drift
Categories:

Dritf: entenda o que é

Você sabe o que é drift, amigo condutor? E quais seriam os carros de drift? A Zapay lhe explica sobre essa modalidade e suas particularidades, além de curiosidades sobre esse universo automotivo.

– O que é ser um drift? 

– Como funciona a fórmula Drift? 

– Quem pode participar do Drift? 

– Velozes e furiosos e sua influência no Brasil 

– Carros de drift, melhores modelos

Dica da Zapay: fique pode dentro de filmes sobre carro.

O que é ser um drift? 

Certamente, você já deve ter visto várias cenas de drift no cinema ou mesmo em videogames, amigo motorista. Mas, afinal de contas, o que é um drift?  Vem que a Zapay lhe explica!

Trata-se de um estilo de competição, na qual o objetivo é derrapar com a traseira do veículo automotor para um lado e as rodas dianteiras no contrária da curva. Esse tipo de disputa costuma ser travada entre dois competidores, que deslizam seus carros, porém, com controle sobre todos os movimentos. Caso um condutor (A) permita que o rival (B) alinhe (ficar ao lado do seu respectivo automóvel), que seria andar em linha reta, o motorista (A) perde pontos.

Muitos atribuem o surgimento do drift ao piloto japonês Kunimitsu Takahashi, ainda na década de 1970. O atleta fazia uso dessa técnica para executar curvas mais rapidamente no torneio automobilístico que disputava, o Japanese Touring Car Championship.

Já nos anos 1980, Keiichi Tsuchiya ficou famoso ao plicar o estilo Takahashi nas estradas das montanhas japonesas – ainda como atividade não reglarizada. Foi assim que o estilo começou a ganhar grande popularidade.

Dica da Zapay: você sabe o que acontece se o motorista furar uma blitz? Saiba mais nesse artigo especial sobre o tema.

Como funciona a fórmula Drift? 

Vale a pena saber que a Fórmula Drift é dividida em três categorias: Pro, Pro 2 e Pro AM. Durante o desenrolar da competição, são avaliados diversos quesitos de manobras, tais como estilo e impacto, linha e correções, além de velocidade e ângulo. Tais pontos envolvem beleza do movimento, velocidade em que o piloto consegue manter o carro de lado e também a obra, como um todo.

Assim, ao final de cada volta, o condutor recebe pontos baseados em cada critério, que são somados. Os pilotos com mais pontuação, vão passando pelas etapas classificatórias, de modo a formar as chaves para as batalhas finais. É uma competição diferente, afinal, não se trata de chegar primeiro para vencer, mas, sim, de uma apresentação com muita destreza e criatividade ao volante.

Embora o drift tenha nascido no Japão, conforme você já aprendeu ao longo desse artigo, a modalidade se espalhou pelo mundo, culminando em outras “escolas” em diversos países. Assim, novas técnicas foram sendo desenvolvidas a aplicadas na modalidade, com estilos cada vez mais marcantes. 

É o que ocorre quando há comparações a D1 Grand Prix (D1GP), do Japão, com a Fórmula Drift ou Fórmula D, nos Estados Unidos. Se por um lado, na D1GP, há preocupação estética maior, de modo a parecer que não há regras, por outro, na Fórmula Drift, tais regras são extremamente rigorosas, dando prioridade ao carácter competitivo, sobretudo. 

Em suma, a competição japonesa dá ênfase aos pontos de estilo, enquanto que o campeonato estadunidense preza por ângulo e linha.

Vale destacar que, hoje, a Fórmula Drift (Fórmula D) não ocorre somente nos Estados Unidos, mas também em países como Coréia do Sul (Fórmula D Korea), Canadá (Fórmula D Canada) e o próprio Japão (Fórmula D Japan).

Dica da Zapay: conheça as principais rodovias do Brasil.

Conheça os campeonatos de drift que acontecem no Brasil

Os apaixonados pela modalidade tiveram uma grata surpresa com a chegada da Ultimate Drift, em 2020, em solo brasileiro, cujo objetivo é alavancar ainda mais a modalidade e fortalecer as disputas, que, a cada ano, são mais inovadoras e competitivas. 

Desse modo, cada etapa do Ultimate Drift tem ganhado mais público e repercussão. A primeira edição do campeonato no Brasil ocorreu há três anos, nas cidades de Piracicaba (SP), Balneário Camboriú (SC), Londrina (PR), Brasília (DF) e São Paulo (SP).

A competição conta com três categorias: Ultimate Drift (principal), Ultimate Light e Ultimate Games. Saiba mais sobre cada um deles:

  1. Ultimate Drift: trata-se da categoria principal, homologada pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), com rodadas que acontecem aos finais de semana, como qualify, batalhas TOP 32, batalhas TOP 16, batalhas TOP 8 e finais. Assim, essa categoria principal conta com grids de 50 pilotos, com os principais nomes brasileiros da categoria.
  2. Ultimate Light: mais uma categoria homologada pela CBA, ela foi criada com foco em pilotos iniciantes, para que eles possam viver a experiência de disputar um Compeonato Oficial, com adversários do mesmo nível. Trata-se de uma porta de entrada para o mundo do drift, para que os pilotos possam ter rodagem e confiança.
  3. Ultimate Games: esse é o campeonato virtual de drift, que repete as etapas do campeonato real, com uso das mesmas pistas. Da mesma forma que nos eventos reais, avançam para as etapas finais os melhores 32 pilotos classificados. Para disputarem nas pistas virtuais, os pilotos fazem uso da plataforma Assetto Corsa.
carros de drift

Quem pode participar do Drift? 

Para participar de uma competição como o Ultimate Drift, que é o Campeonato Brasileiro da modalidade, todos os pilotos devem ser filiados e habilitados pela CBA, conforme consta no regulamento do torneio.

Mais um exemplo é o Campeonato Brasiliense de Drift (Mega Drift Brasil 2023). Segundo seu artigo 9, apenas podem participar do torneio pilotos portadores de Licença de Competição válida para o ano vigente, específica para a categoria, além de Cédula Piloto de Drift (PD). 

Ainda quanto ao Campeonato Brasiliense de Drift: o piloto que estiver qualificado para a inscrição, deve solicitar sua inclusão na prova por intermédio do aplicativo AUTO CLUBES, disponível para os sistemas Android e IOS, preenchendo o formulário de inscrição. 

Depois da análise do formulário de inscrição, se aprovado para competir, o piloto deve assinar e entregar à promotora. Um ponto importante: ao se inscrever, o atleta declara que está ciente do Regulamento Desportivo, Regulamento Técnico e seus adendos.

Velozes e furiosos e sua influência no Brasil 

A franquia cinematográfica “Velosos e furiosos”, que estreou 2001, é uma das responsáveis pela popularização do drift no Brasil e também no mundo. Principalmente, após o lançamento de “Velozes e furiosos: desafio em Tóquio”, fazendo com que a modalidade saísse do Japão e se expandisse pelo mundo.  

Esse é o terceiro filme da saga Velozes e Furiosos, lançado em 2006. Ele conta uma nova história, seguindo os passos de Sean Boswell. Esse jovem de 17 anos é fissurado em corridas de ruas ilegais, e o destino lhe reservou morar com seu pai em Tóquio. Lá, ele vai descobrir o mundo das corridas de drift japonesas.

E, caso o amigo motorista não saiba, o filme foi todo se apoia no cenário que já existe no Japão. Na província de Gunma, a cerca de 88 quilômetros distante de Tóquio, é possível acompanhar algumas corridas ilegais de drift.

Os corredores, conhecidos como hashiriya, formam rodas em meio às vielas escuras e perigosos. Carros turbinados e ajustados canalizam seus pneus no asfalto escorregadio e se preparam para a série de manobras.

Porém, existem algumas diferenças: não existem garotas dando sinal para a largada, não há nitro, não há trilha sonora e, muito menos, o Vin Diesel. Longe do glamour das telonas, são apenas pessoas na escuridão com carros prontos para competir o mais rápido possível sem cair de forma trágica na floresta.

Os drifters costumam ser amigáveis, porém cautelosos. Eles vêm de diversas classes sociais, começando, muitas vezes, bem jovens.

Voltando a falar sobre a franquia “Velozes e furiosos”, o amigo motorista sabia que existe um filme que se passa aqui no Brasil? É o “Velozes e furiosos 5: Operação Rio”, de 2011. Recheado de estrelas como Vin Diesel, Paul Walker, Dwayne Johnson e Gal Gadot.

O longa conta com cenas que foram filmadas diretamente do Rio de Janeiro, porém a maior parte foi gravada em Porto Rico, já que lá o custo para filmagens é bem menos elevado. Um dos fatos marcantes do filme foi o meme “This is Brazil” (“Isso é o Brasil”, em tradução literal), que circula na internet até os dias de hoje.

Esses são só algumas informações dessa franquia, que se expandiu para além das corridas de rua. A cada novo filme, a trama ficava mais completa, envolvendo assaltos, espionagem e perseguições de fazer o cinema todo prender a respiração.

Para muitos, a ação se tornou cada vez mais exagerada, com cenas de carros saltando entre prédios, perseguições em alta velocidade e sequências explosivas.

A equipe de pilotos habilidosos liderada por Dominic Toretto se tornou uma espécie de família, de modo que a lealdade e o trabalho em equipe viraram temas recorrentes nos filmes.

Em “Velozes e furiosos 9”, por exemplo, a trama apresentou uma corrida espacial, na qual os personagens chegaram a dirigir pelo espaço para salvar o mundo da nova ameaça Essa reviravolta inesperada demonstrou a disposição dos criadores de levar a franquia a lugares inimagináveis e expandir as fronteiras do que é considerado possível.

Carros de drift, melhores modelos

Mas, afinal de contas, será que qualquer veículo pode competir em campeonatos de drift. Resposta direta e reta: não. Muito importa a finalidade do automóvel. De modo prático, o carro base deve ter potência menor do que aquele utilizado em competições, por exemplo – pois, demanda menor quantidade de pneus.

Contudo, um ponto em comum é a suspensão, sobretudo, com amortecimento duplo ajustável, o que é fundamental para garantir a flexibilidade do automóvel. Mais um fator importante é que a configuração não poder ser muito baixa, afinal, isso resultaria em um desempenho fraco na pista.

Vale destacar também que o conjunto de suspensões não pode ser rígido, para que não haja dificuldade do controle do carro. Assim, é essencial que o automóvel apresente um conjunto ajustável de barras de estabilidade, além de buchas mais duras e alinhamento constante.

Confira alguns dos melhores modelos para a prática do drift:

  1. BMW W4 Coupé: o modelo de 2018 desse veículo é considerado o carro ideal para drift, no jogo Need for Speed Unbound. Trata-se de uma modalidade popular entre os amantes de curvas rápidas e vantagem na pista.
  2. Nissan 240SX/Silvia: um dos carros mais icônicos para drift. Ele é leve, equilibrado e tem uma ampla gama de peças de desempenho disponíveis.
  3. Toyota AE86: famoso por seu equilíbrio e maneabilidade, ganhou muita popularidade graças a sua participação em filmes e séries de anime, como “Initial D”.
  4. Ford Mustang: os modelos mais antigos do Ford Mustang, especialmente aqueles com motores V8, são populares entre os pilotos de drift, pois, têm uma abundância de potência e torque.
  5. Chevrolet Camaro: assim como o Mustang, o Camaro também é uma escolha popular para o drift. Modelos mais antigos com tração traseira e motores V8 são frequentemente modificados para atender às necessidades dos pilotos dessa modalidade.
  6. Mazda RX-7: conhecido por seu motor rotativo, que fornece uma entrega de potência única. Sua distribuição de peso equilibrada e design compacto fazem dele uma escolha sólida para drift.
  7. BMW M3: Os modelos da série M da BMW, como o M3, são frequentemente escolhidos por pilotos de drift devido à sua dinâmica de condução precisa e motores potentes.
  8. Subaru BRZ/Scion FR-S/Toyota 86: esses carros são conhecidos por sua agilidade e equilíbrio. Embora possam não ter motores extremamente potentes de fábrica, são populares para drift após modificações.
  9. S13/S14/S15 Nissan 240SX: são modelos clássicos da Nissan que têm sido usados por pilotos de drift há décadas. A S13 e S14 são especialmente populares.

Lembre-se de que a escolha do carro é apenas uma parte da equação, amigo condutor. A configuração e as modificações feitas no carro, como suspensão ajustável, diferencial de deslizamento limitado e pneus apropriados, também desempenham um papel crucial no desempenho do carro no drift. Além disso, a habilidade do piloto é fundamental para o sucesso na modalidade.

Vale frisar que não é permitido fazer drift nas vias públicas, por isso a importância de tais campeonatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *