Carro elétrico para aplicativos BYD D1 EV
Categories:

Conheça os melhores carros elétricos no Brasil

Os carros elétricos no Brasil estão cada vez mais em pauta, ainda mais com o aumento constante no preço dos combustíveis. Porém, antes de comprar um carro elétrico no Brasil, é preciso entender mais sobre o assunto, conhecer os carros elétricos à venda e saber qual é o ideal para o seu bolso. Então, vem – que a Zapay está ligada no 220 para trazer tudo para você sobre os carros elétricos no Brasil.

– O que são carros elétricos?

– Quantos carros elétricos estão disponíveis no Brasil?

– Quais são os carros elétricos que tem no Brasil? 

– Quais os melhores carros elétricos no Brasil?

– Qual o carro elétrico mais barato disponível no Brasil?

O que são carros elétricos?

Os carros elétricos nasceram para ser uma opção sustentável aos veículos movidos a combustíveis fósseis, recursos naturais não renováveis como o petróleo, o gás e o carvão. O grande diferencial deles é não emitir nenhum tipo de gás poluente, sendo menos prejudicial à natureza. No Brasil, você já deve ter ouvido falar ou até pego um trólebus, que são os ônibus movidos a eletricidade no nosso transporte público, porém eles ainda são raridade e possuem rotas bem limitadas, ainda mais para os grandes centros urbanos. 

É um assunto que muita gente fica em dúvida: afinal, como funciona o carro elétrico? Como o próprio nome diz, é através de uma corrente elétrica que depende de quatro componentes básicos: bateria, inversor, motor de indução e sistema de recuperação de energia.

Vamos falar primeiro sobre a bateria. Ela é recarregável, armazenando a energia elétrica que faz o carro e seus componentes funcionarem. Já o inversor transforma a corrente elétrica contínua em corrente alternada, que é levada até o motor de indução. A eletricidade, assim, aciona os mecanismos do motor que fazem as rodas girarem e o carro se mover.

Além de não emitir poluentes, o fato de não queimar combustíveis fósseis faz os carros elétricos serem muito mais silenciosos que os carros comuns. Além disso, o uso da eletricidade permite que a energia seja mais bem aproveitada, já que a parte mecânica do motor sofre menos atrito em comparação com o motor dos carros tradicionais. Isso faz com que a aceleração do carro se torne mais leve e fácil de ser conduzida nas ruas.

É aí que entra o sistema de recuperação de energia, como uma espécie de “bônus”. Nos carros comuns, a energia ao frear um veículo é transformada apenas em calor, enquanto nos modelos elétricos ela volta ao seu ciclo, em forma de eletricidade. Muito mais vantajoso, né?

Tipos de carros elétricos

Vamos combinar as siglas aqui para ninguém ficar perdido. Todos os carros listados abaixo são os chamados EV (eletric vehicle). Os automóveis que se enquadram em EV são aqueles que usam energia elétrica para se movimentar, mas existem subdivisões que tornam esses carros bem diferentes entre si.

O primeiro tipo de veículo elétrico é o 100% elétrico, tão bem conhecido como BEV (Battery Electric Vehicle). Esse é puro e não usa nenhum outro combustível além da energia elétrica das baterias. Alguns exemplos que se encaixam nessa categoria são os carros da Tesla, como o Model X ou o Model S.

Carros exclusivamente elétricos têm um preço mais salgado, mas em compensação sua manutenção é mais barata e são 100% não poluentes. O motivo mais forte que impede a popularização dos veículos 100% elétricos é a densidade de energia das baterias e infraestrutura para carregar as mesmas.

Foi, então, que os fabricantes recorreram a uma solução equilibrada: os veículos híbridos. Eles aproveitam as baterias elétricas, mas também permitem maior autonomia de abastecer em qualquer posto com a gasolina. Os veículos híbridos receberam a sigla HEV (Hybrid Electric Vehicle), por terem em seu interior um motor à gasolina, tanque de combustível, baterias e um ou mais motores elétricos.

Eles foram projetados de maneira que ambos os motores possam ser utilizados ao mesmo tempo, mas isto depende do objetivo do fabricante.

Os carros HEVs são abastecidos com gasolina e toda a energia vem desse combustível fóssil, o que não permite que eles sejam carregados diretamente com eletricidade. Por outro lado, eles rodam muito mais quilômetros com autonomia que os BEV e gastam bem menos gasolina do que os carros tradicionais. Isso faz com que o custo-benefício em relação ao abastecimento seja maior.

Falando da parte mecânica, a dos veículos híbridos é mais complexa, porque ela une a de um carro elétrico com a de um veículo à combustão, sendo assim são dois tipos de motores que precisam de revisão e ainda baterias para trocar quando for o momento. 

O último tipo de carro elétrico que vamos falar é o PHEV (Plug-in Hybrid), semelhante com um HEV, mas além de poder abastecer com gasolina, ele também funciona caso seja abastecido com de energia elétrica, trazendo o melhor dos dois mundos para quem busca autonomia. O veículo elétrico PHEV permite o uso da gasolina para trajetos mais longos ao mesmo tempo da sustentabilidade da eletricidade nos trajetos do dia a dia, economizando muito mais na hora de abastecer nos postos comuns.

E como o motor a combustão no PHEV tende a ser menos usado, a manutenção do PHEV é menos salgada que o HEV. Isso nos leva a concluir o quanto é importante pesquisar bem antes de comprar o seu. Um carro elétrico não é só um investimento impulsivo gerado pela crise, é um compromisso com você e com o planeta, que precisa ser planejado para que o modelo escolhido pelo motorista seja o ideal com suas necessidades e as de sua família.

Por que o carro elétrico é tão caro no Brasil?

Crise? Impostos? Dólar? Existem algumas variáveis que explicam o porquê de valores tão altos nos modelos de carros elétricos no nosso país. A bateria, que antes era o principal fator do preço mais elevado, ainda é um grande empecilho, porém ela perde para outro grande vilão do nosso dia a dia: a alta carga tributária. 

De acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), os impostos aplicados sobre o carro elétrico já diminuíram sensivelmente no Brasil, mas ainda falta muito para ser algo mais acessível. Antes, o imposto de importação era de 35% e, em 2015, foi para zero no carro elétrico e 2% no híbrido. O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) era de 25% e, em 2019, baixou para 9%, em média.

Se compararmos com a Europa, por exemplo, temos uma situação invertida. Lá, um automóvel com motor a combustão que percorre entre 10 e 12 quilômetros por litro paga 7% de IPI. Já um carro híbrido, que roda 25 km/l chega a pagar até 15%.

Com o desempenho de vendas no ano passado, os modelos elétricos alcançaram 1% do market share brasileiro, pouco para o potencial que ainda ele promete. Segundo a ABVE, o mundo todo desonera o carro eletrificado e cobra imposto de acordo com a eficiência energética, sendo o Brasil o único país na contramão.

Isso gera um ciclo ruim para o mercado. Sem vender muito no Brasil, não há larga economia de escala. Por consequência, as marcas não montam um ecossistema consistente e amplo com os fornecedores locais. Uma coisa está conectada intimamente à outra. O preço pode até ficar menor, porém a realidade nacional não deixa com que o veículo elétrico seja mais barato. Isso nos torna refém tanto das importações como da alta do dólar, impedindo a margem de redução de custo dos veículos.

Vencer essas as barreiras fiscais é o maior desafio da indústria para que os carros elétricos continuem o seu crescimento saudável no mercado. Em relação aos componentes, a bateria custa até 35% do preço total do automóvel, embora sua queda na última década. Mesmo assim, ela ainda torna os veículos mais caros.

As maiores reservas de lítio – principal matéria-prima das baterias – da América do Sul estão na Bolívia, no Chile e na Argentina. E, nos últimos anos, foram descobertas grandes quantidades do metal em Minas Gerais, Goiás e Ceará. Com isso, a formação de um polo de fabricação de baterias para carro elétrico poderia depender menos do material que vem de fora, o que ainda vai gerar economia e empregos no nosso país, e mais esperança de preços menores do futuro. Será preciso aguardar os próximos passos e continuar na torcida.

Quantos carros elétricos estão disponíveis no Brasil?

As vendas de carros elétricos e híbridos vem de uma forte crescente no Brasil. De acordo com o último relatório da ABVE – Associação Brasileira de Veículos Elétricos, os veículos eletrificados leves avançaram 78% no acumulado do primeiro quadrimestre de 2022, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Na contramão do mercado automotivo geral, que teve queda de 23% nos quatro primeiros meses do ano, os eletrificados tiveram 3.123 emplacamentos de abril, somando 12.976 unidades vendidas no acumulado do ano, contra 7.290 no primeiro quadrimestre de 2021.

Isso fez com que a participação dos carros elétricos e híbridos nas vendas internas totais de veículos leves fosse de 2,5% no quadrimestre e de 2,3% em abril, números bem animadores.

Mas se formos considerar somente os carros elétricos em relação ao mercado total, o market share ainda é muito baixo, de apenas 0,3%. Para se ter uma ideia de como é baixa, a participação dos veículos elétricos varia de 6 a 15% nos principais mercados europeus e já se aproxima de 20% na China.

 Atualmente, a frota circulante de veículos eletrificados no Brasil é de 90.000 unidades, devendo chegar a 100.000 entre julho e agosto, segundo as projeções da ABVE com base no crescimento atual. 

Emplacamentos:

Vendas de eletrificados (autos + comerciais leves; HEV + PHEV + BEV):

1º quadrimestre de 2022: 12.967
1º quadrimestre de 2021: 7.290

Variação: + 78%

  • 2021: 34.990
  • 2020: 19.745
  • 2019: 11.858

Vendas em abril:

  • 3.123 emplacamentos 
  • + 15% sobre abril de 21 (2.708)
  • – 19% sobre março de 22 (3.851)

Quais são os carros elétricos que tem no Brasil?

Com a chegada de vários lançamentos de carros elétricos no Brasil agora no início de 2022, fica difícil acompanhar todos os modelos disponíveis e seus respectivos preços. 

A lista abaixo foi retirada do site Insideevs e incluí os números de autonomia, por ser considerado um dos principais indicadores quando se trata de veículos elétricos, assim como sua potência e o torque máximo. Vale lembrar que alguns modelos já estão apresentando os dados aferidos pelo Inmetro.

Nomes dos carros 

ModeloAutonomiaPotência/TorquePreço
Renault Kwid E-Tech298 km65 cv / 11,5 kgfmR$ 142.990
Chery Arrizo 5e322 km122 cv / 28,1 kgfmR$ 159.900
JAC e-JS1300 km62 cv / 15,3 kgfmR$ 164.990
JAC e-JS1 eXT300 km62 cv / 15,3 kgfmR$ 179.900
JAC iEV40300 km115 cv / 27,5 kgfmR$ 189.900
Renault Zoe Zen385 km135 cv / 25,0 kgfmR$ 204.990
Renault Zoe Intense385 km135 cv / 25,0 kgfmR$ 229.990
Mini Cooper SE234 km185 cv / 27,6 kgfmR$ 249.990
Fiat 500 elétrico320 km118 cv / 22,4 kgfm R$ 255.990
JAC e-JS4420 km150 cv / 34,6 kgfmR$ 264.900
JAC e-J7402 km192 cv / 34,6 kgfmR$ 264.900
Peugeot 208 e-GT340 km136 cv / 26,5 kgfmR$ 241.490
Nissan Leaf389 km149 cv / 32,6 kgfmR$ 297.140
BMW i3335 km170 cv / 25,5 kgfmR$ 304.950
Volvo XC40 Recharge Plus P6420 km231 cv / 33,6 kgfmR$ 309.950
Chevrolet Bolt EV416 km (EPA)200 cv / 36,7 kgfmR$ 317.000
Citroën e-Jumpy330 km136 cv / 26,5 kgfm R$ 329.990
Peugeot e-Expert330 km136 cv / 26,5 kgfmR$ 329.990
JAC iEV330p320 km150 cv / 34,6 kgfmR$ 369.990
Volvo XC40 Recharge 418 km408 cv / 67,3 kgfmR$ 409.950
Volco C40 Recharge420 km408 cv / 67,3 kgfmR$ 419.950
JAC iEV750V235 km163 cv / 76,5 kgfmR$ 469.900
BYD Tan EV437 km (Inmetro) 517 cv / 69,4 kgfmR$ 515.890
JAC iEV750 Vip235 km163 cv / 76,5 kgfm R$ 529.900
Porsche Taycan 354 km408 cv / 35,6 kgfmR$ 583.063
Audi e-tron Performance 436 km408 cv / 67,7 kgfmR$ 609.990
Jaguar i-Pace Black470 km400 cv / 69,5 kgfmR$ 628.950
Mercedes-Benz EQC 400416 km408 cv / 77,5 kgfmR$ 629.900
Audi e-tron Sportback Performance446 km408 cv / 67,7 kgfmR$ 639.990
Audi e-tron Performance Black436 km408 cv / 67,7 kgfmR$ 649.990
BMW iX xDrive40476 km326 cv / 64,0 kgfmR$ 654.950
Porsche Taycan 4S333 km530 cv / 65,3 kgfmR$ 659.000
Jaguar i-Pace SE470 km400 cv / 69,5 kgfmR$ 678.950
Audi e-tron Sportback Performance Black446 km408 cv / 67,7 kgfmR$ 679.990
Porsche Taycan Cross Turismo 4389 km476 cv / 51,0 kgfmR$ 685.000
BMW iX xDrive50630 km523 cv / 78,0 kgfmR$ 799.950
Porsche Taycan GTS504 km598 cv / 86,7 kgfmR$ 805.000
Audi e-tron S Sportback380 km503 cv / 99,2 kgfmR$ 839.990
Porsche Taycan Turbo381 km625 cv / 86,7 kgfmR$ 909.000
Audi RS e-tron GT472 km598 cv / 84,6 kgfm R$ 1.025.990
Porsche Taycan Turbo S381 km680 cv / 86,7 kgfmR$ 1.079.000
Mercedes-AMG EQS 53 4MATIC+580 km658 cv / 96,8 kgfmR$ 1.350.090

Preços dos carros 

Como visto na lista acima, os preços dos carros elétricos podem variar dependendo de seu modelo, categoria, autonomia e muitos outros fatores. Por isso é fundamental pesquisar bem e seguir sempre nossas dicas.

Inclusive, se os preços dos elétricos estiverem muito altos, não precisa arrancar os cabelos. Que tal dar uma olhada na nossa lista com os 10 carros mais baratos de 2022? É só clicar aqui.

Quais os melhores carros elétricos no Brasil?

Agora que você já sabe mais sobre os carros elétricos, que tal conhecer cinco modelos que a gente separou como os mais vantajosos para compra aqui no país? Se liga que a lista tem modelos para todos os gostos e bolsos.

1. Volvo XC40 Recharge Pure Electric

Se de um lado do ringue temos os modelos elétricos que custam certa de R$ 200 mil e são muito semelhantes aos modelos a combustão que custam metade desse valor, do outro temos modelos que oferecem bom acabamento e itens de série estão em um patamar quase inalcançável de luxo. 

Aí entra o XC40, um meio-termo dessa briga. Com bom desempenho e suficientemente luxuoso, o XC40 não é barato, custando quase R$ 400 mil, mas parece mais interessante e viável quando comparado às outras opções disponíveis no mercado. O SUV tem dois motores elétricos, que totalizam 408 cavalos de potência e permitem uma autonomia de 418 quilômetros.

E tem outra vantagem: a Volvo disponibiliza cerca de 700 pontos de recarga. 

2. Porsche Taycan

Esportividade alinhada ao design. O sedan elétrico da Porsche também oferece luxo, como o Audi, mas com essa pitada esportiva. São nada mais nada menos do que 435 cavalos de potência na versão mais “acessível”, que custa quase R$ 600 mil, enquanto a top de linha oferece impressionantes 761 cavalos, indo de 0 a 100 quilômetros por hora em 2,8 segundos. Porém, o preço é para poucos, podendo passar o valor de R$ 1 milhão. 

O design do Taycan segue a linha dos esportivos da marca alemã, mas com os toques modernos e agressivos típicos dos carros elétricos.

3. Audi e-tron/Audi e-tron Sportback

O e-tron também faz bonito em relação aos carros de combustão dessa mesma com um custo parecido. Esse é um dos motivos que fez dele o rei de 2020, sendo o carro elétrico mais vendido do Brasil naquele ano. Por R$ 530 mil, quem escolher esse poderoso SUV elétrico da Audi leva um conjunto de força com dois motores (um em cada eixo), que somam 408 cavalos. A autonomia é de 446 quilômetros, e a recarga rápida de 80% da bateria é rápida, demorando somente 30 minutos. A versão Sportback, com carroceria mais esportiva, custa R$ 30 mil a mais.

4. Renault Zoe

A alta do dólar está dificultando o custo-benefício dos carros elétricos no Brasil — o próprio Renault Zoe custava em torno de R$ 150 mil antes dos reajustes. Porém, pelo custo atual praticado no Brasil, o comprador pode levar a versão renovada do modelo, lançada recentemente na Europa. 

Com uma nova tecnologia e o design interior ainda mais atraente, o carro dá um show mesmo é na autonomia. Essa versão roda até 385 km sem precisar ser recarregada. 

5. Nissan Leaf

Nenhum carro, ainda mais elétrico, pode ser considerado barato aqui, já que não possuem incentivos fiscais dos governos e a crise deixa a situação ainda mais grave. Porém, os R$ 278 mil cobrados pela Nissan no modelo Leaf já incluem o carregador rápido instalado, o que diminui a recarga completa de 20 para 8 horas. Uma vantagem para quem não quer perder tempo e deseja trocar seu carro a combustão por uma opção mais sustentável.

O Nissan Leaf foi apresentado em 2010 e está na sua segunda geração, sendo o carro elétrico mais vendido do mundo desde aquela data. Todo esse sucesso faz dele o carro mais tradicional e confiável para o dia a dia de quem busca tranquilidade.

Qual o carro elétrico mais barato disponível no Brasil?

Vamos direto ao ponto: qual é o carro elétrico mais barato do país? A resposta é o Renault Kwid E-Tech, que sai por R$ 142.990, seguido de perto pelo JAC e-JS1, que custa R$ 164.990.

Existem outras opções para quem quer se locomover eletricamente e ainda não tem dinheiro para comprar o seu automóvel. Por isso, a Zapay preparou um artigo só sobre as regras de bicicletas e motos elétricas, para você ver se essa é uma alternativa viável para você. Clique no link e saiba mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.