Categories:

Como transportar seu cachorro no carro de forma segura

Seja por causa de uma visita ao veterinário ou de um passeio de fim de semana, é comum que os donos de pets precisem levar seus bichinhos consigo ao trafegarem. Mas essa situação pode gerar algumas dúvidas, especialmente quando se trata de cachorros.

Afinal, o que diz a legislação brasileira sobre transportar cachorro no carro? Como isso deve ser feito?

Para que você consiga levar seu pet para os lugares sem grandes problemas e com máxima segurança, separamos neste artigo tudo que você precisa saber sobre como transportar cachorro. 

Cheque nossas dicas! 

O que diz a lei sobre transporte de animais?

Um dos pontos que merecem sua atenção no tópico de transporte de animais é, claro, o que consta na legislação brasileira. Para que o trajeto seja tranquilo, é preciso ficar ligado para não desobedecer às regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O CTB, instituído em 1997 pela Lei n.º 9.503, nos diz o seguinte: 

Você não pode dirigir com objetos ocupando os espaços entre seus braços e pernas e nem a área do seu lado esquerdo. Isso inclui seu cachorrinho. Ou seja, levá-lo no colo ou no chão, à sua frente, não são opções permitidas. 

Desrespeitar essa regra representa infração média e pode te trazer uma multa de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira (conforme versa o inciso segundo do Artigo 252).

Também é expressamente proibido levar cargas na parte de fora do veículo (Artigo 235), sob o risco de cometer infração grave, que dá cinco pontos na carteira e uma multa de R$ 195,23. Ou seja, seu cachorrinho não pode ficar com a cabeça para fora da janela do carro (por mais que ele goste muito). 

Além disso, o Artigo 169, ainda que de maneira mais genérica, também pode tocar na questão do transporte de animais: o condutor não deve “dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança”. 

Ou seja, seu cachorrinho precisa ser acomodado de um jeito que não deixe ele pular em cima de você, obstruir sua visão ou fazer qualquer outra coisa que desvie sua atenção do trânsito. É nesse Artigo que entram as infrações que não se encaixam em trechos mais específicos do CTB. A multa é leve, de R$ 88,38, e dá três pontos na carteira. 

É preciso se atentar a essas determinações para não ter problemas com multas

Aliás, se você acabou recebendo multas durante os seus últimos passeios, a gente te ajuda. Na Zapay, você consulta com facilidade todos os débitos do seu veículo e ainda tem acesso a condições facilitadas de pagamento, como parcelamento em até 12 vezes.

Agora que você já sabe como se manter alinhado com o CTB ao transportar seu bichinho, confira algumas dicas sobre como realizar os trajetos com o máximo de segurança e conforto.

Como transportar o cachorro no carro?

Pense o seguinte: assim como os humanos, os pets também ficam inquietos com o calor excessivo e também precisam de proteção ao andar de carro. 

Por isso, as sugestões abaixo são dicas de transporte importantes para garantir que não haverá riscos à saúde e à integridade física do seu cãozinho (e nem das pessoas presentes no carro).

Uma das suas prioridades deve ser evitar que o cachorro fique solto no carro. Afinal, a movimentação dele pode desconcentrar você e até mesmo causar acidentes. Além disso, em casos de possíveis colisões, o cachorro fica desprotegido se não estiver fixo no banco.

Felizmente, as opções de como proporcionar essa proteção são bem diversas, como você vai perceber abaixo. 

Procure usar uma caixa de transporte

Se o seu cachorro é de pequeno ou médio porte (isto é, pesa até cerca de 25 quilos), uma ótima dica é utilizar uma caixa de transporte apropriada para animais, como as que você encontra em pet shops. 

Basta passar o cinto de segurança ao redor da caixa para que ela fique imóvel durante o trajeto. Ah, e lembre-se de se certificar de que a caixa é espaçosa (o cãozinho precisa conseguir ficar de pé dentro dela confortavelmente) e arejada.

A caixa não funciona? Utilize um cinto de segurança canino!

Caso o seu cachorro não se adapte bem às caixas de transporte ou seja grande demais para usá-las, a melhor solução para garantir a segurança dele é usar um cinto de segurança canino, que pode ser encontrado na internet e em pet shops.

Os cintos caninos são fabricados em material acolchoado e resistente, com uma estrutura que costuma segurar o peitoral e as costas do cachorro.

O item pode ser facilmente acoplado à trava do cinto de segurança do carro e é especialmente pensado para evitar que o animal faça movimentos bruscos ou se machuque durante eventuais impactos no trajeto.

As opções não acabaram. Que tal testar a cadeirinha para cães?

Essa é uma boa alternativa para quem tem cães de pequeno porte (que pesam até dez quilos) e não quer recorrer à caixa de transporte.

A cadeira de transporte costuma ser acoplada ao cinto de segurança e trazer uma guia que vai no peitoral do cachorro. Assim, ela protege o bichinho em caso de colisões e impede que ele circule pelo carro, evitando acidentes.

Evite que o cachorro coloque a cabeça para fora

Como mencionamos na seção que trata das determinações legais, o CTB proíbe aquele famoso hábito de deixar que os cachorros viajem com a cabeça para fora do carro. 

Embora os cães geralmente adorem o vento da parte exterior, permitir que deixem a cabeça do lado de fora do veículo não é apenas proibido, como perigoso. Afinal, pode fazer com que algo (como pequenas pedras da estrada) caia nos olhos do bichinho ou com que ele seja atingido por algum objeto durante o movimento.

Fique atento à temperatura do carro

Ninguém merece calor excessivo, não é?

Imagine como seriam desconfortáveis os dias mais quentes se você tivesse o corpo coberto por pelos espessos, como os cachorros têm. 

Pois é, eles costumam sentir mais calor do que os humanos, o que pode ser potencializado por ambientes pequenos e fechados, como o interior dos veículos. Então é importantíssimo garantir que o carro não esteja muito quente quando seu pet estiver nele. Procure utilizar o ar-condicionado ou deixar as janelas abertas. 

Você com certeza pode levar seu melhor amigo canino com você quando for passear de carro, mas alguns cuidados são necessários.

Em relação a isso, as leis do Código de Trânsito Brasileiro determinam que o bichinho não pode ocupar os espaços entre os braços e pernas do condutor e nem ficar com a cabeça para fora do carro. Os dois cenários podem levar a multas, segundo os Artigos 252 e 235 do CTB.

É importante ainda que o animal não desconcentre de nenhuma maneira a pessoa que está dirigindo. Para que isso não aconteça e também para garantir a segurança do cachorro, ele deve ficar fixo no banco do carro, sem circular por aí. Alguns artefatos podem ajudar os donos com essa questão, como caixas de transporte, cadeiras para cães e cintos de segurança especiais.

Ah, é crucial também que a temperatura do veículo esteja adequada à presença dos passageiros caninos, para que eles não sofram com o calor.

Por fim, para não estressar o seu pet, recomendamos que você dirija devagar, com cuidado redobrado e prestando muita atenção para evitar solavancos, como ao passar por cima de lombadas e quebra-molas.

E aí, este artigo te ajudou?

Então lembre-se de acompanhar o blog da Zapay para ter acesso a mais conteúdos informativos sobre veículos, CNH, multas e outros assuntos importantes para quem gosta de trafegar com segurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.