estepe temporário
Categories:

O que é o estepe temporário?

Tire suas dúvidas sobre o que é estepe temporário e sua importância para emergências e a segurança do veículo. Saiba ainda qual é o prazo de validade para o estepe de uso temporário, se é obrigatório, os cuidados com os pneus, dentre outras dicas.

Coloque seu cinto de segurança e embarque nessa com a Zapay!

– Qual a diferença do estepe temporário para o estepe normal? 

– Estepe temporário ou estepe convencional no carro é obrigatório? 

– Durante quanto tempo é possível rodar com o estepe temporário? 

– O estepe temporário pode entrar na troca frequente de rodízios de pneus? 

– Qual o prazo de validade de um estepe temporário?

Quais os problemas o pneu gasto pode oferecer ao motorista?

Qual a diferença do estepe temporário para o estepe normal? 

Tanto o estepe normal e quanto o estepe temporário (também conhecido como “estepe compacto” ou “estepe de emergência”) são dois tipos diferentes de pneus sobressalentes usados ​​em veículos automotores. Vale a pena frisar que eles têm finalidades e características distintas – a seguir, confira mais sobre esses pontos:

  • Tamanho e dimensões:

O estepe normal é um pneu de tamanho e dimensões idênticos aos pneus regulares do automóvel. Ou seja, ele apresenta o mesmo tamanho que os pneus que estão atualmente no veículo. Isso significa que ele proporciona desempenho semelhante ao dos pneus regulares e pode ser usado em todas as rodas do veículo, sem restrições.

Por sua vez, o estepe temporário é significativamente menor e mais estreito do que os pneus regulares, afinal, ele é projetado para ser mais leve e ocupar menos espaço no porta-malas. Devido às suas dimensões reduzidas, o estepe temporário não oferece o mesmo desempenho e capacidade de carga dos pneus regulares.

  • Uso e finalidade:

O estepe normal é um substituto completo para os pneus regulares do carro. Assim, pode ser usado de forma permanente até que o pneu avariado seja reparado ou substituído. Ainda: permite que o veículo continue a operar normalmente, mantendo o desempenho e a capacidade de carga.

Já o estepe temporário é projetado exclusivamente para uso temporário e de emergência. Geralmente, é destinado a ser utilizado por distâncias limitadas (até 50-70 quilômetros) a baixas velocidades (não mais que 80 km/h). Desse modo, o estepe não é adequado para uso prolongado ou viagens de longa distância.

  • Limitações:

O estepe normal não tem limitações significativas, além de ser uma substituição temporária dos pneus regulares. Assim, ele oferece o desempenho completo do veículo e pode ser usado em qualquer condição de direção.

Quando ao estepe temporário, é válido destacar que ele apresenta várias limitações. Devido às suas dimensões reduzidas e construção leve, tal pneu não é adequado para todas as situações. Além disso, o uso prolongado ou em altas velocidades pode causar danos ao pneu temporário.

 

Em suma, a principal diferença entre o estepe temporário e o estepe normal está no tamanho, na finalidade e nas limitações. O estepe normal é um pneu de tamanho regular que pode substituir completamente um pneu avariado, enquanto o estepe temporário é menor, mais leve e projetado apenas para uso temporário em situações de emergência, com limitações significativas em termos de distância e velocidade. 

É importante seguir as recomendações do fabricante do veículo quanto ao uso e às limitações do estepe temporário e substituí-lo pelo pneu regular assim que possível. Não vacile com esse cuidado, amigo motorista. Pode ser a diferença entre um acidente ou uma viagem tranquila ao lado de seus familiares.

calibragem estepe temporário

Estepe temporário ou estepe convencional no carro é obrigatório? 

Sim, amigo motorista, o estepe é um item obrigatório para todos os veículos nacionais ou importados. Contudo, em determinados casos, a legislação brasileira permite sua ausência, uma vez que o motivo seja comprovado tecnicamente pelo Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN, atual Secretaria Nacional de Trânsito – SENATRAN).  

Vale frisar que uma dessas exceções é voltada aos veículos equipados com pneus Run Flat. Segundo a Resolução nº 540/2015, do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), exige-se selante em quantidade suficiente para o reparo de, ao menos, um pneu. Além disso, é necessário ainda um dispositivo que permita encher o pneu até a pressão recomendada para o uso temporário, em um período máximo de 10 minutos.

Ainda: os pneus Run Flat apresentam diversas camadas de borracha de variadas densidades nos flancos, ombros e talões (a lateral e o aro de fixação na roda). Tais reforços estruturais apoiam o peso do automóvel quando o pneu está completamente sem ar pressurizado em seu interior. Assim, é possível rodar com o carro em segurança, sem que ocorra detalonamento. Lembre-se: detalonamento é o nome dado para quando o pneu sai da roda.

Há alguns carros que já saem de fábrica com estepes de uso temporário, que são mais finos do que os pneumáticos utilizados, podendo atingir até 80 km/h como velocidade limitada. Quando tais pneus são escolhidos, as empresas fabricantes conseguem liberar mais espaço no porta-malas, além de reduzir o peso do automóvel.

O pneu menor é ainda menos danoso ao meio ambiente, afinal, faz uso de menor material. Ainda: como é mais leve, ele facilita a troca para indivíduos mais frágeis, em uma situação de emergência, como em um dia de chuva, uma estrada escura de madrugada, etc. 

Dica da Zapay: saiba mais sobre o porquê o estepe é obrigatório no carro 

Durante quanto tempo é possível rodar com o estepe temporário? 

O tempo e a distância que o condutor pode rodar com um estepe temporário podem variar, a depender do fabricante do pneu temporário e das recomendações específicas do automóvel. 

Porém, de modo geral, um estepe temporário é projetado para ser utilizado apenas por distâncias limitadas e a baixas velocidades, afinal seu objetivo principal é permitir que o motorista chegue a um local onde possa reparar ou substituir o pneu danificado.

Há um cálculo simples que pode ser usado para saber quanto de tempo de uso do pneu temporário: 80/80. Isso quer dizer que dá para rodar com o referido estepe por no máximo 80 quilômetros e não passar os 80 km/h. Rodar acima disso, pode fazer com que o pneu exploda. 

É fundamental que o motorista verifique as especificações do fabricante do pneu temporário, que devem estar impressas no próprio pneu ou no manual do veículo. Essas especificações fornecerão informações precisas sobre a distância e a velocidade máximas recomendadas para o pneu temporário em questão.

Lembre-se, amigo condutor: estepe temporário não é uma solução de longo prazo e deve ser usado apenas como uma medida temporária para permitir que o condutor chegue a um local seguro para reparar ou substituir o pneu danificado. 

Além disso, recomenda-se que o motorista evite dirigir com o estepe temporário por distâncias muito longas, pois ele não oferece o mesmo desempenho, nem a mesma tração e ou durabilidade dos pneus regulares do veículo. Lembre-se que cada parte do seu carro deve estar sempre em ordem, e isso inclui os pneus.

Dica da Zapay: descubra qual a hora certa de trocar o pneu 

estepe de uso temporário

O estepe temporário pode entrar na troca frequente de rodízios de pneus? 

De maneira geral, o estepe temporário não é projetado para ser usado como parte de uma rotação regular de pneus. 

O nome mesmo já diz, temporário, ou seja, esse estepe é feito para uso exclusivo em emergências, em que um dos pneus regulares está danificado e precisa ser substituído.

A seguir, confira algumas das principais razões pelas quais o estepe temporário não deve ser incluído na rotação regular de pneus:

O estepe temporário é significativamente menor e mais estreito do que os pneus regulares, e costuma apresentar um perfil de carga muito menor. Afinal, usar o estepe temporário em uma rotação regular de pneus poderia prejudicar o desempenho do veículo, gerando mais gastos e até alguns perigos para o motorista.

Outro ponto é que o estepe temporário é projetado para ser usado apenas temporariamente, por curtas distâncias e a baixas velocidades, para permitir que o motorista chegue a um local seguro onde o pneu avariado possa ser reparado ou substituído. Assim sendo, vale destacar que ele não é adequado para uso contínuo.

Lembre-se, condutor: para manter o desempenho e a segurança do veículo, é importante seguir as recomendações do fabricante do veículo em relação ao uso do estepe temporário e não o incluir em rotações regulares de pneus. O rodízio de pneu é uma prática válida para os motoristas que cuidam do carro com esmero e atenção. Veja se é o seu caso, amigo motorista, pois esse tipo de prática exige mais comprometimento, apesar de gerar mais economia em muitos casos.

Dica da Zapay: descubra como fazer o rodízio de pneu.

Qual o prazo de validade de um estepe temporário?

Tenha em mente, amigo condutor: não existe uma data de validade determinada ou específica para um estepe temporário. Contudo, conforme o nome do componente já entrega, ele deve ter a estrutura, a aparência e o armazenamento avaliados constantemente. Fique ligado!

Desse modo, caso haja danificação ou desgaste fora das especificações, o pneu estepe deve ser substituído, como forma de prevenção quanto a acidentes. 

Quais os problemas o pneu gasto pode oferecer ao motorista?

Existem diversos problemas para um carro que utilize o estepe fora das condições ideias de uso, o famoso pneu “careca”. Separamos abaixo os principais perigos dessa prática. Confira:

Acidentes de trânsito

Sem dúvida, esse é o risco mais perigoso para motoristas, passageiros e pedestres. Os pneus carecas perdem quase que por completo a aderência ao asfalto. Isso faz com que o carro tenha dificuldade em responder a frenagens e manobras rápidas em casos de emergências.

Quanto maior for o desgaste, pior a situação do motorista. Ou seja: você pode acabar sendo vítima da sua própria irresponsabilidade.

Risco de Aquaplanagem

É um fato que quanto mais careca o pneu, mais liso ele vai se tornando. Isso porque eles não possuem mais os sulcos para escoamento da água, deixando o seu veículo com mais probabilidade de sofrer as chamadas aquaplanagens.

Aquaplanagem é o fenômeno que ocorre quando os pneus, ao passarem sobre uma fina camada de água, acabam perdendo aderência ao solo.


Ela pode ser extremamente perigosa, principalmente em velocidades consideradas elevadas nas ruas e estradas brasileiras, e podem causar graves acidentes.


Se o amigo motorista se ver nessa situação, o ideal é que você desacelere e tente manter a direção sempre em linha reta, procurando retomar o controle do veículo.

Infração de trânsito

Segundo o Código Brasileiro de Trânsito, condutores que dirigirem veículos que apresentem falta de manutenção adequada serão punidos com cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da multa de R$ 195,23.


E, anote aí, amigo motorista: os pneus carecas estão inclusos nessa fiscalização. Ou seja, caso você seja parado em uma blitz, o estado de conservação do seu pneu pode ser facilmente visualizado pelas autoridades. Se a situação for crítica, você pode ter até o seu veículo apreendido pela autoridade policial.

Interferência no alinhamento ou balanceamento do carro

As más condições do pneu também acarretam problemas no alinhamento e balanceamento do veículo, obrigando o motorista a utilizar mais força na hora de realizar uma curva, por exemplo. Essa situação reduz a segurança e a estabilidade do condutor.


Derrapagem 

Como foi dito no caso da aquaplanagem, os sulcos são fundamentais para o bom funcionamento do veículo. Isso porque função de criar a tração correta entre as pistas e os pneus. No caso dos pneus estarem carecas, o risco de derrapagem ou até capotamento é muito maior em uma simples curva ou freada mais brusca.

Atolamento

Pneu gasto que anda muito por estradas de terra tornam a situação ainda mais grave para todos.  Além do risco eminente de derrapar, os casos de atolamento podem ser frequentes com os pneus gastos. Com menor tração nas rodas, fica muito mais difícil de se transitar em vias com barro e areia.

Menos estabilidade

O último item da nossa lista é em relação a instabilidade que esse pneu pode criar, tornando a direção bem desconfortável e, principalmente, insegura. Pra começar, o tempo de resposta ao frear se torna muito maior. Além disso, em casos mais graves, há o risco do pneu furar, podendo gerar acidentes, dependendo da velocidade na pista.

Avatar image of Alessandra Comitre
Written by

Alessandra Comitre

Jornalista formada há mais de 15 anos, com 12 anos de experiência em produção e criação de conteúdo, edição de texto, e gestão de pessoas. Atualmente atuo como redatora e produtora de conteúdo SEO freelancer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *