ecovias
Categories:

O que é a operação descida Imigrantes

Paulistas e paulistanos que vão para o litoral, sobretudo, para as praias de Santos e Guarujá costumam pegar a Rodovia dos Imigrantes, que é administrada pela Ecovias.

Confira as nossas dicas sobre como encarar as operações Descida e Subida da melhor maneira possível, como é feito esse esquema, quais os cuidados necessários, dentre outros pontos.

– O que é a operação descida Imigrantes? 

– A operação descida tem horário certo para acontecer? 

– Quais são os cuidados que o motorista deve ter? 

– A operação descida é só para carros? 

– Como ficam as motos? 

– E os caminhões? 

– Na Anchieta também acontece a operação descida? 

– Existe a operação subida Imigrantes?

Dica da Zapay: saiba qual é a diferença entre rodovias e estradas.

O que é a operação descida Imigrantes? 

A Operação Descida Imigrantes oferece aos condutores as opções da pista Norte e Sul dessa rodovia ou a pista Norte da Via Anchieta. Quem desce pode contar apenas com a pista Sul da Anchieta.

O que é a Rodovia dos Imigrantes e a Via Anchieta?

É importante que o amigo condutor tenha em mente que o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI) diz respeito à principal ligação entre a região metropolitana de São Paulo e o Porto de Santos, que é o maior da América Latina, além do Polo Petroquímico de Cubatão, das indústrias do ABCD e da Baixada Santista.

Desde o ano de 1998, o trecho é administrado pela empresa Ecovias dos Imigrantes, sob o edital de licitação nº 015/CIC/97, de lote 22, junto ao Governo do Estado de São Paulo e regulamentado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transportes do Estado de São Paulo – ARTESP.

Assim, a concessionária é responsável pela exploração e pela manutenção do sistema rodoviário de 176,8 quilômetros de extensão e pela prestação de serviços aos cerca de 40.000.000 de veículos que circulam anualmente pelo SAI.

Os trechos que compõem o SAI são:

  • SP 150 – Rodovia Anchieta: do km 9+700 até o km 65+600. Ao todo, 55,9 quilômetros.
     
  • SP 160 – Rodovia dos Imigrantes: do km 11+460 até okm 70. Ao todo, 58,54 quilômetros.
     
  • SP 040/150 – Interligação Planalto: tem oito quilômetros de extensão, ligando as rodovias Anchieta e Imigrantes no alto da Serra, altura do km 40.
     
  • SP 059/150 – Interligação Baixada: tem 1,8 quilômetros de extensão. Liga as rodovias Anchieta, na altura do km 59, e Imigrantes, no km 62.
     
  • SP 248/55 – Rodovia Cônego Domênico Rangoni: do km 270 ao km 248, em Cubatão, e do km 1 ao km 8, no Guarujá. É também conhecida como Piaçaguera-Guarujá, a rodovia tem 30,6 quilômetros sob concessão.
     
  • SP 055 – Rodovia Padre Manoel da Nóbrega: do km 270 ao km 292. Ao todo, são 21,6 quilômetros que ligam a região de Cubatão à Praia Grande.
     

Dica da Zapay: conheça o guia completo das rodovias do país.

A operação descida tem horário certo para acontecer? 

Para o último feriado de finados (2 de novembro), a concessionária Ecovias estimou a passagem entre 220.000 e 340.000 veículos pelo sistema Anchieta-Imigrantes em direção à Baixada Santista, por exemplo.

Assim, a partir das 16h do dia 1º de novembro, foi implantada a Operação Descida (7×3), que funcionou até cerca de 20h. Nesse processo, os veículos que seguiram em direção ao litoral puderam usar as pistas Sul e Norte da Via Anchieta e a pista Sul da Rodovia dos Imigrantes.

Para subir, os condutores puderam seguir somente pela pista Norte da Rodovia dos Imigrantes. 

A Operação Descida ocorreu também no dia do feriado, das 8h às 15h. 

Vale dizer o retorno à capital paulista, a Operação Subido (2×8) funcionou na noite do dia 4 de novembro, entre 19h e 22h, e no dia 5 e novembro, entre as 10h e as 23h59. A subida foi feita pelas duas pistas da Rodovia dos Imigrantes e pela pista norte da Via Anchieta – já a descida foi feita apenas pela pista Sul da Via Anchieta.

Desse modo, a inversão de sentido das rodovias durante as operações de tráfego aconteceu somente no trecho de serra, entre o km 40 e o km 55 da Via Anchieta e do km 40 ao km 58 da Rodovia dos Imigrantes.

Dica da Zapay: desça engrenado na serra – confira as dicas sobre esse gesto.

rodovia dos imigrantes

O que é a Ecovias?

A Ecovias trata-se de uma empresa de infraestrutura cujo foco está na gestão e na operação de concessões rodoviárias, com sede na cidade de São Paulo (SP). Hoje, o grupo EcoRodovias é uma das principais companhias de infraestrutura de nosso país e também do mundo, com 24 concessões e 10 concessionárias de rodovias, que somam mais de 5.600 quilômetros de extensão, sendo mais de 4.000 apenas no Brasil.

Uma curiosidade importante: a Ecovias é uma empresa listada no Novo Mercado da B3 desde 2010, sob o nome de ECOR3. A empresa conta com 48,1% de suas ações detidas pelo mercado e o controle é feito pelo Gruppo ASTM.

As subsidiárias da empresa são:

  • Ecovias.
  • Ecopistas.
  • Ecosul.
  • Eco101.
  • Ecoponte.
  • Eco135.
  • Eco050.
  • Ecovias do Cerrado.
  • Ecovias do Araguaia.
  • EcoRioMinas.
  • Eco135.
  • Eco050.
  • Ecoporto Santos.
  • Ecopátio.
  • Ecovias do Cerrado.

Quais são os cuidados que o motorista deve ter? 

Ao descer a serra utilizando as rodovias administradas pela Ecovias, é essencial que os motoristas estejam atentos e adotem medidas de segurança adequadas. Confira alguns cuidados que os condutores devem ter na operação de descida da serra pela Ecovias ou mesmo rodovias similares:

  • Freios em bom estado: certifique-se de que os freios do veículo estejam em boas condições. Vale a pena verificar regularmente o sistema de freios para evitar problemas durante a descida.
  • Velocidade controlada: reduza a velocidade ao descer a serra. Faça uso dos freios de forma suave e constante para evitar superaquecimento. Ainda: evite frear bruscamente para não comprometer o sistema de freios.
  • Faixa certa: mantenha-se na faixa da direita, especialmente se estiver em uma via com declives acentuados. Esse cuidado permite que automóveis mais rápidos ultrapassem com segurança.
  • Marcha adequada: utilize a marcha adequada para a descida. Vale frisar que muitos veículos têm a opção de troca de marchas sequencial ou controle de marcha. Se possível, use uma marcha mais baixa para ajudar no controle da velocidade.
  • Atenção às placas de sinalização: observe e respeite as placas de sinalização específicas para descidas de serra. Elas, geralmente, indicam limites de velocidade recomendados e outras informações relevantes.
  • Distância de segurança: mantenha uma distância segura do veículo à frente, pois, isso lhe proporcionará tempo suficiente para reagir a qualquer situação de emergência.
  • Atenção às condições climáticas: esteja ciente das condições climáticas, sobretudo, em dias chuvosos. A pista pode ficar escorregadia e a visibilidade pode ser reduzida. Lembre-se: reduza a velocidade nessas condições.
  • Verificação do sistema de freios após a descida: depois de descer a serra, faça uma verificação dos freios para garantir que não tenham superaquecido. Um superaquecimento excessivo pode comprometer a eficiência dos freios, por exemplo.
  • Evitar ultrapassagens arriscadas: evite ultrapassagens em trechos perigosos ou em curvas. Mantenha-se na faixa da direita e ultrapasse apenas em locais seguros. Zele pela segurança de todos. 
  • Descanso e paradas: se a descida for longa, faça pausas para descanso, principalmente se estiver dirigindo por um período prolongado. Esse cuidado ajuda a manter a atenção e a concentração.

Lembrando que essas são recomendações gerais, de modo que a legislação de trânsito e as indicações específicas da concessionária devem ser seguidas e respeitadas. Sempre esteja atento às condições da estrada e dirija de maneira defensiva para garantir a segurança de todos na via, amigo motorista.

imigrantes agora

A operação descida é só para carros? 

Não, outros veículos, além de carros, podem participar também.

Como ficam as motos? 

As motos podem participar da operação descida. Aliás, a Rodovia dos Imigrantes é bastante apreciada por motociclistas.

E os caminhões? 

É importante ter em mente que a Rodovia dos Imigrantes é proibida para veículos pesados, que é o caso de caminhões. E o motivo para tal medida é a segurança. Porém, vale dizer que a Via Anchieta não é exclusiva para caminhões e ônibus.

Na década passada, a Ecovias fez um convênio com o Departamento de Engenharia e aeronáutica da Universidade de São Paulo (USP) São Carlos para a realização de novos estudos sobre o desempenho de frangem de veículos pesados na pista de descida da Rodovia dos Imigrantes. 

Assim, durante os anos de 2004 e 2005 foram feitos 76 testes de descida com automóveis de diferentes pesos, entre 4 e 74 toneladas. As avaliações contaram com a participação de 50 especialistas, como empresas fabricantes de sistemas de freios, profissionais de montadoras, policiais e acadêmicos.

Os resultados do levantamento apontaram que o movimento gerado pelos veículos pesados em declividade acentuada não pode ser controlado apenas pelo motor, o que torna necessário o uso excessivo do freio de serviço – fato que pode provocar sobreaquecimento e perda total do freio. 

Mesmo com a pesquisa sendo repetida em 2012, comprovou-se, mais uma vez, que caminhões (veículos comerciais) não apresentam condições de atender aos requisitos em rampas com 6%  de declividade.

De acordo com a Ecovias, a Rodovia dos Imigrantes apresenta três características que são consideradas para proibir a descida de caminhões.

  1. Trecho de 11 quilômetros de descida com declividade média de 6%, ou seja, a cada 100 metros percorridos, o condutor desce seis.
  2. Geometria reta, característica que favorece a aceleração involuntária do automóvel e exige o uso do freio de serviço, o que aumenta o risco de superaquecimento e consequente perda do freio.
  3. Longos túneis, que cobrem 70% do trecho. Devido a essa característica, cria-se um ambiente confinado que exige muita atenção.

Na Anchieta também acontece a operação descida? 

Durante a Operação Subida, ocorre a descida, que é realizada somente pela pista Sul da Via Anchieta. 

Segundo a Ecovias, existe a inversão da mão de direção nas rodovias da SAI, durante as operações especiais de tráfego – tal inversão acontece apenas no trecho de serra, entre os km 40 e 55 da Via Anchieta, além do km 40 ao 57 da Imigrantes.

Existe a operação subida Imigrantes?

Vale destacar que quando a Operação Subida está em vigor, as pistas Sul e Norte da Rodovia dos Imigrantes, além da pista Norte da Via Anchieta, ficam disponíveis para a subida da serra. Por sua vez, a descida ocorre apenas pela pista Sula da Rodovia Anchieta.

Como o motorista pode se preparar para pegar trânsito muito intenso durante uma viagem ou um feriado prolongado?

Pegar trânsito intenso durante uma viagem pode ser desafiador, porém, alguns cuidados e preparativos podem ajudar a tornar a experiência mais suave e segura. Fique por dentro de algumas dicas para se preparar para enfrentar o trânsito intenso em um feriado prolongado:

  • Planejamento antecipado: antes de iniciar a viagem, pesquise as condições do trânsito nas estradas que você planeja percorrer. Use aplicativos de navegação e mapas on-line para verificar se há congestionamentos, obras ou incidentes ao longo do caminho.
  • Horários estratégicos: tente planejar sua viagem para evitar os horários de pico, se possível. Muitas vezes, viajar no início da manhã ou tarde da noite pode proporcionar uma experiência mais tranquila nas estradas.
  • Atualizações em tempo real: mantenha-se atualizado sobre as condições do trânsito em tempo real. Utilize aplicativos de trânsito que fornecem informações em tempo real sobre congestionamentos, acidentes e obras.
  • Revisão do veículo: certifique-se de que o automóvel está em boas condições antes da viagem. Verifique os fluidos, os pneus, os freios e outros componentes importantes, afinal, uma quebra no meio do trânsito intenso pode ser ainda mais estressante.
  • Abastecimento antecipado: avalie se o tanque de combustível está cheio antes de iniciar a viagem. Evitar paradas desnecessárias em postos de gasolina pode economizar tempo, especialmente se estiver enfrentando congestionamentos.
  • Itens de emergência: tenha uma caixa de ferramentas básica, um kit de primeiros socorros e outros itens de emergência no carro. Afinal, nunca se sabe quando pode ocorrer um problema – e estar preparado pode fazer a diferença.
  • Entretenimento a bordo: leve itens para entretenimento, especialmente se houver crianças a bordo. Livros, jogos, música ou dispositivos eletrônicos podem ajudar a manter um ambiente mais tranquilo durante o trânsito intenso.
  • Lanches e água: tenha lanches leves e água disponíveis no carro. Além de fornecer energia durante a viagem, isso evita a necessidade de fazer paradas frequentes para alimentação.
  • Rotas alternativas: esteja preparado para ajustar sua rota com base nas condições do trânsito em tempo real. Às vezes, uma rota alternativa pode ser mais eficiente do que seguir o plano original.
  • Paciência e mentalização: esteja disposto mentalmente para o trânsito intenso. Mantenha a calma, respire fundo e esteja ciente de que imprevistos podem acontecer. A paciência é fundamental para lidar com situações estressantes na estrada.

Tenha em mente que a segurança é sempre a prioridade. Se as condições do trânsito estiverem muito difíceis, considere adiar a viagem ou procurar rotas alternativas mais seguras, amigo motorista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *