Categories:

Motos até 5 mil reais: Conheça os modelos

Com um trânsito cada vez mais complexo e cheio de automóveis de todos os tipos, todos querem opções rápidas, econômicas e com algum conforto, certo? É neste ponto que os amantes de motos se sobressaem, pela possibilidade de andarem pelo trânsito com a flexibilidade que os veículos de duas rodas automotores apresentam e pagando valores muito menores do que aqueles que optam por carros, por exemplo.

Mas vale sempre a dica de que é preciso pesquisar bem para escolher o veículo que melhor atende às suas expectativas e também aos objetivos. O mesmo é válido quando o assunto são motocicletas. Afinal, ninguém quer pagar caro ou ainda passar aperto para conquistar um bem desses, não é mesmo?!

E não há motivo para apertos mesmo – o principal é que o motociclista possa se organizar financeiramente e, assim, poder escolher o modelo que mais lhe agrada para pilotar em vias públicas. E isso não quer dizer que você tenha que pagar caro, afinal há todo um universo para veículos usados. Vale sempre considerar que, em caso de financiamentos, o valor da parcela não pode ultrapassar 30% do seu orçamento familiar.

Pensando nisso, a Zapay preparou este conteúdo com as principais motos até 5 mil reais. Saiba quais são as melhores motos com custo-benefício e as dicas para que você possa encontrar aquela que combina com você. Confira!

Quais as melhores motos até 5 mil reais?

Quais as melhores motos até 5 mil reais?

Antes de conhecer os modelos que podem lhe encantar, é importante se atentar a algumas dicas antes de realizar a sua compra.

É de extrema importância que você tenha alguma experiência com motocicletas e também tenha já realizado a sua formação como condutor, seja com a conquista da ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotor) ou da CNH A (Carteira Nacional de Habilitação tipo A). Estar treinado para conduzir motos e com as habilidades em dia garante um trânsito mais seguro para todos. 

Ainda no quesito cuidados, é necessário considerar fazer um seguro para a moto escolhida. Afinal, todo motorista está vulnerável em relação a deslizes e acidentes. Um seguro pode proteger o condutor quanto aos danos causados na moto e também aos ferimentos que venha a ter. Os seguros costumam cobrir contas médicas, danos, roubo, entre outras surpresas que possam ocorrer. Escolha uma corretora de sua confiança e verifique todos os pontos que a cobertura abrange.

E quais são as melhores motos para você? Para descobrir isso só há um caminho: experimentar a moto desejada. É muito importante que haja este match entre o seu corpo e a moto, afinal, ninguém gosta de conduzir uma moto com desconforto, não é mesmo?! Se você está adaptado às motos esportivas, a experiência com as motos despidas será completamente diferente e vice-versa. Em ambos os casos considera o peso, o desgaste na coluna, nas mãos, o tempo que você costuma fazer viagens – neste ponto, segurança e conforto andam ainda mais juntos. Fique ligado!

Outro ponto importante que você deve considerar, ao fazer a sua pesquisa sobre o modelo, a marca e quais são as suas reais necessidades com a moto, é um raio X de você mesmo. Qual é a sua real experiência com motos? Não há problema algum em ser inexperiente e estar aprendendo com a prática (depois da conquista da CNH A ou da ACC é importante continuar praticando). Mas, se você está procurando a sua primeira moto, será que vale a pena comprar uma moto esportiva?! Muitas vezes, começar com um modelo mais simples e menor pode ser um processo precioso para que você adquira ainda mais segurança e se reconheça ainda mais no modelo de moto que procura. Fica a dica!

Ainda falando sobre ajuste entre você e a moto, é de extrema importância pensar em ergonomia e segurança. Parece um detalhe, mas ter a possibilidade de plantar os dois pés no chão é algo que traz muita confiança, principalmente, aos condutores mais inexperientes. E isso tem a ver com a altura do assento para que você possa se equilibrar, bem como o peso da moto, a qual você deve conseguir controlar, sempre.

Além da sua pesquisa pessoal sobre as motos que mais lhe agradam, é bastante válido também ouvir as experiências de quem já tem mais tempo de estrada sobre duas rodas. Tanto as pessoas próximas que tenham motos quanto os profissionais e as páginas especializadas podem ser de grande ajuda neste momento. Plataformas como YouTube e Instagram trazem muito conteúdo com pessoas que fazem um test drive com diversos modelos de veículos, com opiniões sobre prós e contras.

É mais seguro e mais barato comprar uma moto já usada, afinal, você pode aprender muito da prática com ela, perceber aquilo que você gosta ou não gosta. Além disso, você pode conseguir aquele modelo dos sonhos e que, muitas vezes, tem um preço salgado quando comprado zero quilômetro. E um ponto é fato: haverá um momento em que você trocará de moto – e é mais fácil vender e comprar uma motocicleta usada. Mas atenção: ao comprar uma moto usada, certifique-se se não se trata de uma cilada: veja se toda documentação está correta, assim como se a parte física do veículo está em ótimo estado. Ninguém quer passar por problemas como adquirir moto roubada ou ainda uma motocicleta repleta de problemas e que possa se tornar a melhor amiga do mecânico.

Finalmente, é importante que você inspecione a moto, verifique o número de identificação do veículo, se há algum tipo de ônus (se houver, é aconselhável não comprar esta motocicleta), se atentar ao contrato de venda e também se a moto está nas condições divulgadas na venda. Se fechar o negócio, é de suma importância que o mecânico de sua confiança possa avaliar a moto e também fazer um ajuste completo no veículo.

Preço, ano e velocidade

Veja aqui um comparativo entre alguns modelos de motos, a partir de preço, ano e velocidade:

  1. Suzuki Burgman NA 125. Ano: 2010. Valor R$4.150. Velocidade máxima: 110km/h.
  2. Honda Bros ESD 150. Ano: 2005. Valor R$4.900. Velocidade máxima: 103km/h.
  3. Yamaha Factor Ed 125. Ano: 2011. Valor R$4.990. Velocidade máxima: 140 km/h.
  4. Honda CG 150 KS MIX. Ano: 2009. R$5.000. Velocidade máxima: 135 km/h.
  5. Honda Pop 110i. Ano 2016. R$5.300. Velocidade máxima: 91,8km/h.

Diferença entre modelos

Há muitos modelos de motocicletas disponíveis, divididos em categorias. Conheça como é feita essa dividida:

  1. Street (City): indicada para circulação nas cidades, também conhecida como “estilo padrão brasileiro”. São as motos mais comuns no trânsito nacional, com padrão on road, posição de pilotagem sentada, lugar para garupa e motores entre 125 e 500 cilindradas.
  2. Custom: padrão on road e voltada ao conforto. São muito conhecidas e utilizadas em filmes e fotos publicitárias. Têm entre 500 e 1200 cilindradas, possuem banco mais baixo, com apoio para garupa e garfos dianteiros longos. Apresenta as subdivisões: Bobber, Chopper, Cafe Racers e Scrambler.
  3.  Trail: feitas para encarar trilhas leves e pesadas. Tem o padrão on-off road, podendo circular para a rotina nas cidades, para encarra esportes e para pegar estradas.
  4. Maitrail: também conhecidas como bigtrails. São versões maiores das trails, com mais potência e performance.
  5. Naked (moto sem carenagens) já foi considerada como melhor uso diário nas cidades, com motores de cilindradas médias. Tem as seguintes subcategorias: Roadster e Streetfighter.
  6. Scooter: tem câmbio automático, ideal para asfalto e baia cilindrada (entre 50 e 150 cc).
  7. Sport: design aerodinâmico futurista, com motores que chegam até 1200 cilindradas. São os modelos que participam de provas de alta velocidade como Moto GP e Super Bike.
  8. Touring: com grande capacidade de carga e tanque, são conhecidas como “carros de duas rodas”, com motores superpotentes e grande torque.

Muita gente se engana e pensa que há uma modalidade de motos que dispensa o uso de carteira de habilitação. Isso já aconteceu há cerca de 50 anos, mas devido ao número de acidentes recorrentes, hoje a regra mudou. Mas o motociclista pode questionar: moto 50cc precisa de habilitação? Spoiler: sim, precisa! Para conduzir as famosas cinquentinhas é necessário ter a Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC). Trata-se de uma forma mais simples de habilitação, especial para a categoria de motos de 50 cilindradas. A Zapay preparou um conteúdo especial, onde você pode saber tudo sobre essas motos que atingem até 50 km/h e tem no máximo 90 quilos. Acesse o link

Marcas de motos até 5 mil reais

Na hora de encontrar a sua moto de até 5 mil reais, é importante que você busque marcas que apresentem modelo populares. E atente-se sempre para o estado de conservação da motocicleta e também sua documentação. Afinal, nunca é interessante ter uma moto que dará muita manutenção.

As principais marcam onde você pode encontrar motos seminovas e usadas por até 5 mil reais são: Honda, Yamaha, Suzuki, Kawasaki e Triumph. 

Vale dizer que todas essas marcas têm modelos fortemente indicados aos motociclistas que ainda estão buscando ter mais experiência. Este ponto é bastante importante para ajudar você a encontrar a moto desejada para suas necessidades. Afinal, com um mercado tão vasto e com tantas opções de marcas e modelos, vale a pena ter o veículo que está de acordo com seu grau de experiência, para evitar acidentes – e também evitar prejuízos financeiros.

Qual é o valor da manutenção

Ter uma motocicleta demanda cuidados, assim como qualquer outro bem. E essa noção de gastos deve fazer parte do seu planejamento financeiro, na hora de escolher pela escolha da moto e também na seleção do modelo e marca da moto desejada. Caso você opte por um empréstimo ou financiamento para conseguir conquistar sua moto, é necessário colocar esse valor também na balança.

Conheça alguns dos gastos com a moto que você deve ter em mente:

– IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) – imposto que deve ser pago anualmente e que corresponde em média 2% do valor da moto, pode variar de um estado a outro.

– Seguro obrigatório, o DPVAT (Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres) – este seguro deve ser pago junto com o IPVA. Desde o início de 2022, os valores do seguro DPVAT foram reduzidos, o de motocicleta custa R$ 12,30.

Seguro comum – este é um investimento para evitar gastos com surpresas que possam acontecer durante o ano. O valor depende da idade do condutor, a região onde mora e o modelo da moto. 

Troca de óleo – cabe ao condutor verificar no manual da moto de quanto em quanto tempo é necessário trocar o óleo da motocicleta. O óleo é essencial para manter a lubrificação do motor. Valor médio R$30.

– Filtro de ar e de óleo – este componente deve ser trocado regulamente para que impurezas vindas do ar e do óleo cheguem ao motor. Valor médio: R$20.

Combustível – o manual da moto indica qual é o seu consumo médio. Com a altas dos combustíveis com a atual crise socioeconômica, é sempre bom ficar de olho no consumo e no desempenho de sua moto.

Demais imprevistos – durante o ano podem acontecer algumas surpresas, como multas, valor a ser pago em estacionamentos e gastos com o mecânico. 

Conheça motos e bicicletas elétricas

Ao pesquisar sobre qual é a moto que pode atender melhor às expectativas e necessidades de cada motociclista, há pontos que vão muito além dos preços. Um deles é o custo-benefício e hoje, com a preocupação ambiental em alta, motos que poluem menos têm ganhado cada vez mais adeptos. Há ainda o conforto que o motociclista pode ter: afinal, não será mais necessário usar o transporte público, nem gastar dinheiro com o combustível em alta, principalmente diante de um cenário como o que vivemos hoje, não é mesmo?! A saída, então, é a procura por bicicletas elétricas e motos elétricas, que têm ganhado cada vez mais adeptos no trânsito brasileiro. Para saber como funcionam estes veículos de duas rodas e como se dá a regularização desses meios de transporte, acesse o link indicado.

Vocabulário de trânsito

Transferência de moto

Quem anda de moto quer ter uma moto, certo?! Não é raro, contudo, que os motociclista optem por uma moto seminova ou mesmo usada para atender suas necessidades, sejam elas deslocamento pessoal, para rotina e lazer, ou ainda o uso da motocicleta para prestação de serviços, como a realização de entregas. Mas, além do valor e do custo-benefício, é importante que tanto quem compra quanto quem vende esteja tento às burocracias que envolvem este negócio. Por isso, é importante fazer a transferência de moto, processo que altera os dados de cadastro do proprietário da moto que consta no DETRAN e no RENAVAM para os do comprador – o novo dono da moto. A Zapay preparou este conteúdo bastante didático para que você possa entender passo a passo deste processo e se livre de problemas e dores de cabeça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.