Cambagem
Categories:

Cambagem: O que é e qual o valor?

O que é cambagem? 

A cambagem, também conhecida como camber, é uma medida, que diz respeito à perpendicularidade da roda em relação ao solo. Importante: quando as rodas do veículo estão com ângulos de inclinação com 90º em relação ao asfalto, não é necessário fazer o ajuste da cambagem.

Vale a pena o amigo(a) motorista se atentar a duas situações de deformidade, que indicam que há algo errado: a cambagem positiva (situação na qual a roda está inclinada para dentro de para-lamas) e a cambagem negativa (situação na qual a roda está inclinada para fora do para-lamas).

Conheça nossos serviços e aprenda como quitar os seus débitos de veículos

Caso você perceba a cambagem positiva ou ainda a cambagem negativa, a dica é: leve seu automóvel até um profissional especializado, ou seja, um mecânico de sua confiança. Somente quem entende do assunto pode avaliar os motivos para o surgimento destas deformações.

Os três tipos de cambagem são:

  1. Cambagem negativa: pneus estão voltados para fora do carro.
  2. Cambagem positiva: os pneus estão voltados para dentro do carro.
  3. Cambagem nula: os pneus fazem um ângulo reto.

Dica da Zapay: confira as nossas dicas sobre segurança no trânsito

Cambagem
Cambagem

Para que serve cambagem e caster? 

Mais uma vez, vale reforçar que a cambagem trata de um ajuste da inclinação das rodas de um automóvel em relação ao plano vertical. Seu objetivo é controlar o rolamento e desentortar uma deformação.

Cada automóvel apresenta uma angulação ideal, que está especificada pelo fabricante no manual do proprietário. E é importante ter esta informação em mente, uma vez que o camber auxilia na estabilidade do veículo, em situações de esforços laterais – que acontecem em uma curva, por exemplo.

Assim, há compensação dos movimentos de flexibilidade da suspensão, de modo a evitar vibrações de média intensidade das rodas para o volante. Fica a dica!  Alterar o ângulo do veículo é algo bastante difícil de ocorrer, porém acidentes acontecem: pode acontecer uma forte pancada lateral ou ainda se você pode passar por um buraco muito grande no asfalto (sem querer).

É importante saber que grande parte dos veículos não possui sistema de regulagem de cambagem. Fica a dica!

Por sua vez, o caster é o ângulo que se forma entre o pino mestre da roda do veículo em relação ao plano vertical visto de lado. O caster carrega uma função de extrema importância ao veículo automotor, pois ele atua na estabilidade de automóvel, na aderência dos pneus e também na velocidade final do carro.

Costumeiramente, tal ângulo é preestabelecido pelo fabricante (montadora) do veículo, de modo que determinadas peças devem ser checadas quando sofrem impacto. O motivo: tais peças podem se deformar justamente com a coluna de suspensão – e isso tira o ângulo original do veículo.

Para medir o caster do automóvel, é necessário traçar uma linha entre os pontos de articulação inferiores e superiores. Assim, o ângulo formado entre a linha traçada e a vertical é o caster. 

Há três tipos de ângulo, de modo que cada um destes ângulos tem pontos prós e contra. Vale reforçar que o caster tem como função a estabilidade direcional do automóvel, de modo a se inclinar para trás (positivo) e para frente (negativo) do pino mestre ou ainda do braço de suporte do eixo na parte superior. 

Quando é necessário fazer a cambagem? 

Embora a cambagem não seja uma prática recomendada pelos fabricantes de veículos, ela pode ser indicada em situações específicas. Por exemplo, se o automóvel sofreu algum tipo de dano no conjunto de suspensão e está fora do ângulo ideal – esta situação pode causar desgaste irregular dos pneus. 

A consequência desta situação é a desestabilização do veículo, vibrações no volante ou ainda automóveis que ficam “puxando” para um lado ou para outro. Portanto, esteja sempre atento, amigo condutor!

Se ocorrer qualquer comportamento anormal, vale reforçar que é essencial contratar os serviços de uma oficina mecânica especializada – ou seja, contatar o mecânico de sua confiança para avaliar os pneus e o balanceamento, por exemplo, e uma eventual necessidade de cambagem. 

Importante: após o automóvel sofrer um forte impacto na suspensão, não é recomendável a cambagem imediata, mas, sim, a avaliação do mecânico especializado em rodas, pneus e suspensão. É ele quem analisará a situação (o problema) e poderá apontar um caminho para solução, como a troca de algum componente do sistema em questão. 

Meu veículo pode ser guinchado em blitz policial

Qual é o valor de uma cambagem? 

Os valores para o serviço de cambagem podem variar a depender da quantidade de rodas a serem consertadas, a gravidade do problema, a sua localidade, os profissionais, dentre outros fatores. Em média, este serviço custa entre R$260 e R$550 – ou seja, cerca de R$100 por roda.

Há mecânicos, dentre outros profissionais ligados ao mundo automobilístico, que não recomendam a regulagem do camber. E o motivo até já comentamos neste artigo – mas vale a pena ver de novo: a maioria dos veículos não vem com sistema de regulagem do camber. 

Assim, mudar o ângulo demanda a utilização de um cilindro hidráulico para desentortar a roda, de modo a trazê-la para o ângulo especificado no manual do proprietário do veículo. 

Contudo, é importante saber que no manual não há orientações sobre como agir, caso haja a necessidade de alterar a cambagem. Este procedimento não vem especificado por nenhuma montadora ou fabricante. 

O ideal é trocar a peça com problema – serviço que deve ser feito e avaliado por um mecânico especializado. Pode ser troca de mola, amortecedor, manga de eixo, dentre outros itens. 

Como saber se a cambagem está ruim? 

Para saber se a cambagem está ruim – ou seja, se há algum desajuste -, não é preciso ir até uma oficina mecânica – o próprio condutor pode identificar se há algo anormal aparente e que prejudique o desempenho deste componente. Mas, claro, é sempre válido também levar o veículo a um mecânico de confiança para um check-up detalhado.

É de suma importância que o amigo motorista verifique se há um desgaste maior na parte interna da banda de rodagem dos pneus (ou do pneu). Mas por quê? Ora, este é um indicativo de que há algum problema ou falha na cambagem negativa.

Por sua vez, se o condutor observar o desgaste na parte externa da banda de rodagem do pneu, então, trata-se de um problema na cambagem positiva. 

E como saber qual é a cambagem ideal? A Zapay lhe explica: a cambagem deve estar nula, ou seja, a 90º em relação ao asfalto (solo).

Vale dizer que em veículos que não foram projetados para o ajuste de camber, não é recomendável que a tentativa de achar uma solução seja feita na força – como no uso de marretadas ou ainda do macaco hidráulico. 

Tentar resolver o desajuste por estes caminhos pode trazer outras dores de cabeça ao condutor do veículo, afinal corrigem o efeito e não a causa do desajuste. Um exemplo desta situação é o desgaste em demasia do rolamento da roda.

Se liga neste destaque: é possível que, durante um alinhamento, o mecânico de sua confiança encontre ângulos de inclinação alterados devido ao desgaste normal, empeno ou ainda à quebra de peças, como buchas, balanças e ponteiras do eixo.

Atente-se também às revisões programadas pela montadora do seu veículo. Lembre-se: a cambagem é uma das regulagens possíveis do alinhamento veicular. Existem automóveis os quais há a regulagem de cambagem. Já em outros, a cambagem consta fora do especificado, o que pode causar outros problemas, como amortecedor comprometido, bandeja amassada, bem como danos nos braços de controle e em outros componentes da suspensão. 

A indicação é a troca de peças que apresentam problemas, uma vez que os elementos que rigorosamente possam obedecer aos parâmetros do fabricante dificilmente serão contemplados pelas oficinas. Há muitas lojas que realizaram o serviço, mas dificilmente a geometria do ângulo de cambagem será a mesma. 

Caso o condutor autorize a tentativa de desempenhar utilizando as ferramentas da oficina mecânica, é importante saber que haverá força indevida na peça, o que muda as propriedades mecânicas dos materiais. Além disso: nada impede que o problema com alteração de ângulo de câmber volte. 

Não há atalho que valha mais do que a sua segurança e a sua vida, não é mesmo?! Portanto, foco sempre nos caminhos mais seguros para a manutenção do seu veículo.

O condutor não é obrigado a fazer a cambagem no momento do alinhamento e do balanceamento. Embora seja possível detectar problemas de cambagem durante o alinhamento.

Qual a diferença de alinhamento e cambagem?

Costumamos ouvir muito sobre alinhamento e balanceamento, o alinhamento é um serviço que corrige o volante em relação à comunicação com as rodas, que deve ser precisa – afinal, é um sistema essencial para o funcionamento do veículo e para a segurança de todos no trânsito.

Para evitar que o automóvel puxe para a direita ou para a esquerda, o alinhamento acerta o volante, de forma que ele fica centralizado. Caso o veículo puxe para um lado ou outro, é sinal evidente de que ele está descalibrado. Fica a dica!

Antes de realizar o alinhamento do seu veículo, certifique-se se os pneus estão calibrados corretamente.  

E como sei que o veículo precisa de um alinhamento? Basta observar se ele puxa mais para a esquerda ou ainda para a direita. Se em um local amplo, você acelerar até os 20 km/h e perceber esse repuxo para determinado lado, saiba, então, que é necessário levar seu automóvel para uma oficina mecânica de sua confiança para ser alinhado.

Em caso de batida que atinja as rodas, como impacto ao passar por buracos ou meios-fios, é também recomendável o alinhamento do veículo.

Já o balanceamento garante que as rodas girem sem vibrações.

A cambagem, conforme já vimos neste artigo, diz respeito ao ângulo de inclinação da roda em relação ao solo. O ideal é que este ângulo de 90º.

Dicas da Zapay!

Dica 1:  Fique por dentro sobre as placas sinalização de trânsito

Dica 2: Aprenda sobre os Sinais de Trânsito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *