Número do chassi
Categories:

Remarcação de chassi: como funciona e o que fazer?

Pense no seu número de identidade. Ele é um código único, importantíssimo para te identificar e te diferenciar de outras pessoas de maneira objetiva, concorda?

Pois é, os veículos têm algo similar: o número do chassi. Trata-se de uma sequência identificadora composta por 17 caracteres (números e letras) que trazem vários dados sobre o veículo, como modelo, ano e local de fabricação.

Esse código costuma aparecer impresso em várias partes do veículo, como motor, vidros e carroceria. As autoridades podem checar essas marcações para averiguar se está tudo em ordem caso haja suspeitas de roubo ou furto. 

Assim, é imprescindível que as marcações do chassi estejam perfeitamente visíveis e sem nada que atrapalhe a leitura delas. Por isso, se é possível que em algum momento você precise realizar a remarcação de chassi.

Como esse processo costuma gerar dúvidas e receios em muitos proprietários de veículos, preparamos um conteúdo que explica tudo que você precisa saber sobre a remarcação de chassi. 

O que é remarcação de chassi?

Como mencionamos, a remarcação de chassi é necessária quando a legibilidade do código é danificada por algum motivo.

Algumas condições que podem fazer com que a remarcação seja necessária são a oxidação natural da área onde o chassi está impresso e os danos causados por acidentes. Além disso, em sinistros, quando uma seguradora fica responsável por cobrir os danos, o veículo precisa da remarcação para voltar ao mercado.

A remarcação é regulamentada por algumas normas determinadas pelos Detrans. Conheça, abaixo, mais detalhes sobre o funcionamento do processo.

Quanto custa a remarcação de chassi?

As taxas envolvidas na remarcação de chassi dependem das determinações do Detran em que ela vai ser realizada.

Geralmente existe uma taxa de autorização para regravação, que costuma estar na faixa dos 80 reais. Além disso, em muitos lugares, é preciso pagar pela vistoria. Também pode haver uma taxa de regularização do cadastro no Detran.

O valor total dos procedimentos costuma estar entre R$ 200 e R$ 500.

Sem dúvidas, o melhor jeito de mensurar os custos é buscando essas informações diretamente no Detran do estado onde você mora. Às vezes é possível saber os valores fazendo uma simples pesquisa no site oficial do órgão.

Como fazer a remarcação de chassi?

Os procedimentos exatos para a remarcação costumam variar entre os Detrans de diferentes estados. Entretanto, algo indispensável é que o veículo esteja com todos os débitos quitados.

Então o primeiro passo é garantir que multas, licenciamento, IPVA e outros pagamentos estejam em dia.

Também será necessário reunir a documentação exigida pelo Detran e ir até um dos pontos de atendimento para realizar uma vistoria e pegar uma autorização de remarcação, como explicamos na seção seguinte.

Ah, e se quiser descomplicar a etapa de deixar os pagamentos em dia, você pode contar com a Zapay. A gente te ajuda a consultar com praticidade todos os débitos do seu veículo e a obter condições de pagamento facilitadas, como o parcelamento em até 12 vezes.

Qual é o procedimento para remarcação de chassi?

Após quitar os débitos do veículo, o proprietário precisará apresentar alguns documentos ao Detran. Geralmente, são necessários o documento de identidade, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), um comprovante de residência recente (de algum dos últimos quatro meses), comprovante de venda ou de compra do veículo e um requerimento de remarcação do chassi.

Depois da verificação da documentação, pode ser que o proprietário precise pagar uma taxa de vistoria, mas isso depende do Detran em questão. Alguns lugares exigem outros documentos (além dos mencionados), a depender das circunstâncias da remarcação. Se o motivo for um caso de roubo, por exemplo, será necessário também um boletim de ocorrência. 

Daí, após obter a autorização para realizar o procedimento, o próximo passo é levar o veículo a uma das oficinas credenciadas pelo Detran, conforme as orientações passadas durante o atendimento. A autorização, por sinal, costuma ter validade de 30 dias.

Quando a remarcação é realizada, o número de chassi passa a ser acompanhado pelas letras “REM”, tanto no CRLV quanto nas inscrições impressas no veículo, para registrar que o procedimento ocorreu.

Vale lembrar que realizar qualquer modificação no chassi sem passar por esses procedimentos de autorização é uma prática ilegal. É isso, inclusive, que os criminosos fazem para dificultar a investigação de casos de furto e roubo. 

Por esse motivo, proprietários de veículos que têm o chassi remarcado podem sofrer algumas consequências, como vamos te contar agora.

Quais são as desvantagens da remarcação do chassi?

Uma das consequências mais inconvenientes do processo de remarcação é que o veículo perde uma parte do seu valor de mercado. Essa desvalorização pode ser de até 30% em relação à tabela FIPE. 

Não sabe o que isso significa? Experimente dar uma lida no nosso conteúdo sobre a tabela FIPE.

A remarcação complica na hora de revender o veículo, já que o lucro é reduzido e é comum que exista recusa de compra. Afinal, a alteração torna mais difícil conhecer a procedência do veículo, o que levanta desconfianças em relação a possíveis atividades criminosas no histórico dele.

Pelo mesmo motivo, a remarcação dificulta também a obtenção de financiamentos, que tendem a aparecer com valores de entrada maiores e com menos opções de pagamento.

Além disso, as seguradoras podem se recusar a cobrir veículos com chassi remarcado. Isso, entretanto, dependerá muito da avaliação da empresa. O proprietário precisará levar o veículo para uma vistoria que vai analisar quais os riscos assumidos pela seguradora se ela aceitar fazer a cobertura. Infelizmente, nada garante que o retorno será positivo.

Por isso, o melhor mesmo é tomar bastante cuidado com a estrutura do veículo para que a remarcação não seja necessária. Além disso, se estiver considerando comprar um veículo usado, é preciso ter algumas precauções em relação ao número de chassi.

Como identificar o motivo da remarcação de chassi?

Para checar a autenticidade do chassi, a tecnologia ajuda: os sites oficiais de alguns Detrans já permitem consultar as informações do veículo por meio do número de chassi.

O site do fabricante do veículo também pode ter esse tipo de ferramenta. Outra possibilidade é usar um decodificador de chassi, recurso digital que pode ser útil para “traduzir” todas as informações do código de identificação.

Pesquise bastante e lembre-se de contrastar todas as informações obtidas durante as buscas com aquilo que foi passado pela pessoa que está vendendo o carro. Ah, fique atento também aos pontos que detalharemos abaixo.

Como fugir do chassi adulterado?

Se você desconfia de que a alteração pode ter sido realizada de forma ilegal no veículo que você adquiriu, não deixe de levá-lo para uma minuciosa vistoria para averiguar a natureza das marcações.

Além disso, verifique a placa do carro. Se houver algo errado com o lacre, saiba que é preciso investigar mais a fundo.

Comprar um veículo com o chassi remarcado pode ser uma oportunidade de pagar mais barato. Entretanto, para evitar futuras dores de cabeça, não deixe de realizar pesquisas detalhadas sobre o histórico dele e as circunstâncias da remarcação.

O número de chassi é um código de registro que identifica o veículo e carrega as principais informações sobre ele. Esse número vem gravado em algumas partes do veículo, como na carroceria ou no motor, e precisa estar sempre perfeitamente legível.

Quando algo prejudica a legibilidade, como em caso de oxidação, é necessária a remarcação do chassi, processo que tem procedimentos e custos variáveis de acordo com o estado em que é realizado. Em geral, é necessário apresentar uma lista de documentos ao Detran e pagar uma taxa para obter a autorização de remarcação.

Entretanto, há quem realize esse processo ilegalmente, para ocultar rastros de atividades ilegais como roubos. Então veículos com chassi remarcado tendem a levantar bastante desconfiança, o que leva a uma desvalorização do valor de venda e a dificuldades para contratar seguros.

Por isso, pesquise bastante antes de comprar um veículo com chassi remarcado: você precisará se certificar da procedência da alteração e do histórico do veículo para não ter problemas no futuro. Nesse tipo de transação, a informação é sempre sua maior aliada.

Aliás, se você gosta de se manter informado sobre veículos, leis de trânsito, CNH, multas e outras questões importantes para os condutores brasileiros, acompanhe o blog da Zapay. Ele está cheinho de conteúdos tão informativos quanto este aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.