uma gestão de frotas mais econômica e segura. Porém, se for combinada com outras soluções, torna-se uma tem um potencial ainda maior para conseguir resultados melhores. Vamos ver duas dessas soluções?

Videomonitoramento embarcado

O videomonitoramento embarcado é muito utilizado por empresas que entendem a importância do recurso visual para monitorar o comportamento do motorista. Ele auxilia na auditoria em casos de acidentes, identifica evasão de receita e aumenta a segurança de cargas e passageiros durante o transporte.

As informações se tornam confiáveis e abundantes ao confrontar as imagens captadas pelo videomonitoramento com os dados obtidos por meio da telemetria.

Sensor de fadiga

Conduzir um veículo com fadiga é uma das grandes causas de acidentes que podem ser evitados e que estão entre os mais difíceis de se detectar, em especial nas estradas em longas viagens.

O sensor de fadiga atua analisando o comportamento do motorista, combinando informações sobre os movimentos do veículo, a estrada à frente e o nível de atenção do condutor.

Ele serve para monitorar os comportamentos de risco e o alerta em tempo real. Os alertas na cabine auxiliam os condutores a manterem o foco na estrada, reduzindo riscos e os conscientizando sobre a importância de uma condução segura.

São diversas opções de sensores de fadiga. Os mais simples, que detectam apenas os motoristas em fadiga e sonolência, aos mais completos, que atuam diretamente em 6 comportamentos de risco que estão entre as maiores causas de acidentes de trânsito:

● Fadiga.
● Distração.
● Uso de celular.
● Distância perigosa em relação a outros veículos.
● Fumar enquanto dirige.
● Mudança de pista sem acionar o alerta.

Qual o objetivo da telemetria?

O tempo passa e a tecnologia não para de evoluir. Ela resolve problemas de maneiras cada vez mais ágeis e assertivas.

Uma pessoa, por exemplo, consegue usar papel e caneta para escrever, mas, se quiser ganhar agilidade, em especial no compartilhamento dessa informação, pode sempre contar com um computador ou o próprio celular na palma da mão.

Do mesmo jeito, você pode fazer a gestão de sua frota alimentando planilhas manualmente, ou utilizar sistemas que podem dar dinamismo e otimizar essa tarefa – como os softwares de telemetria.

Vale ressaltar que a tecnologia sozinha não é tão efetiva. Deve ser aproveitado o potencial máximo das ferramentas e atuar sobre as informações geradas pela telemetria. Sua gestão sobre os indicadores gerados faz toda a diferença no controle e evolução da operação.

Qual o valor da telemetria?

A assinatura do serviço pode variar muito pelo número de veículos da frota. A melhor forma é fazer uma pesquisa com as empresas que prestam esse tipo de serviço e ver a melhor cotação. Procure sempre lugares idôneos para não cair em algum golpe.

Quais são as vantagens da telemetria?

A Zapay preparou para você uma lista com algumas das vantagens da telemetria. Confira.

Economia de combustível

Economizar combustível, nos dias de hoje, faz toda a diferença. O sistema de telemetria consegue dar dados reais e precisos a respeito do consumo de combustível de cada veículo da sua frota. Sendo assim, você poderá comparar o consumo real e o planejado, avaliar desvios com relação ao valor desejado e a partir disso definir um plano de ação para melhorar a eficiência da sua frota.

E tem mais: a telemetria fornece dados para a avaliação do modo de condução dos motoristas, permitindo identificar comportamentos que aumentam o consumo do veículo. Isso permite que você treine os motoristas em hábitos de direção econômica, promovendo a redução dos custos de combustível na sua empresa.

Redução de custos com manutenção

Fornecer os dados necessários para que você crie e gerencie o seu plano de manutenção preventiva é uma das funções da telemetria. Ela também auxilia na previsão de problemas futuros e evitá-los com manutenções preventivas.

Os dados ainda te ajudam na automação dos processos de manutenção e permitem com que você tome decisões baseada em dados, sendo mais assertivo nas suas escolhas.

De modo geral, os dados de telemetria te permitem monitorar o padrão de condução de cada motorista, manutenção veicular, alertas de problemas e uma visão geral da saúde do veículo.

Controle do modo de condução dos motoristas

O desgaste de pneus e o consumo de combustível, representam, respectivamente, 8% e 35% dos custos variáveis de uma empresa de transportes, e o custo com manutenção representam a maior parte do custo variável de uma frota.

Ambos são diretamente impactados pelo modo de condução do motorista. Freadas, curvas e acelerações bruscas, RPM fora do indicado, dirigir na banguela, excesso de velocidade para o peso do veículo, parar o veículo e mantê-lo ligado.

Esses são manias e hábitos adquiridos por anos, e afetam diretamente no consumo de combustível, desgaste e vida útil das peças e dos pneus e, portanto, nos custos.

Os sistemas de telemetria permitem com que todas essas variáveis sejam controladas pelo gestor de frotas, para que ele avalie com informações precisas os seus motoristas, crie planos de treinamento para os que apresentam notas baixas no ranking e premie aqueles que apresentam notas altas.

Redução de acidentes

Existe um outro fator fundamental quando o assunto é o modo de direção do motorista: permitir uma direção mais segura resulta em menos multas e acidentes.

De acordo com o Observatório de Segurança Viária, 90% dos acidentes de trânsito são provocados por falha humana e que, de acordo com o Ministério da Infraestrutura, 50% dos acidentes são provocados por imprudência.

Muitos gestores ficam muito mais preocupados com roubo de carga do que com o modo de condução do seu motorista, porém, segundo a Associação de Gestão de Despesas de Veículos, acidentes envolvendo caminhões podem ser até 12 vezes mais custos do que roubo de carga nas estradas.

Vale a pena monitorar seus motoristas, criar um plano de avaliação, premiar os melhores e treinar os que apresentam hábitos ruins. Isso irá reduzir grandes custos com a sua frota.

Gestão de frotas eficiente

Para gerir de forma mais eficiente, é preciso deve analisar todos os dados disponíveis de todos os aspectos da sua operação. O gerenciamento de dados com base em papel e caneta é muito demorado e inseguro, não permitindo um acesso rápido e confiável à informação.

Os dados de telemetria podem ser agrupados em formatos diferentes para a criação de diversos relatórios gerenciais de frotas.

Por exemplo, o modo de condução de cada motorista pode ser utilizado para a criação de um ranking de motoristas, para seja feita uma avaliação do modo de condução individual, premiando os melhores motoristas e treinando aqueles que apresentarem um desempenho mais baixo.

Relatórios de manutenção preventiva, quilometragem percorrida e rotas realizadas também podem ser obtidos a partir do sistema de telemetria veicular. Assim pe criada uma cultura de direção econômica.

Como escolher um sistema de telemetria

Quando for escolher um sistema de telemetria, é preciso ficar atento a algumas questões importantes, que podem ser cruciais para o sucesso de suas operações. Abaixo você vê quais são os cuidados necessários na escolha do sistema ideal para sua necessidade:

Segurança e qualidade nos equipamentos

Cuidado com equipamentos frágeis e que dão muita manutenção. Se você sempre tiver que parar os veículos para trocas e reparos nesses equipamentos, sua operação pode ser muito impactada. Fique ligado também na manutenção preventiva.

Dados qualificados

Procure um sistema que consiga trazer inteligência e que realmente geram ações assertivas com análise dos indicadores.

Integração facilitada

Unir em um único sistema as informações de telemetria, videomonitoramento e sensor de fadiga, por exemplo, pode otimizar muito seu trabalho. Isso facilita a visão dos indicadores de economia, gestão e segurança.

Rastreamento veicular X Telemetria

Telemetria e rastreamento são tecnologias bastante diferentes.

O sistema de telemetria também oferece o rastreamento, ou seja, realiza a medição da posição do veículo remotamente e a disponibiliza para o gestor de frotas em um sistema.

Entretanto, o sistema de telemetria é muito mais completo e abrangente do que o sistema de rastreamento veicular, uma vez que fornece uma série de outras informações úteis para o gestor no controle da sua operação.

Diferenças entre rastreamento e monitoramento

Um rastreador veicular pode oferecer ambos os serviços, assim como as empresas que os comercializam. Rastrear ou monitorar utilizam a mesma tecnologia, mas o que muda é o objetivo.

O monitoramento permite, através do GPS, acompanhar dados de rota durante o trajeto. Ou seja, informações como tempo estimado de chegada ao destino, condições do veículo e velocidade. Para empresas de transporte, isso é essencial para informar ao cliente o tempo estimado de chegada.

Em casos mais particulares, como o seu e de sua família, estamos falando de acompanhamento em tempo real do que está acontecendo na viagem.

O rastreamento diz respeito, basicamente, em não necessariamente acompanhar um carro em tempo real, mas acessá-lo pontualmente, para garantir que ele chegou ao destino, ou que saiu de uma rota. Em casos de furto, quando o proprietário deu falta do veículo, ele pode acessar a empresa de rastreamento, que fará o acesso e identificará a localização exata.

Como faço o monitoramento do meu veículo?

Acabamos falando um pouco sobre isso nos tópicos anteriores, mas existem hoje duas formas básicas de monitorar e rastrear um veículo:

Você pode fazê-lo por conta própria, através de aplicativos ou acessos oferecidos pelas empresas. Tudo depende do tipo de serviço que você contrata. Existem vários tipos de empresas.

Através dos acessos particulares e online, você pode monitorar e fazer uso dos pontos que levantamos como vantagens, e acionar autoridades ou a própria empresa, em caso de emergências.

A segunda é através da empresa que você contratou. Ela pode estar associada ao primeiro tópico, mas com a empresa estando responsável, pessoas são dedicadas a isso 24 horas por dia, ou durante uma situação especial, como uma viagem de família. É como ter alguém garantindo sua segurança, para que você possa se concentrar em outras coisas.

Em qualquer um dos casos, o rastreador é instalado em seu carro e através do sinal de geolocalização que ele emite, é possível fazer a triangulação que garante saber seu local exato, mesmo que esteja em movimento.

Quando você utiliza um serviço de motoristas de aplicativo, por exemplo, e consegue acompanhar pelo celular o caminho que sua carona está tomando, é exatamente isso que está acontecendo.

A diferença é que nesse caso a geolocalização está no celular do motorista, e não no carro. O rastreador estará sempre funcionando. No entanto, ele pode ser acessado apenas quando for ativado, como no rastreamento.

Dica da Zapay: Precisa quitar os débitos do seu veículo para renovar sua CNH? Quando o assunto é pagar multas ou consultar débitos de veículos, conte com a Zapay.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *