locadora de veículos
Categories:

Veja quais são os prós e contras de comprar carro de locadora de veículo

Já pensou em comprar um carro de locadora de veículos? Confira quais são as vantagens e as desvantagens nessa opção e avalie se vale a pena para a sua realidade.

A Zapay lhe explica porque os veículos de locadora de carros têm preços tão atrativos, os riscos, como reconhecer esses automóveis, como negociar, dentre outras dicas!

– Carros usados de locadora é um bom negócio? 

– Pouco rodado e barato 

– Os riscos dos carros de locadora 

– Garantia de fábrica? Talvez! 

– Variedade de modelos 

– Como reconhecer um carro de locadora? 

– Como fica a revenda? 

– Como comprar um carro de locadora?

Dica da Zapay: saiba como comprar carro com desconto CNPJ.

Carros usados de locadora é um bom negócio? 

A compra de um carro usado de locadora pode ser uma boa opção aos condutores que buscam por um veículo mais novo (seminovo), porém já com alguma desvalorização – afinal, os valores dos automóveis zero quilômetro são altíssimos, no Brasil. 

Hoje, a depender do segmento e da faixa de preço, fica difícil fugir de carros de locadora, que são uma alternativa para quem busca modelos abaixo de R$ 70.000. Vale destacar que o carro novo com menor preço em nosso país é o Renault Kwid Zen, que custa R$ 69.990.

Segundo a Associação Brasileira de Locadoras de automóveis (ABLA), a partir de dados do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO), cerca de 33% de todos os carros e veículos comerciais leves vendidos no Brasil, entre julho e setembro de 2022, foram registrados por locadoras.

Com esse evidente aumento, houve crescimento também na oferta de carros usados de locadoras. Tais veículos chegam ao mercado com cerca de um ano e com até 40.000 quilômetros rodados.

Ou seja, com esse cenário, aliado aos preços altos de carros novos, os automóveis de locadoras usados são uma opção para quem busca um modelo com um ou dois anos de uso, baixa quilometragem e preço próximo ao avaliado pela Tabela FIPE. 

Há alguns pontos que o amigo condutor deve se atentar antes de saber se os carros de locadora valem a pena para negócio.

Dica da Zapay: o que é melhor: alugar ou comprar um carro? Confira os prós e os contras dessas opções nesse artigo temático. 

Pouco rodado e barato 

Como uma locadora costuma ter renovação constante de frotas, seus carros podem ser opções interessantes aos compradores. Afinal, a depender do segmento, é possível encontrar automóveis com baixa quilometragem, além de preço abaixo da tabela, conforme já destacamos. 

É importante frisar que muitos desses veículos não são de uma locação normal, mas, sim, provenientes do serviço de carro por assinatura.

Desse modo, como as locadoras comprar os veículos direto da montadora com desconto e lucram com sua locação, eles conseguem vender os carros seminovos por preços menores – e mais atraentes. Essa é forma que as locadoras podem ter mais lucro do que as próprias fabricantes dos carros.

Vamos a um exemplo, para ilustrar essa situação. Um Jeep Compass Longitude 1.3 Turbo, ano 2022, com 8.800 quilômetros rodados costumava ser oferecido por uma locadora da cidade de São Paulo por R$ 164.419. Esse mesmo modelo novo apresentava o preço de R$186.690, o que dá uma diferença de R$ 13,55%.

Se avaliado na Tabela FIPE, esse mesmo Compass é avaliado em cerca de R$ 173.700.

Outro exemplo: uma locadora oferecia um Fiat Argo 1.0, ano 2022, com R$ 20.000 quilômetros rodados por R$ 65.300. A versão zero quilômetro custava R$ 79.790, no site da Fiat – 22,2% a mais. Porém, o preço na Tabela FIPE é o mais baixo: R$ 64.000. 

É relevante considerar que os carros de locadora trazem uma vantagem interessante: a garantir de que o hodômetro não foi adulterado, afinal, esse é um risco que as granes locadoras querem passar longe.

Dica da Zapay: comprar carros com multa é boa ideia? Saiba mais! 

Os riscos dos carros de locadora 

Atenção ao negociar um carro nunca é demais, amigo condutor. Lembre-se sempre disso. E essa dica é aplicável também na hora de avaliar um veículo de locadora. 

Não à toa, os motoristas têm um cuidado especial quanto ao estado geral do veículo, uma vez que se trata de um automóvel que já foi utilizado por diversas pessoas ao longo de sua vida. Não raro, alguns desses condutores que local ou assinam os carros são motoristas que trabalham para rodar em aplicativos de mobilidade. Ou seja, não necessariamente, a pessoa cuidou do automóvel como se fosse dela, de fato.

Contudo, se o carro não foi bem cuidado, ele dá sinais bastante evidentes, mesmo que seja pouco rodado. Um exemplo é o interior do carro, bem como o porta-malas, com muitos riscos e sujeira. Outros pontos são faróis e lanternas com sinais de poeira, além de protetor de cárter e braços de suspensão repletos de riscos. 

Se a embreagem do veículo estiver com o acionamento duro, esta também é uma dica de que o carro não está bem cuidado – possivelmente, teve trabalho pesado e em estrados ruins.

Para saber se o veículo era de aplicativo, é recomendável sentar no banco traseiro. Mas como assim? Oras, no caso de carros mais baratos, a espuma desses assentos costuma ceder e perder o suporte para o corpo. Uma característica desconfortável que seu corpo logo perceberá.

No geral, os carros de locadoras são bem cuidados, porém é necessário avaliar cada modelo com muita atenção. Afinal, alguns veículos são maltratados, com muitas pancadas na parte inferior ou ainda com retoquem mal feitos em sua pintura. É válido levar um mecânico profissional ou mesmo um caçador de veículos para avaliar todos esses pontos – para que você não compre gato por lebre.

Embora as locadoras garantam que os carros apenas são vendidos se estiverem em estado perfeito e com a manutenção feita à risco, seguindo o manual do proprietário, é sempre bom avaliar caso a caso. Evite dores de cabeça.

Garantia de fábrica? Talvez! 

Caso o amigo condutor deseje um usado ainda com garantia de fábrica, que costuma ser de três anos, é fundamental saber que, raramente, as concessionárias fazem a revisão nas concessionárias.

Uma vez que o objetivo é reduzir custos, as locadoras, de fato, seguem as recomendações que constam no manual do proprietário do veículo. Porém, os serviços contratados são de oficinas mecânicas independentes, que as próprias locadoras credenciam –  esse gesto invalida a garantia.

Atente-se, pois, essas oficinas podem ser concessionárias de uma marca diferente, vale destacar.

A perda do prazo de revisão, que nem sempre é respeitado, pode fazer também com que o carro perca a garantia. Por exemplo, se o veículo precisa fazer uma revisão com 10.000 quilômetros rodados, mas o proprietário realiza com 16.000 quilômetros rodados, ele perde a garantia.

Ainda: os registros dos serviços nem sempre acompanham um carro seminovo. Assim, é necessário ligar para a locadora para saber, exatamente, quando o veículo parou de fazer a devida revisão. 

É possível que a própria locadora ofereça uma garantia de até um ano nos carros seminovos. Contudo, o condutor pode ainda encontrar automóveis com manual carimbado na oficina adequada e com garantia do fabricante – benefício que pode variar entre três e cinco anos.

locadora de carros

Variedade de modelos 

As locadoras costumam apresentar uma vasta variedade de marcas, modelos e cores em suas lojas, para atender motoristas de todos os gostos e bolsos. Engana-se quem pensa que esses pátios são monótonos.

Os carros compactos costumam ser aqueles de entrada. Entretanto, é possível encontrar sedãs médios, minivans, SUVs, picapes, furgões ou ainda modelos de luxo (como BMW, Audi, Mercedes e Jaguar) nesses mesmos pátios. Esses últimos veículos costumam ser pedidos por diretores de grandes empresas ou ainda empresários, por exemplo.

Mais uma vantagem é que as locadoras costumam ter em seu plantel modelos recentes no mercado – mesmo que sejam aqueles com pouca oferta em lojas – ou ainda carros considerados exóticos. 

Embora haja grandes descontos, a comercialização de grandes lotes de automóveis novos para locadoras pode ser utilizada pelos fabricantes para manter um ritmo de produção – ou mesmo compensar a baixa procura por determinado modelo no varejo. Uma lógica de compensação e garantia de venda.

Um exemplo é o Peugeot 208, anos 2021 e 202. A maior parte desses veículos tiveram como primeiro dono as locadoras. Tem visto muitos 208 seminovos pelas ruas nos últimos meses? Esse é o motivo. Sobretudo, o Peugeot 2008 Allure sem a central multimídia – versão que não está disponível no varejo.

Como reconhecer um carro de locadora? 

Como agora os carros novos aderem já à placa do Mercosul, fica mais difícil reconhecer se o carro é de locadora. Antes, a maior parte dos carros de Belo Horizonte (Minas Gerais) que circulava por outros estados e grandes centros não costumava ser de mineiros, necessariamente.

Mas, ainda hoje, é possível descobrir se o automóvel é de locadora, por intermédio da sequência das placas. Sendo assim, de GKJ 0001 a HOK 9999, NXX 0001 a NYG 9999, OLO 0001 a OMH 9999, OOV 0001 a ORC 9999, OWH 0001 a OXK 9999, PUA 0001 a PZZ 9999 e QMQ 0001 a QQZ 9999 são códigos utilizados por Minas Gerais. 

Mas por que Minas Gerais? As locadoras costumam emplacar seus veículos nesse estado por conta do IPVA (Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor) menor: apenas 1%, somente para locadoras.

Como fica a revenda?

Há alguns motoristas que tem o pé atrás quando o assunto é comprar o carro que já foi de locadora. Porém, é necessário saber que as lojas independentes não costumam ter esse tipo de preconceito – sim, elas compram e vendem automóveis de locadora.

Assim, para manter a variedade de modelos e o estoque alto, muitas lojas recorrem às locadoras para comprar grandes lotes com o objetivo de revendê-los. São boas oportunidades aos olhos desses empresários, já que depender apenas de clientes que chegam às lojas não faz o negócio girar.

O motorista que comprou um carro de locadora pode também negociá-lo com a loja independente – sendo um carro bem cuidado e um bom negócio, o processo segue.

Como comprar um carro de locadora?

Para comprar um automóvel de locadora, o amigo motorista deve ter os mesmos cuidados adotados para comprar qualquer outro veículo usado. Por exemplo, é fundamental ter atenção quanto ao interior e procurar potenciais riscos em plásticos, além de manchas e rasgos nos bancos. 

O comprador deve ainda se atentar se todos os equipamentos estão funcionando e exigir sempre o manual do proprietário, além da chave reserva.

A carroceria do veículo não pode ainda apresentar riscos profundos e nem mesmo peças ou texturas com tintas distintas. Outro ponto: os parafusos de fixação não devem estar descascados, o que significa que tal peça já foi retirada.

Confira se os pneus e as rodas são da mesma marca e da mesma medida, cuidado que se estende ainda ao estepe. Tenha em mente que é normal as locadoras trocarem tais componentes – por isso é fundamental a verificação feita pelo comprador. 

Confira quais são as diferenças entre aluguel de carro e automóvel por assinatura

O aluguel de carro e o automóvel por assinatura são dois modelos de uso de veículos que têm diferenças significativas em termos de duração do contrato, custos e serviços incluídos. Saiba mais sobre cada uma dessas opções: 

  1. Aluguel de carro: o contrato costumar ser de curto prazo, variando de alguns dias a algumas semanas. Os custos, geralmente, são calculados com base no período de locação e na quilometragem percorrida. Ainda: os serviços incluídos no aluguel de carro podem variar, mas, não raro, incluem manutenção básica e seguro. O combustível costuma ser por conta do locatário. Essa opção é mais flexível em termos de duração e permite que motorista alugue diferentes tipos de veículos, conforme necessário.
  2. Automóveis por assinatura: o veículo por assinatura é um modelo de longo prazo, geralmente, com contratos que variam de meses a anos. Os custos desse tipo de carro costumam incluir uma taxa mensal fixa, que cobre vários serviços, tais como seguro, manutenção e, em alguns casos, até mesmo o combustível. Os serviços incluídos no carro por assinatura são mais abrangentes, contando com seguro, manutenção, assistência 24 horas e, em alguns casos, até mesmo a substituição do veículo em caso de avaria. Embora ofereça menos flexibilidade em comparação com o aluguel tradicional, o automóvel por assinatura tem a conveniência de um pacote abrangente de serviços, sem a preocupação de custos adicionais imprevisíveis.

Nesse cenário comparativo, enquanto o aluguel de carro é mais adequado para necessidades temporárias e flexíveis, o automóvel por assinatura é voltado para aqueles que desejam uma solução de longo prazo com serviços abrangentes incluídos em uma única taxa mensal. A escolha entre os dois dependerá de fatores como necessidades individuais, preferências e estilo de vida do condutor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *