Categories:

Velas de ignição: quando trocar?

Saiba as principais dicas e cuidados na manutenção com as velas de ignição do carro

Manter a manutenção do veículo em dia é uma das melhores maneiras de economizar combustível, como já explicamos no Blog da Zapay. Dentro desse contexto, um dos elementos mais importantes para o funcionamento do motor são as velas de ignição, que garantem a queima da mistura ar-combustível na câmara de combustão. Mas, afinal, quando é necessário trocar as velas do carro?

Antes de tudo, é importante entender como funcionam as velas de ignição. Esses componentes recebem a tensão elétrica gerada pela bobina e a convertem em centelha – ou faísca – a partir dos eletrodos. É nesse momento que se inicia a queima da mistura ar-combustível na câmara de combustão. De acordo com o projeto do veículo, as velas podem ser acompanhadas ou não dos cabos de vela.

Quando as velas, cabos e bobinas estão em bom estado e a mistura ar-combustível está na proporção correta – o que é feito pelo gerenciamento eletrônico do motor –, a combustão tende a ser a ideal, com a maior eficiência possível e o menor consumo de combustível. 

Uma das dúvidas dos motoristas é “como saber se a vela do carro está ruim?”. Sinais que podem indicar problemas com as velas e demais componentes do sistema de ignição do motor são falhas nas retomadas de velocidade, perda de potência, marcha lenta oscilante e aumento de consumo.

Velas de irídio valem a pena?

Com o avanço das tecnologias dos motores dos carros, as velas de ignição também tiveram que acompanhar o ritmo para aumentar a eficiência da combustão. Daí surgiram as chamadas velas especiais, que utilizam materiais como platina e irídio na ponta do eletrodo.

Estes dois são elementos mais nobres do que o utilizado em uma vela comum e proporcionam melhor condutividade elétrica e maior intensidade da centelha. Com isso, a queima da mistura ar-combustível acaba sendo mais eficiente. As velas de irídio e de platina podem proporcionar partidas mais rápidas, marcha lenta mais estável e acelerações mais progressivas.

Por conta do uso de material mais sofisticado, as velas de ignição de irídio e platina costumam ser mais caras na hora da reposição. Apesar disso, tendem a apresentar maior durabilidade do que as velas convencionais – o que vamos detalhar a seguir. 

O que o motorista deve se atentar na hora da manutenção das velas de irídio ou platina é com a recomendação prevista no manual: se o fabricante determinar o uso de velas especiais, jamais opte pelas velas comuns. Já no caso inverso, em motores que tenham recomendação de uso de vela comum, o motorista opcionalmente pode utilizar velas de maior performance, sem risco de prejudicar a durabilidade do motor. 

Quando trocar as velas de ignição do carro?

O estado de velas e cabos de vela (quando houver) deve ser verificado a cada manutenção programada do veículo, sempre seguindo a recomendação do manual do veículo. Caso não haja uma recomendação expressa, a inspeção das condições das velas de ignição deve ser feita a cada 10 mil quilômetros ou anualmente.  

O prazo exato de substituição varia bastante entre cada tipo de motor e de velas (comuns ou especiais). Ainda que o manual oriente em relação aos intervalos de manutenção, a verificação periódica pelo mecânico é essencial para que seja realizada a troca preventiva, antes que o componente apresente falhas que resultem em perda de performance e aumento do consumo de combustível.

Segundo os fabricantes, a durabilidade das velas é definida de acordo com os testes estabelecidos pelas montadoras e pode variar, em média, entre 40 mil e 100 mil quilômetros. Nos motores em que houver cabos de vela, eles devem ser substituídos em conjunto. Um cabo de ignição danificado pode provocar interferências eletromagnéticas e fuga de corrente, causando falhas no funcionamento das velas. 

Além da manutenção preventiva, os motoristas podem evitar problemas e a troca precoce das velas com um cuidado em especial: a qualidade do combustível utilizado no carro. Sempre busque postos de confiança ao abastecer, já que gasolina e etanol adulterados podem provocar a carbonização dos eletrodos e a redução da vida útil das velas.

Agora que você já sabe quando trocar as velas de ignição do carro, que tal conhecer outros conteúdos automotivos aqui no Blog da Zapay? Você pode navegar por artigos sobre legislação de trânsito, impostos, multas, lançamentos e muitos mais. E se você quiser consultar débitos de veículos, pode contar com a Zapay para realizar o pagamento parcelado de multas, IPVA e licenciamento em até 12x! É rápido, fácil e seguro. 

Imagens: Arquivo/Envato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *