Injeção eletrônica
Categories:

Injeção eletrônica: como identificar problemas?

A injeção eletrônica é um dos itens fundamentais para o funcionamento do carro nas últimas décadas, com função que impacta o tráfego socioambientalmente – sim, há aspectos positivos para o desempenho do veículo nas vias públicas, no bolso do condutor e também na redução de gases poluentes lançados no meio ambiente.

Fique por dentro sobre o que é a injeção eletrônica, o que é a luz da injeção eletrônica e o que ela comunica ao condutor quando está acesa ou piscando, além de dicas sobre como evitar danos ao sistema de injeção eletrônica de seu veículo.

Com as dicas e informações disponibilizadas pela Zapay, aprenda a conhecer ainda mais os itens do seu automóvel e também os cuidados necessários. 

Conheça nossos serviços e aprenda como quitar multas, taxas e tributos.

Parcele os débitos em até 12 vezes no cartão de crédito.

Você pode realizar a consulta de débitos veiculares

Vem que a Zapay lhe ajuda a deixar sua vida veicular em dia!

injeção eletrônica

O que é injeção eletrônica? 

Indo direto ao assunto: o sistema de injeção eletrônica foi criado com o objetivo de substituir os carburadores dos veículos e, consequentemente, melhorar o desempenho dos veículos de diferentes categorias.

É preciso ter em mente o contexto para que seja possível compreender de forma clara a importância da injeção eletrônica. E isso tem a ver com o desenvolvimento das cidades e a maior presença de veículos automotores nas ruas.

A lógica é simples: quanto maior o tráfego de automóveis – de todas as categorias -, maior será a emissão de poluentes no ar. Assim, temos um problema de ordem pública, devido à poluição do ambiente e às consequências para a qualidade de vida e a saúde humana e de todos os seres vivos envolvidos.

Assim, a indústria automotiva desenvolveu a injeção eletrônica, cujo sistema tem como função alimentar o combustível e evitar a poluição no campo e na cidade. 

Você pode estar se perguntando: mas como isso acontece? A Zapay explica:  o sistema de injeção eletrônica controla a mistura de ar e combustível do motor. Essa mistura entre ar e combustível é também chamada de mistura estequiométrica.

Com este controle mais eficaz da mistura admitida pelo motor, há maior economia de combustível – uma vez que há a mistura estequiométrica, que funciona de forma mais adequada. Além disso, é perceptível a melhora no desempenho do motor do veículo, com o uso de um circuito eletrônico de controle automotivo (um sistema automatizado).

Em outras palavras: a injeção eletrônica é boa para o meio ambiente, para o desempenho do veículo e também para o bolso do motorista. 😉

Vale ressaltar que a injeção eletrônica, a partir da mistura feita entre ar e combustível de forma mais equilibrada, evita que o automóvel se afogue e que o combustível possa ser utilizado de forma mais otimizada (de modo a evitar desperdícios).

O sistema de injeção eletrônica é composto principalmente pelos seguintes componentes:

  1. Central de informações: também conhecida como unidade de comando. Os sensores que enviam dados para esta central, que, por sua vez, controla o motor do veículo e a injeção de combustível. Ainda: é responsável pelo armazenamento de informações necessárias.
  2. Sensores: analisam o funcionamento do motor. Desse modo, as informações são transferidas para a central (referenciada acima), que, por sua vez, verifica a pressão, a proporção dos reagentes que queimam o combustível (gasolina, álcool ou diesel) e a temperatura do motor.  Caso seu veículo sofra uma pane elétrica, todos os dados ficam registrados. 
  3. Atuadores: são responsáveis pela queima do combustível no motor do automóvel, bem como pela alimentação, de modo a enviar comandos ao comando de unidade.

Dica da Zapay: tire suas dúvidas sobre as luzes do painel e aprenda a ler se há algo de errado com seu veículo. 

Qual é a função da injeção eletrônica? 

O sistema de injeção eletrônica chegou para substituir os carburadores, de modo a melhorar o desempenho dos veículos automotores e emitir menos poluentes no meio ambiente. 

Cabe à injeção eletrônica de cada veículo verificar informações e compará-las com as leituras gravadas em sua memória. O passo seguinte é o sistema enviar os dados para diversos sistemas atuadores.

Vejamos como se dá o funcionamento da injeção eletrônica neste passo a passo.

  1. Primeiro passo é dar a partida no automóvel – com este movimento os pistões farão um movimento de subida e descida. Depois, o sensor de rotação informará esta atividade à unidade do sistema de injeção eletrônica.
  2. Em seguida, o pistão gerará uma aspiração no coletor e um vácuo na atmosfera, que passará por uma borboleta de aceleração e também por um medido, até que chegue aos cilindros do motor.
  3. Esse é o caminho para que a Central de Comando possa ter a informação sobre o volume de ar admitido, de modo a identificar o eu fazer com essa unidade para permitir que as válvulas de pressão tenham a quantidade de combustível (seja ele qual for) adequado para o bom funcionamento do sistema de injeção eletrônica. O objetivo, assim, é estabelecer uma relação ideal (equilibrada) entre combustível e ar. 

O que estraga a injeção eletrônica? 

O bico ejetor de combustível, quando entupido ou sujo, pode trazer dores de cabeça ao condutor – portanto, é preciso estar alerta ao seu funcionamento. Ele é o motivo para que a maioria dos problemas na injeção eletrônica afetem o motor do veículo.

Mas por que isso acontece? Quando o bico ejetor está sujo ou entupido, ele pode borrifar muito combustível no sistema de combustão, o que é bastante prejudicial ao desempenho da injeção eletrônica. Afinal, é tão ruim quando borrifar pouco combustível.

É importante lembrar que o sistema de combustão demanda uma proporção específica na relação ar e combustível. Afinal, combustível a mais, por exemplo, dificulta a queima deste excesso e a rotação aumentará significativamente (mesmo com carga constante).

Ainda: quando o bico do ejetor de combustível ou mesmo a injeção eletrônica apresentam problemas, o bolso do proprietário do veículo logo sente também. Uma das características é uma significativa queda na economia de combustível utilizado pelo automóvel. 

E há uma explicação: nestas condições anormais, a ECU (Eletronic Control Unit; a Unidade de Comando do Motor) exigirá mais combustível do bico injetor, porém não o estará recebendo na câmara de combustão. Assim, quanto menos combustível chegar ao motor do veículo, menor será a economia de gasolina, álcool ou diesel. 

Portanto, se o bico do ejetor estiver entupido ou vazando, procure ajuda de profissionais especializados (novamente, o mecânico de sua confiança). 

Injeção eletrônica
Injeção eletrônica

O que acontece quando a luz da injeção eletrônica acende? 

Caso o condutor perceba que a luz da injeção eletrônica está acesa (não apaga), este é sinal de algo está fora do comum no funcionamento – o que remete a alguma diferença de performance.

Este sinal pode indicar que o eletroinjetor está sujo, que a vela ou o cabo de vela estão com problemas ou ainda que o combustível está adulterado. A dica é: fique sempre atento aos sinais!

Se perceber algum destes indícios, é necessário procurar ajuda especializada – ou seja o mecânico de sua confiança. Este profissional utilizará um aparelho chamado scanner para conseguir diagnosticar com precisão qual é o problema com a injeção eletrônica. 

Conheça mais alguns sinais que podem indicar problemas na injeção eletrônica:

  1. Motor vibrando.
  2. Marcha lenta irregular ou veículo morrendo.
  3. Vazamento de combustível. 
  4. Luz da injeção eletrônica piscando ou acesa.
  5. Pouca economia de combustível. Ou ainda: nenhuma economia de combustível.
  6. Aumento repentino da rotação do motor.
  7. Odor de combustível.
  8. Falha no teste de emissão.
  9. Falha na ignição.

Qual valor para arrumar injeção eletrônica? 

Vale a pena reforçar que, em caso de qualquer problema com a injeção eletrônica do seu veículo, é imprescindível procurar ajuda com um profissional especializado – o mecânico de sua confiança.

Mas quanto custa a manutenção da injeção eletrônica? É importante saber que este valor pode variar de uma oficina para outra e de uma localidade para outra. Em média, cobra-se R$200 pelo serviço de inspeção e limpeza do sistema. 

Outro ponto que pode trazer variação no preço são os equipamentos a serem utilizados no serviço. Portanto, é sempre válido pesquisar o valor dentre aquelas oficinas de boa referência. 

Quanto tempo posso andar com a luz da injeção acesa? 

Conforme já destacamos neste artigo, quando a luz da injeção eletrônica acende, é porque há algum problema com este sistema e, consequentemente, com o funcionamento do veículo.

Caso você perceba a luz acesa ou mesmo piscando, vá imediatamente até a oficina mecânica de sua confiança e preferência. Apenas um profissional qualificado é capaz de avaliar o sistema de injeção eletrônica, com os equipamentos compatíveis e necessários. 

Como resolver um problema de injeção eletrônica?

Para resolver o problema de injeção eletrônica do seu veículo – ou ainda para apagar estas luzes, quando acesas -, é fundamental que você dirija o seu veículo até uma oficina mecânica de confiança ou à concessionária. Um mecânico profissional utilizará o scanner para que o defeito seja rastreado.

Ao utilizar o scanner, será obtido um código de erro, com o qual será possível determinar a origem do problema no sistema de alimentação. Assim, com o reparo feito, a luz da injeção eletrônica se apagará sozinha.  

Caso a luz da injeção do veículo tenha acendido após o abastecimento no posto de gasolina, é também recomendável que o condutor se dirija até a oficina mecânica de sua confiança. Este sinal é uma indicação de que há combustível adulterado no automóvel e que não está sendo reconhecido pela sonda lambda. 

Pode ser gasolina com muito álcool ou ainda álcool com muita água. Por isso, é fundamental abastecer o veículo automotor em um posto de confiança e boa referência, que ofereça produtos bons e confiáveis. 

Após a avaliação na oficina mecânica e o abastecimento com combustível de qualidade, o carro poderá rodar. Depois de alguns quilômetros, o amigo motorista poderá perceber que a luz se apagará – afinal, o sensor lambda volta a reconhecer o combustível.

Esteja preparado para diferentes situações como seu veículo: problemas com luz do óleo, luz de temperatura e luz de bateria devem ser sempre resolvidos imediatamente. Diferentemente da luz de injeção, que permite que o o motorista conduza o veículo até a oficina de sua confiança, sem agravar o problema ou ainda danificar outras peças do automóvel. 

Dica da Zapay: Quer saber como lavar o motor do carro de forma segura? Então, leia este artigo que preparamos sobre o assunto.  

Curtiu o conteúdo e quer ficar sempre atualizado? Acompanhe nosso blog e as redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *