descer engrenado
Categories:

Desça engrenado, inclusive se o carro tiver câmbio automático

Seja em um feriado, seja nas férias, a maior parte das pessoas adora descer a serra e curtir uma praia, com a família ou com os amigos. Mas como descer engrenado? A Zapay lhe ajuda a saber como realizar esse movimento com segurança.

Saiba o que é descer engrenado e quais são os cuidados essenciais que todo motorista deve tomar ao descer a serra. Ainda: nunca use como artifício deixar o carro na banguela – você aprenderá que esse gesto é perigoso e nada econômico. 

– Desça com o carro engrenado 

– Mantenha distância dos outros carros 

– Cuidado com a neblina e chuva 

– Atenção especial nas curvas 

– Viagens à noite

Dica da Zapay: fique por dentro sobre como funciona o câmbio CVT.

Desça com o carro engrenado 

Ao conduzir o veículo com a marcha engrenada o motorista estará garantindo estabilidade, além de oferecer mais eficiência no momento de frenagem do motor. Mas por que esse cuidado é importante? Ele permite que o freio não necessidade ser acionado o tempo todo durante a descida do automóvel, de modo a preservar o sistema do carro.

Quando o freio é utilizado em excesso pode ocorrer um considerável aumento na temperatura do sistema de freio, de modo que é ideal fazer uso do freio motor. Por intermédio da redução de marchas, pode-se evitar com que haja uma sobrecarga, de modo a preservar todos os equipamentos do veículo.

Caso o veículo do amigo condutor seja um com câmbio manual, a recomendação é descer a serra fazendo uso da mesma marcha que seria usada na situação de subida, para que seja possível preservar os freios. 

Porém, se o câmbio do automóvel for automático, ele fará essa redução sozinho, mas, se a rotação do motor estiver demasiadamente baixa, será necessário acionar o freio de forma manual por intermédio da alavanca de câmbio ou borboletas no volante, quando houver.

O amigo condutor deve ainda tomar cuidado quanto à neblina e à chuva – fenômenos naturais que quase sempre estão presentes durante a descida da serra. Por conta disso, é indicado reduzir a velocidade do automóvel e se atentar às sinalizações da estrada, além de manter uma distância segura em relação ao veículo à frente.

Dessa maneira, além de preservar os freios, é possível evitar acidentes e outras dores de cabeça na viagem.

Mantenha distância dos outros carros 

A recomendação é que o condutor mantenha uma distância em relação ao veículo da frente no momento da descida. Assim, ele não será obrigado a frear mais do que a situação já demanda e nem haverá riscos de colisão em caso de freadas bruscas. Se for possível, o ideal é que o motorista procure o espaço em relação ao veículo de trás também – afinal, caso o automóvel dessa pessoa derrape em freada, esse cuidado diminuirá o risco de que o veículo na frente (o seu) seja atingido. 

Dica da Zapay: conheça os principais modelos de carros e escolha quais são os seus favoritos. Uma escolhe difícil aos apaixonados por automóveis, não é mesmo?! 😉

Cuidado com a neblina e chuva 

Conforme já destacamos nesse artigo, é bastante comum que na descida da serra o amigo condutor se depare com neblina ou esmo com chuva. Em ambas as situações, a atenção deve ser redobrada. Para enfrentar essas adversidades, é necessário usar farol de neblina ou baixo – nunca faça uso do farol alto.

O motorista deve se atentar também ao velocímetro, para que o limite da via não seja ultrapassado. Afinal, não raro, pode ser que o condutor não perceba que está mais rápido do que deseja. 

Uma dica para manter o caminho correto é o motorista se basear nas marcações de tinta que constam na via pública que está sendo trafegada. Ainda: nessas condições, não é recomendável que sejam feitas ultrapassagens.

Conheça as dicas para que o motorista possa enfrentar tanto a neblina quanto a chuva com segurança:

Neblina:

  1. Diminua a velocidade e mantenha uma distância segura em relação ao veículo da frente, pois a visibilidade será reduzida.
  2. Ligue os faróis baixos e os faróis de neblina, se tiver. Não use faróis altos, pois isso pode causar reflexos na neblina e piorar a visibilidade.
  3. Mantenha os limpadores de para-brisa em boa condição e use o desembaçador para manter o vidro livre de condensação.
  4. Use os sinais de direção e os freios com antecedência para alertar os motoristas que estão atrás de você.
  5. Evite colocar o carro em ponto morto ao descer uma colina, pois isso reduzirá a capacidade de controle.
  6. Evite ultrapassagens e manobras arriscadas, pois a visibilidade pode ser insuficiente para garantir a segurança.

Chuva:

  1. Aumente a distância entre você e os veículos à frente e reduza a velocidade ajuda a evitar colisões.
  2. Mantenha os faróis baixos ligados para melhorar a visibilidade e ligue os limpadores de para-brisa para remover a água.
  3. Esteja ciente de que a estrada estará escorregadia quando molhada, portanto, evite manobras bruscas.
  4. Aumente a distância de seguimento, pois a distância de frenagem é maior em superfícies molhadas.
  5. Em poças de água profundas, reduza a velocidade para evitar a aquaplanagem (quando os pneus perdem contato com a estrada devido ao acúmulo de água).
  6. Evite frear de forma brusca, sobretudo, em estradas molhadas, para evitar derrapagens.
  7. Esteja ciente de que as faixas de sinalização e setas no asfalto podem ficar escorregadias quando molhadas.
  8. Use o sistema de desembaçamento para manter os vidros livres de condensação e embaçamento.

Lembre-se sempre, amigo motorista: em condições de neblina e chuva, paciência e atenção são fatores essenciais. Se as condições piorarem consideravelmente, a dica é encontrar um local seguro para estacionar e aguardar até que as condições melhorem.

Em todas as situações, siga a legislação de trânsito, esteja atento ao que acontece ao seu redor e ajuste a velocidade e o comportamento de acordo com as condições adversas. Uma condução defensiva e segura deve sempre ser a prioridade.

descer engrenado

Atenção especial nas curvas 

Quando surgirem as curvas na serra, a recomendação é que o condutor mantenha como referência a faixa do lado de dentro da curva. Imagine a seguinte situação: em caso de curva para esquerda, o motorista deve manter o foco da visão na faixa da esquerda. Mas por que isso? Oras, há uma tendência de mover os braços para o local onde se olha e, nesse caso, há o risco de sair da tangência da curva.

A seguir, fique por dentro sobre alguns cuidados que todo motorista deve ter nas curvas:

  1. Reduzir a velocidade: trafegar em curvas exige uma redução de velocidade adequada para garantir que o condutor possa contorná-las com segurança. O ideal é entrar na curva em uma velocidade que permita que o motorista a percorra de maneira controlada.
  2. Observar os sinais de trânsito: atente-se aos sinais de velocidade recomendada e às placas de advertência de curvas à frente. Esses sinais oferecem orientações importantes para a segurança na estrada.
  3. Usar a faixa correta: mantenha-se na faixa correta da estrada ao entrar em uma curva. Evite fazer curvas acentuadas ou invadir a faixa oposta.
  4. Antecipar a curva: a dica é olhar adiante e antecipar a curva, de modo a ajustar a velocidade e a posição na estrada com antecedência.
  5. Frear antes da curva: se necessário, freie antes de entrar na curva e faça uso do freio motor para controlar a velocidade enquanto a percorre.
  6. Evitar frenagens bruscas: evite frear com intensidade e repentinamente enquanto estiver na curva, pois isso pode causar derrapagem e perda de controle.
  7. Manter as mãos no volante: mantenha ambas as mãos no volante para ter um controle preciso do veículo enquanto passa pelas curvas.
  8. Olhar para o além da curva: observe para onde a curva termina, não apenas para onde ela começa. Esse cuidado ajuda a manter uma visão ampla da estrada.
  9. Acelerar suavemente: ao sair de uma curva, acelere de forma suave para retomar a velocidade desejada.
  10. Evitar ultrapassagens em curvas: evite ultrapassar outros veículos em curvas, pois sua visibilidade pode ser limitada e a manobra pode ser perigosa.
  11. Estar atento ao tráfego: esteja atento a outros veículos que possam estar ao seu redor. Mantenha uma distância segura e esteja preparado para reagir às ações de outros motoristas.
  12. Evitar distrações: permaneça com o foco na estrada e evite distrações, como o uso de dispositivos eletrônicos.
  13. Estar apto a adaptar-se às condições: é fundamental levar em consideração as condições climáticas e da estrada. Por exemplo, estradas molhadas ou escorregadias requerem uma abordagem ainda mais cautelosa.

Viagens à noite

A priori, recomenda-se que o condutor evite viajar à noite por estradas desconhecidas (seja a descida da serra ou mesmo o tráfego em estradas planas). Esse cuidado deve ser tomado devido ao risco de ausência de sinalizações horizontais e verticais. 

É interessante que o condutor tome alguns cuidados ao viajar por rodovias, como providenciar a checagem do carro, mesmo que seja um percurso pequeno; os faróis devem estar acesos, para que o motorista possa ver o entorno e à frente, além de ser visto; os pneus devem estar calibrados e em bom estado; e vale a pena também verificar se os bicos dos pneus estão em bom estado, sem trincos na base, para que não haja o risco de esvaziamento abrupto desses componentes pela quebra dos bicos. 

Antes de iniciar a viagem, o motorista deve levar o carro a uma oficina mecânica de confiança, para que o motor possa ser revisado, para que o óleo e o nível do radiador estejam deforma adequada.

Atente-se ainda à presença e ao estado dos equipamentos de porte obrigatório, amigo condutor, sobretudo pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além de limpadores de para-brisa e luzes do automóvel.

Saiba os motivos pelos quais o condutor nunca deve descer a serra na “banguela” e evite acidentes

Sabe quando surge um longo trecho em decline e aquele motorista, que quer dar uma de espertinho, coloca o carro em ponto-morto para aproveitar o embalo e, quem sabe, economizar um pouco de combustível? Pois, então, não seja esse condutor. Popularmente conhecido como descer na banguela, esse gesto representa um perigo no trânsito.

A recomendação é que o ponto-morto não seja utilizado em nenhum momento em que o carro estiver em movimento – de modo que, a forma mais segura para descer a serra é estar com o veículo engrenado.

É importante ter em mente que andar na banguela é uma prática proibida por lei, segundo o artigo 231, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que classifica o ato como infração média, com perda de quatro (4) pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), multa no valor de R$130,16, além de possível retenção do automóvel.

E engana-se quem pensa que o automóvel na banguela economiza no combustível – lógica que, talvez, fizesse sentido no tempo dos carros carburados. Como hoje os veículos funcionam com injeção eletrônica, tal sistema é capaz de monitorar constantemente o comportamento do motor, com objetivo de otimizar o consumo. Desse modo, mesmo que o propulsor esteja embreado, o índice de injeção de combustível será zero, caso o acelerador não esteja acionado.

Ainda no caso de veículos a injeção eletrônica: quando o veículo desce em neutro, os giros ficam baixos e a central eletrônica entende que é necessário injetar certa quantidade de combustível para que o motor não morra. Em outras palavras, o carro na banguela fará com que o condutor gaste ainda mais combustível. Um prejuízo ao bolso! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *