GNV Fiat Grand Siena Tetrafuel
Categories:

GNV: vantagens, desvantagens e dicas

Descubra se vale a pena a conversão do veículo para GNV e quais os principais cuidados com a instalação e manutenção

Um dos principais atrativos para quem busca pela conversão de carros para a utilização do gás natural veicular, o GNV, é a economia. Mesmo com custo elevado de instalação, o GNV pode ser uma boa alternativa aos veículos que rodam bastante, como táxis, transporte por aplicativo e frotistas. Neste artigo, vamos explicar as principais características, vantagens e desvantagens do uso deste combustível. 

O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves e encontra-se em estado gasoso quando em condições normais de temperatura e pressão. Esse combustível é encontrado em acumulações de rochas porosas, podendo ser acompanhado ou não de petróleo. A conversão para GNV pode ser feita tanto em carros com motores monocombustível (gasolina ou etanol) como em bicombustíveis (flex).

Apesar do termo conversão, a adaptação para o uso de GNV não invalida que o motorista também utilize o combustível líquido no veículo. Desta forma, é possível escolher qual dos combustíveis é o mais vantajoso financeiramente na hora de abastecer por meio de uma chave comutadora. A partida do carro é realizada com o combustível líquido e somente após o motor atingir a temperatura ideal de funcionamento é que o gás entra em operação.

GNV Fiat Grand Siena Tetrafuel

GNV vale a pena?

A instalação de um kit GNV de última geração pode ter custo que varia entre R$ 5 mil e R$ 6 mil. Esse investimento pode ser amortizado ao longo do tempo devido ao melhor rendimento e menor custo do GNV na comparação com os combustíveis líquidos

Tomando por base o preço médio nacional da gasolina (R$ 6,15/l) e do GNV (R$ 5,11/m³) apurado em julho de 2022 pela ANP, é possível ter o retorno de investimento em aproximadamente um ano para motoristas que rodam cerca de 2.000 km/mês (24.000 km/ano). Este cálculo é feito levando-se em consideração o custo por quilômetro rodado da gasolina (R$ 0,61) com o do GNV (R$ 0,37). 

Outra vantagem do uso do GNV é relacionada ao aspecto ambiental, já que há redução de 20% nas emissões de CO2 em comparação com a gasolina e de 15% a menos de CO2 em relação ao etanol. Carros com kit GNV instalado também podem ter benefícios fiscais em determinados estados, como redução do IPVA. No Rio de Janeiro, por exemplo, enquanto a alíquota para carros flex é de 4%, o IPVA de modelos movidos a gás natural veicular é de 1,5%.

Desvantagens do GNV

Uma das desvantagens do uso de GNV é a diminuição do espaço no porta-malas. Em um hatch compacto, como um Volkswagen Gol, o tamanho do cilindro pode chegar a ocupar quase todo o volume disponível no bagageiro. Por isso, boa parte dos motoristas que realizam a conversão optam por veículos sedãs, que têm maior espaço no porta-malas. 

A instalação dos cilindros até pode ser feita em outros locais do veículo, como no vão entre o eixo traseiro e o para-choque, desde que sejam obedecidas todas as diretrizes técnicas de instalação do Inmetro. Outro ponto a ser levado em conta é a perda de potência do motor provocada pelo GNV em relação aos combustíveis líquidos, que gira em torno de 3% com o uso dos kits de conversão mais modernos disponíveis.

Também podem ser consideradas desvantagens a burocracia e o custo exigido com a regularização do veículo e inspeções anuais, além da perda da garantia de fábrica para os veículos que estiverem com o prazo válido. 

Cilindro GNV Detran-AM

Instalação e documentação 

Para a instalação do kit GNV, é necessário solicitar uma autorização prévia ao Detran de seu estado. Trata-se do mesmo procedimento de alteração nas características do veículo em relação à sua fabricação (como mudança de cor/envelopamento ou blindagem), que resulta na emissão de um novo Certificado de Registro de Veículo (CRV) – saiba aqui as diferenças entre CRV e CRLV.

O Detran fará a verificação de débitos ou possíveis pendências. Lembre-se que você pode realizar a consulta de débitos de veículos de forma fácil e segura com a Zapay, com parcelamento em até 12x! Caso não haja impedimentos, o motorista será encaminhado a uma Instituição Técnica Licenciada (ITL), que realizará a inspeção de segurança veicular e irá emitir o Certificado de Segurança Veicular (CSV).  

Após este processo, é necessário realizar o laudo de liberação da alteração da mudança de combustível em uma Empresa Credenciada de Vistoria (ECV). Com os documentos em mãos, o proprietário pode solicitar a segunda via do CRV (se não houver mudança de propriedade) ou a transferência, ambas com a informação de que há alteração de característica veicular (no caso, o tipo de combustível). 

Somente após esta etapa é que o proprietário deve buscar uma oficina instaladora certificada e homologada pelo Inmetro para a realização do serviço de conversão para GNV. Para o licenciamento anual do veículo após a instalação, também é necessário obter um novo CSV com a ITL. Vale ressaltar que o procedimento listado aqui é seguido pelo Detran-SP e pode variar entre os estados.

GNV Fiat Grand Siena Tetrafuel

Manutenção do carro com GNV

Os atuais kits de instalação são formados por oito principais componentes: cilindro, válvula de alta pressão, válvula de abastecimento, redutor de pressão, chave de combustível, bicos injetores de GNV, sensores de temperatura e pressão e central de gerenciamento eletrônico. 

Em resumo, a manutenção de um carro com Kit GNV instalado é semelhante à de um veículo comum. O proprietário deve seguir os prazos de revisões indicados no manual do veículo – geralmente, a cada 10 mil km ou 1 ano. Nestes intervalos, o mecânico poderá verificar itens como óleo lubrificante, velas, bobinas e filtros e antecipar a troca, caso haja desgaste acelerado pelo uso do combustível gasoso.

Para o sistema de gás natural veicular em si, é recomendada que a troca do filtro de GNV seja feita a cada 30 mil km, em média. Outros cuidados necessários são a realização do reteste hidrostático obrigatório dos cilindros (a cada 5 anos), que deve ser realizado por órgão acreditado pelo Inmetro. A vida útil homologada de um cilindro de GNV é de 15 anos. Vencido este prazo, o proprietário deve realizar a substituição do componente.

Gostou deste artigo sobre as vantagens e desvantagens do GNV? Saiba que aqui no Blog da Zapay você encontra diversos conteúdos sobre manutenção automotiva, documentação, impostos, IPVA, multas e muito mais!

Imagens: Divulgação/Fiat e Divulgação/Detran-AM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.