Categories:

Manutenção de moto: 7 dicas para prevenir problemas

As motocicletas são um dos meios mais comuns de se locomover pelo trânsito.  Por ter um bom custo benefício, um gasto de combustível relativamente econômico e ter uma manutenção em conta, as motos se tornam rapidamente uma das opções mais populares entre os condutores.  E é justamente por ter uma manutenção de custo mais baixo, que deixar os reparos de sua moto em dia é importante para que você possa rodar em segurança e com tranquilidade.  O Código de Trânsito Brasileiro (CTB), inclusive, determina no artigo 27, que é dever do condutor verificar as condições de seu automóvel antes de conduzi-lo, e que um veículo obstruindo a estrada é infração média, com medida administrativa de remoção da moto.  Então, é melhor investir na revisão e manutenção de sua moto do que ter que arcar com os gastos e dores de cabeça por causa da falta desses cuidados, não é? Mas sobre isso, pode deixar que vamos explicar melhor quais os cuidados a se ter com seu veículo e quais os tipos de manutenções que podem ser realizadas. 

Quando fazer manutenção na moto?

A manutenção da sua moto pode ser realizada de três formas diferentes, e cada uma delas deve acontecer em momentos específicos.

Manutenção Corretiva

Como o nome diz, a manutenção corretiva é feita quando já existem erros a serem reparados em sua motocicleta, que podem ser funcionais ou potenciais.

O erro funcional é quando a moto já não consegue desempenhar sua atividade por causa da falha. 

Enquanto o erro potencial, ocorre quando você percebe que o veículo, mesmo que funcionando, apresenta algum tipo de problema ou oferece dificuldade na condução. 

O contexto de necessidade urgente que a manutenção corretiva apresenta, pode fazer com o que o custo dessa correção seja mais alto do que os outros tipos de manutenção. 

A manutenção corretiva não tem um período específico para ser realizada, pois ela só é feita quando a moto já apresentou algum erro.

Manutenção Preventiva

A manutenção preventiva é utilizada como uma forma de garantir que sua moto está rodando bem e em segurança, e assim vai continuar. 

Certas partes da moto apresentam um período diferente para realizar a manutenção:

A troca de pneu, por exemplo, é recomendada a cada cinco anos, enquanto a do fluído de freio a disco, a cada dois anos. As revisões gerais acontecem, normalmente, a cada seis mil km rodados, e a da vela de ignição precisa ser feita a cada 3 mil. 

Manutenção Preditiva

Se você usa sua moto com mais frequência, como para serviço de entrega, por exemplo, a manutenção preditiva pode ser o tipo ideal a ser realizado. 

A manutenção preditiva serve para verificar qual será, potencialmente, o tempo de vida útil das peças de sua moto. 

Isso porque as peças citadas acima podem ter um desgaste maior, e o tempo necessário de revisão é reduzido. 

E, dessa forma, você já consegue ter uma ideia de quando precisará trocar algum item.

O que deve ficar atento ao fazer a manutenção da Moto

Pneus e rodas

Além de ficar de olho na vida útil dos pneus que, como falamos, tem uma média de cinco anos, é importante ficar atento à calibragem. O ideal é realizar a calibragem ao abastecer, logo que perceber uma alteração na pressão dos pneus.

Além disso, é mais seguro encher os pneus quando eles estiverem frios, porque a pressão altera com a temperatura da borracha. 

Correntes

A lubrificação das correntes é fundamental para que você rode em segurança e evite acidentes. 

Essa verificação é simples, e pode ser realizada antes de sair de casa. Além de checar se as correntes estão bem lubrificadas ou não, você também pode dar uma olhada se elas estão folgadas demais para rodar. 

Cada moto apresenta uma folga ideal para as correntes – indicada em seu manual –, mas passar desses centímetros permitidos por cada modelo também pode causar acidentes. 

Luzes

Ficar de olho na condição dos faróis de sua moto é importante para evitar acidentes e dor de cabeça com multas e conserto.

Rodar com as luzes do farol queimadas é considerado uma infração média. 

E, além de arcar com o reparo das lâmpadas, você vai precisar pagar a multa de R$130,16 e os 4 pontos na sua CNH.

Além das luzes, vale lembrar da importância de todos os itens obrigatórios de um veículo.

Gasolina e o óleo da moto

A gasolina é um item que pode parecer óbvio, mas ainda vale ser mencionado. 

Se sua moto fica bastante tempo parada, uma dica é deixar o tanque cheio, para que ele não oxide. E, antes de voltar a rodar, troque a gasolina que ficou parada dentro dele, se for possível, claro. 

Também é ideal que o tanque não fique na reserva constantemente. Isso porque as peças podem esquentar e a lubrificação não acontecer de maneira ideal. Além de você correr o risco de deixar a moto ficar sem gasolina e obstruir o trânsito.

A troca do óleo é importante para a lubrificação do câmbio. Essa troca deve ser realizada dentro do período indicado pelo fabricante da motocicleta. 

E se você roda com frequência, é provável que o tempo ideal para trocar o óleo seja metade do tempo indicado pelo manual do modelo. 

Vela de ignição

A vela de ignição é responsável pela combustão que gera o movimento de um veículo. 

E, como mencionamos, a revisão e troca da vela deve ser realizada, em média, a cada três mil km rodados. 

Com a vela de ignição gasta, a moto começa a gastar mais combustível do que o necessário, e até os gases emitidos por ela passam a ser mais poluentes ao meio ambiente. 

Filtros de ar

Cada modelo de motocicleta pode apresentar um filtro de ar diferente, mas a função permanece a mesma: filtrar e evitar a entrada de impurezas no motor. 

Alguns filtros podem ser reutilizados. O que significa que você pode retirá-los e lavá-los com água e sabão neutro. 

Outros tipos de filtros podem ser descartáveis. De qualquer forma, é importante que você saiba qual o tipo de filtro tem sua moto e como realizar sua limpeza ou troca. 

Freios

Existem dois diferentes tipos de freio nas motocicletas: o freio a disco e o freio a tambor. 

Se sua moto possui freio a disco, o que você tem de checar é o estado das pastilhas e realizar a troca do fluído – a cada dois anos, em média, como mencionamos. 

Essa checagem pode ser feita só de olhar o freio. 

A manutenção do freio a tambor, porém, necessita que se retire o item e o analise com mais atenção. 

Se sua moto utiliza o freio a tambor, preste atenção no tempo de frenagem. Se, com seu uso, a moto demora mais para parar, está na hora de levá-la ao mecânico.

Conclusão

E aí? Ficou mais simples a diferença entre os tipos de revisão e qual pode ser mais em conta para seu tipo de condução?

Esperamos que esse artigo possa ter esclarecido a importância de manter a revisão de seu veículo em dia para a sua segurança e demais pessoas no trânsito.

Se você quer saber mais sobre normas, mudanças legislativas de trânsito e ler sobre dicas de consumo e economia de combustível, continue lendo os conteúdos exclusivos postados aqui na Zapay. 

A gente possui a maior cobertura nacional de consulta de débitos veiculares. Nosso sistema é integrado aos de 25 Detrans pelo país, em todas as regiões brasileiras. Se você não sabe como anda a sua situação, faça sua consulta com a gente. Você ainda pode pagar multas, IPVA e Licenciamento sem sair de casa, tudo com um parcelamento de até 12x.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *