motor para bicicleta
Categories:

Vale a pena colocar um motor na bicicleta?

Uso bicicleta como meio de transporte e quer deixar a sua rotina ainda mais dinâmica? Então, conheça as vantagens do motor para bicicleta e tire suas dúvidas sobre essa possibilidade, amigo ciclista. 

Saiba mais sobre dicas acerca do motor de bicicleta, sua instalação e os cuidados para o melhor uso do veículo. Confira!

– Como funciona o motor para bicicleta? 

– Vantagens de uma bicicleta motorizada 

– Pode pedalar bike motorizada? 

– Precisa de documento para bicicleta motorizada? 

– Quanto tempo demora para amaciar o motor 80cc? 

– Qual o peso máximo que a bicicleta motorizada suporta? 

– Instalando um motor de bicicleta

Dica da Zapay: e o motor aspirado, o que é? Saiba mais nesse artigo especial sobre o tema.

Como funciona o motor para bicicleta?

Ao observar um motor de bicicleta, é importante ter em mente que ele funciona em três passos: admissão, compressão e explosão. Na admissão, a mistura entre ar e combustível entre no propulsor. Por sua vez, na compressão, tal mistura é comprimida no pistão. Finalmente, a explosão é a responsável pela geração da faísca, que libera energia e empurra o pistão para baixo.

Desse modo, as mencionadas etapas podem ser cumpridas em dois giros completos, ou seja, um motor de dois tempos, ou em quatro rotações, que é o caso do motor de quatro tempos.

Vale dizer que os motores de dois tempos são acionados pelo manete, já os de quatro tempos apresentam embreagem automática. Ainda: esse último é mais pesado, contudo, não exige tanta troca de óleo.

O amigo ciclista pode encontrar motor para bicicletas com 40, 50, 80 ou até mesmo 100 cilindradas (cc) – os motores mais comuns são os de 80 cc. Por sua vez, quando o assunto é a potência do motor, os modelos para bikes variam entre três e cinco HP. Os valores podem variar entre R$ 550 e R$ 3.600, a depender do kit e das cilindradas escolhidas. 

Para que funcionar, o ciclista deve pedalar para dar o impulso. Assim, ao soltar a embreagem, a roda girará para frente, juntamente com o magneto da bobina, o que é transformado em energia. É essa energia quem alimenta a bobina e é enviada ao CDI, o circuito eletrônico responsável por sinalizar para a bobina o momento em que deve iniciar o processo de faísca das velas do motor de forma adequada.

De maneira concomitante, a roda é forçada a girar quando o ciclista solta a embreagem. Assim, há o movimento do pistão, que, por sua vez, provoca uma passagem de ar de fora para o carburador.

Desse modo, quando a bicicleta é acelerada, a gasolina sair da cuba e acaba sendo puxada junto com o ar, misturando-os. É nesse instante que entram para a admissão pelas portas de transferência 

Dica da Zapay: conheça quais são os principais tipos de motor do carro.

Vantagens de uma bicicleta motorizada 

Há diversas vantagens quando um motor é instalado na bicicleta. Essa alteração é bastante indicada para quem percorre trajetos longos, afinal, une as características positivas de uma bicicleta comum aliadas ao conforto da mecanização.

A bicicleta motorizada costuma ser mais barata do que uma bike elétrica, além e contar com uma variedade maior de modelos. Mais um ponto positivo é que a bicicleta motorizada chega a velocidades mais altas no trânsito do que uma bicicleta comum. Desse modo, a motorização permite que o ciclista possa chegar mais rapidamente ao seu destino e com menos esforço.

Uma situação na qual a bike motorizada ajuda muito: quando há subidas no trajeto. Nesse caso, o motor ajuda na pedalada, de modo a comparar a sensação à de pedalar em uma planície.

Há vantagens também quando a comparação é com carros, já que as bicicletas motorizadas contam com a praticidade de encontrar locais para estacionar com muito mais facilidade, bem como as bikes comuns.

Quanto aos custos diários, há alívio ao bolso, uma vez que a bicicleta motorizada faz cerca de 65 quilômetros por litro de combustível e seu tanque suporta cerca de 2,5 litros. Essa é a quantidade feita com gasolina comum ou ainda com a mistura de gasolina com óleo, que é recomendado para maior durabilidade do motor. Fica a dica!

E não há segredos, pois, para abastecer uma bike motorizada, basta se dirigir até um posto de combustível comum. É importante se atentar às recomendações de cada fabricante, pois elas são específicas quanto à mistura de gasolina com óleo. Portanto, não vacile!

Contudo, de modo geral, a recomendação é que, ao rodar cerca de 500 quilômetros, deve-se misturar um litro de gasolina comum com 45 mililitros de óleo. Antes dessa marca, o ideal é misturar 60 mililitros de óleo, que pode ser comprado no posto ou ainda em lojas especializadas.

Dica da Zapay: você sabe quais são as diferenças entre motor 2 e 4 tempos? Então, vem que a Zapay lhe explica!

motor elétrico para bicicleta

Pode pedalar bike motorizada? 

Sim, amigo ciclista, você pode pedalar a sua bicicleta motorizada. Para tal, é necessário desligar o motor e, assim, o veículo será uma bicicleta normal que poderá ser pilotada normalmente, sem a necessidade de alterações no manuseio. 

Um ponto importante: tenha em mente que as bikes elétricas apenas podem ser utilizadas por maiores de 16 anos. 

Quais são os itens de segurança necessários para andar em uma bicicleta motorizada?

Ciclistas de bicicletas motorizadas devem dar atenção especial à segurança, o que inclui o uso de equipamentos específicos. A seguir, confira alguns itens básicos de segurança para ciclistas desses veículos:

 

  • Capacete: o uso de capacete é fundamental para proteger a cabeça em caso de quedas ou acidentes. Desse modo, escolha um capacete que atenda aos padrões de segurança locais.
  • Óculos de proteção: eles ajudam a proteger os olhos contra obstáculos como vento, poeira, insetos e detritos que podem ser levantados durante a condução.
  • Luvas: elas oferecem proteção para as mãos em caso de queda, além de proporcionar aderência ao guidão e ajudar a absorver parte das vibrações.
  • Vestuário de proteção: faça uso de roupas resistentes e, se possível, equipamento de proteção adicional, como jaquetas e calças com proteção contra abrasão.
  • Calçados adequados: escolha sapatos fechados e firmes para proteger os pés. Evite usar sandálias ou calçados abertos que não oferecem suporte adequado.
  • Iluminação: instale luzes dianteiras e traseiras em sua bicicleta para aumentar a visibilidade, especialmente durante a noite. Além disso, use refletores para ser visto por motoristas e outros ciclistas.
  • Sinalização sonora: bicicletas motorizadas, muitas vezes, são silenciosas, e, por conta disso, tenha uma campainha ou buzina eficaz para alertar pedestres e outros veículos sobre sua presença.
  • Espelhos retrovisores: instale espelhos retrovisores para ter uma visão mais ampla do tráfego ao seu redor, facilitando as mudanças de faixa e a tomada de decisões seguras.
  • Cadeados e dispositivos antifurto: proteja sua bicicleta motorizada contra roubo utilizando cadeados robustos e outros dispositivos antifurto.
  • Manutenção preventiva: faça manutenção regular na sua bicicleta motorizada, o que inclui verificação dos freios, pneus, corrente e sistema elétrico.
  • Conhecimento das leis locais: esteja ciente das regulamentações específicas para bicicletas motorizadas, de acordo com a legislação brasileira, incluindo limites de velocidade, onde você pode andar e outras regras de trânsito aplicáveis.

Precisa de documento para bicicleta motorizada?

Lembre-se: quem tem uma moto pequena e de poucos cilindros deve ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria A para conduzir tal veículo. Essa regra é válida para donos de vespas, cinquentinhas, mobiletes, Biz, ciclomotores ou ainda de uma e-bike – para esses modelos é necessário ter a Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC). 

Quanto tempo demora para amaciar o motor 80cc?

Para subir na e-bike somente andando no motor, sem a assistência dos pedais, é necessário de potência para que entre em ação, além da capacidade de manter velocidade, que é o mais importante.

Nesse cenário, o motor de 80 cc é a melhor opção, afinal, junto com o modelo de quatro tempos, ele pode atingir altas velocidades para esse modelo, além de possuir excelente desempenho de partida.

Assim, a depender das condições, atinge até 65 km/h. Essa não é uma velocidade necessária para escalar, porém pode ser til em cetras situações. 

Se o intuito é amaciar o motor, o ciclista precisa dirigir a uma velocidade máxima de 25 km/h nos primeiros 500 quilômetros – tenha isso em mente. Durante esse processo de amaciamento, a recomendação é que o ciclista ande nas superfícies mais planas possíveis, de modo a não colocar muita pressão no motor. Ou seja, não é bom fazer muita subida durante os primeiros 500 quilômetros.

motor de bicicleta

Qual o peso máximo que a bicicleta motorizada suporta? 

Durante o período de amaciamento, não é indicado andar com mais de 100 quilos na bicicleta. Afinal, quanto mais pesado, maior será o desgaste do motor – é a mesma lógica utilizada para carros e caminhões, por exemplo.

Mesmo se o amigo ciclista estiver conduzindo sem forçar o motor (situação que ocorre quando se acelera em demasia), se ele estiver pedalando com 120 quilos ou mais, haverá desgaste acelerado do motor.

Vale destacar que o design do motor foi projetado para o uso pessoal. Ainda: é importante saber que o motor não estará à altura. Assim, o motor de 80 cc (66 cc) é bastante potente, de modo que não causará decepção nas subidas.

Instalando um motor de bicicleta

O primeiro passo para a instalação de um motor para bicicleta é retirar a roda e o pneu traseiro do veículo para que a coroa possa ser inserida. É fundamental que a coroa fique centralizada, para que fique firme durante a utilização – é necessário ter cuidado para que o paralama não quebre durante esse processo. Depois que a instalação for concluída, basta colocar a roda na bicicleta novamente.

A segunda etapa é colocar o propulsor no quadro da bike. Fique atento, pois, essa instalação deve ser realizada com cuidado para que a precipitação não estrague o veículo ou ainda cause desconforto no condutor. Os parafusos precisam ser bem apertados para que o motor possa ficar firme no quadro. Não vacile!

Em seguida, a corrente deve ser encaixada por dentro do motor. Para tal, o ciclista deve apertar a embreagem enquanto empurra a peça. Não raro, as correntes costumam ser maiores, para que possam se adaptar a qualquer modelo de bike. Desse modo, é possível que seja necessário retirar um pedaço dela para que fique devidamente ajustada. 

Vale destacar que a instalação do escapamento é realizada a partir da aplicação da peça no motor, com os devidos ajustes. Em seguida, deve-se fazer a ligação do CDI à bobina. Ainda: na hora de colocar o tanque, a recomendação é que seja instalado junto a um pedaço de borracha adaptado ao tamanho dele, de modo que nem a bicicleta em questão e nem a própria peça estraguem. Depois, deve-se apertar os parafusos somente o necessário para que o tanque fique firme, sem forçar os parafusos. 

Saiba que o filtro não costuma apontar qual o lado correto de instalação, porém, a recomendação é que a parte transparente deve ser a entrada da gasolina. Desse modo, o combustível é filtrado, além de ser possível observar quando for necessário efetuar a troca da peça.

Finalmente, o ciclista deve instalar os fios na direção e o punho do acelerador. Os cabos devem estar ligados na bobina. O freio bem como outros acessórios devem ser instalados nesse momento também.

Quais são os cuidados que todo ciclista deve ter com bicicletas motorizadas?

É fundamental ter em mente que ciclistas que utilizam bicicletas motorizadas, como as bicicletas elétricas, devem ter alguns cuidados específicos para garantir sua segurança e o bom funcionamento do veículo. Confira alguns pontos de atenção essenciais e garanta o melhor uso de sua bicicleta:

  • Manutenção regular: verifique regularmente componentes como freios, pneus, corrente, dentre outros.  Assim, você irá garantir que eles estejam em boas condições em sua bicicleta motorizada.
  • Verificação da bateria: certifique-se de que a bateria está carregada antes de sair para um passeio. Ainda: siga as instruções do fabricante sobre o carregamento e armazenamento adequados.
  • Conhecimento do sistema elétrico: familiarize-se com o sistema elétrico da bicicleta, incluindo o funcionamento do motor, controle de velocidade e sistema de assistência elétrica.
  • Utilização adequada do acelerador: faça uso do acelerador com cuidado e de forma progressiva, para evitar arrancadas bruscas. Esse cuidado não apenas prolongará a vida útil da bicicleta motorizada, como também proporcionará uma experiência de condução mais segura.
  • Respeito às leis de trânsito: observe as regras de trânsito locais, incluindo limites de velocidade, sinalizações e semáforos. Lembre-se de que, em muitas jurisdições, as bicicletas motorizadas são regulamentadas como veículos a motor – como é o caso da legislação brasileira.
  • Equipamento de segurança: use sempre capacete e, se necessário, outros equipamentos de segurança, como joelheiras e cotoveleiras.
  • Visibilidade: torne-se o mais visível possível, especialmente em condições de pouca luz. Use luzes dianteiras e traseiras, além de roupas reflexivas.
  • Estacionamento seguro: ao estacionar a bicicleta motorizada, escolha locais seguros e utilize dispositivos de segurança, como cadeados, para evitar roubos.
  • Treinamento adequado: se você, amigo ciclista, não tem experiência com bicicletas motorizadas, considere fazer um treinamento para aprender as técnicas corretas de condução e manutenção.
  • Seguro: verifique se a sua bicicleta motorizada está coberta por um seguro adequado, caso seja necessário.

 

Lembre-se sempre de verificar as regulamentações específicas do local onde você está utilizando a bicicleta motorizada. Adotar práticas seguras não apenas protegerá o amigo ciclista, mas também contribuirá para a segurança de outros usuários da via. Afinal, zelar pela vida é um dever de todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *