multa 693-94
Categories:

Saiba fazer consulta do veículo pelo chassi

Você sabe como consultar veículo pelo chassi? Não?! Então, vem que a Zapay lhe mostra qual é o caminho.

A consulta chassi apresenta ao proprietário informações detalhadas sobre o histórico do veículo e ajuda os agentes públicos a flagrarem fraudes. Confira as dicas a seguir e tire todas as suas dúvidas.

Como consultar o chassi?

O número do chassi é uma identificação veicular de extrema importância. Ele funciona como um RG, onde cada automóvel tem seu próprio número, formado por 17 caracteres (misturados entre números e letras).

Assim, o número do chassi é uma sequência alfanumérica e é popularmente conhecido como Número de Identificação do Veículo (VIN, uma abreviação para Vehicle Identification Number).

O VIN traz diversas informações relevantes acerca do veículo, como o local onde foi produzido e o modelo em questão. O padrão adotado para o chassi dos veículos no mundo todo é uma determinação da Resolução 4030 da ISO.

Chassi do veículo

Você pode estar se perguntando: “mas, na prática, qual é a função do número chassi?”. Oras, este registro de identificação contribui para evitar que fraudes possam ocorrer, uma vez que a combinação alfanumérica consta em diferentes componentes do automóvel. Basta olhar o motor e a carroceria, você encontrará o número do chassi. Dica: nos vidros do veículo é possível encontrar uma parte dos dígitos também.

Com tais informações e locais onde é possível checar o número do chassi, as autoridades de trânsito ou mesmo agentes policiais podem identificar potenciais documentos fraudulentos, em caso de automóveis furtados ou roubados.

Caso seu veículo passe por uma situação de recall, é importante ter em mente que o número do chassi é também fundamental para o procedimento. Afinal, é com o VIN que a montadora pode indicar quais são os lotes de veículos com defeitos e problemas que devem ser solucionados afim de garantir a segurança do motorista, dos passageiros e todos no trânsito.

Com o número do chassi é possível saber onde o veículo foi produzido, o país de origem e a fabricante. Saiba mais sobre como se dá a disposição alfanumérica do VIN:

  1. O primeiro caractere pode ser tanto uma letra ou um número e indicará o continente onde o automóvel foi fabricado. Por exemplo, os veículos produzidos na América Latina são representados pelos números 8 e 9.
  2. O segundo caractere, por sua vez, revela o país de origem do veículo.
  3. Já o terceiro caractere identifica qual é a fabricante do automóvel em questão.
  4. Ao avistar o segundo grupo alfanumérico do chassi, saiba que este código indica os aspectos descritivos do veículo (VDS).
  5. Dica: a utilização e a disposição de letras ou números varia segundo critérios da empresa fabricante. Porém, em todos os veículos, a referida parte do chassi diz respeito a informações como: modelo, versão do automóvel, tipo de motor, carroceria e mecanismos de segurança.
  6. Os caracteres finais do chassi correspondem à seção indicadora do veículo (VIS). Tais letras e números correspondem à fabricação do veículo, o que inclui ano e o número de série.
  7. O ano de fabricação de um automóvel pode ser representado também por letras, por exemplo, A corresponde a 1980 e Y a 2000. Esta representação também pode ser dar por números, de 1 (2001) a 9 (2009). Se as opções acabarem, as letras retornar ao início do alfabeto, circularmente.

Como consultar chassi pelo DETRAN?

Há Departamentos Estaduais de Trânsito (DETRANs) que oferecem a opção de consulta ao veículo, utilizando o número do chassi.

Este é o caso do DETRAN PA (Departamento Estadual de Trânsito do Pará), por exemplo. O proprietário deve inserir o número do chassi do veículo e preencher o espaço destinado para a sequência de caracteres da imagem que aparecer na tela.

Existem aplicativo que permitem a consulta sobre a situação do veículo, em tempo real. É o caso do Autocheck DETRAN Placa, por exemplo. Vale dizer que para acessar as informações é necessário ter cadastro prévio em um dos Departamentos Estaduais de Trânsito.

Tem como puxar nada consta pelo chassi?

Nada Consta é o nome popular para a Certidão de Débitos Relativos às Infrações de Trânsito, um documento que é emitido pelo DNIT (Departamento Estadual de Infraestrutura de Transportes) e que informa a existência ou não de débitos de multas de trânsito.

Quando o cidadão acessar as Multas de Trânsito, para emitir o Nada Consta, é necessário utilizar o número da placa do veículo e a numeração do RENAVAM. Portanto, o número do chassi não é uma exigência, neste caso.

Consulte sua placa grátis

Como ler o chassi da moto?

Para encontrar o número do chassi da moto, o condutor deve observar sob o guidão, à frente do tanque. Trata-se de uma chapa de metal vertical.

Por sua vez, para encontrar a numeração do chassi no motor da motocicleta, ao lado esquerdo, próximo ao pedal de câmbio.

Venha conhecer nosso aplicativo!

Com o app da Zapay você vai:

Consultar seu IPVA, licenciamento e Multas;

Parcelar tudo em até 12x com as menores taxas do mercado;

Ser avisado quando precisar renovar seus documentos.


APP Zapay

consulta chassi

Como descobrir o RENAVAM com o número do chassi?

Cada proprietário pode obter a maior parte das informações sobre o veículo ao consultar o portal do DETRAN da respectiva localidade. A Zapay também utiliza a base de dados do DETRAN para que os condutores possam consultar e quitar os débitos veiculares.

Mas se o desejo é descobrir o número do RENAVAM (Registro Nacional de Veículos Automotores) on-line, o caminho é outro. O dono do automóvel deve acessar o Sistema Nacional de Gravames (SNG).

Esta plataforma é a responsável por gerenciar todas as restrições financeiras de veículos automotivos das mais diferentes categorias. Desse modo, as instituições financeiras podem realizar consultas a automóveis, motocicletas e caminhões oferecidos como garantia em operações de crédito. Vale dizer que Pessoas Físicas também podem acessar o SNG.

Confira o passo a passo para descobrir o número do RENAVAM com o chassi:

  1. O proprietário deve acessar o site do DETRAN da Unidade Federativa a qual o veículo está registrado.
  2. Em seguida, deve procurar a seção “Serviços”.
  3. O passo seguinte é selecionar a aba “Veículos”.
  4. O condutor deve ir ao botão “Gravames”, “Consulta Sistema Nacional de Gravames” ou “Consulta SNG”.
  5. Depois, é necessário digitar os caracteres do chassi.
  6. Finalmente, uma página com todas as informações do automóvel será aberta, como nome do proprietário, placa e o RENAVAM— um código com 11 caracteres.

Tem como saber se o veículo tem queixa de roubo pelo chassi?

Opa, tem sim! Aliás, a numeração do chassi é um ótimo recurso para descobrir fraudes. Com ele é possível descobrir que o veículo é clonado ou roubado – afinal, basta comparar a numeração que consta no veículo com aquela registrada em órgãos públicos.

Quando há uma negociação com o veículo (movimento de compra e venda – ou seja, transferência de proprietário), o comprador deve se atentar a todos estes detalhes e exigir o máximo de informações sobre o histórico físico e burocrático do automóvel. Este gesto evita muitas dores de cabeça.

Tem como dar multa no chassi da moto?

IPVA MotoTem, sim! É importante relembrar que, segundo o CONTRAN, os proprietários de motocicletas zero quilômetros tem como tolerância, no máximo, 15 dias para fazer o emplacamento do veículo. Em algumas Unidades Federativas brasileiras, como os estados da região Norte, este prazo pode ser de até 30 dias.

Após o prazo estipulado por lei, caso a motocicleta seja flagrada circulando em vias públicas, por uma autoridade de trânsito, o condutor estará cometendo uma multa gravíssima, que poderá ser aplicada através do número do chassi.

Esta marcação é feita apenas por seres humanos (agentes de trânsito), pois radares inteligentes são incapazes de identificar o chassi de uma motocicleta.

Dica da Zapay: fique por dentro sobre a remarcação de chassi.

E o que diz a legislação de trânsito?

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em seu artigo 114, destaca que o veículo será identificado obrigatoriamente por caracteres gravados no chassi ou no monobloco (conjunto de peças que quando unidas formam a estrutura de um automóvel). Este código alfanumérico é reproduzido também em outras partes, conforme determinação do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN).

  1. É importante frisar que o número do chassi deve ser gravado pela empresa fabricante ou montadora, de modo a identificar o automóvel, quem o fabricou e as suas características, além do ano de fabricação. Tais dados não podem ser alterados.
  2. Quando necessárias, as regravações ficam a cargo de prévia autorização da autoridade executiva de trânsito e apenas serão processadas por um estabelecimento por ela credenciado, mediante a comprovação de propriedade do automóvel, mantida a mesma identificação anterior, inclusive o ano de fabricação. Atente-se a este ponto!
  3. Não é permitido a nenhum proprietário, sem prévia permissão da autoridade executiva de trânsito, fazer, ou ordenar que se faça, modificações da identificação de seu respectivo veículo.

Por sua vez, a Resolução nº24/1998, do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) estabelece o critério de identificação de veículos, conforme se refere o artigo 114, do CTB.

Segundo a Resolução, a gravação do número de identificação veicular (VIN) no chassi ou monobloco, deverá ser feita, no mínimo, em um ponto de localização, de acordo com as especificações vigentes e formatos estabelecidos pela NBR 3 nº 6066 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em profundidade mínima de 0,2 milímetros.

Ainda, além da gravação no chassi ou monobloco, os automóveis serão identificados, no mínimo, com os caracteres VIS (número sequencial de produção), conforme previsto na NBR 3 nº 6066.

Assim, este processo pode ser feito, a critério do fabricante, por gravação, na profundidade mínima de 0,2 milímetros, quando em chapas ou plaqueta colada, soldada ou rebitada, destrutível quando de sua remoção, ou ainda por etiqueta autocolante e também destrutível, no caso de tentativa de sua remoção, nos seguintes compartimentos e componentes:

  1. Na coluna da porta dianteira lateral direita.
  2. No compartimento do motor.
  3. Em um dos para-brisas e em um dos vidros traseiros, quando existentes.
  4. Em pelo menos dois vidros de cada lado do veículo, quando existentes, excetuados os quebra-ventos.

Curtiu o conteúdo e quer ficar sempre atualizado? Acompanhe nosso blog e as redes sociais:


Instagram


Facebook


Youtube

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *