moto automática
Categories:

Melhores motos automáticas: confira a lista

Uma das queridinhas das ruas brasileiras é a moto automática. E não é por acaso, afinal, as scooters são práticas, econômicas e, não-raro, trazem bastante estilo.

Conheça alguns modelos, como a moto automática Honda, dentre outras marcas, e saiba mais sobre como funciona moto automática, dentre outras dicas. Confira!  

O que são as motos automáticas? 

As motos automáticas chegaram para trazer ainda mais conforto e praticidade ao condutor em suas viagens – sejam elas longas ou curtas. Tais motocicletas possuem mais tecnologia, marcadas pelo sofisticado sistema DCT – a sigla para Dual Clutch Transmission.

Mas qual é o diferencial desta transmissão? Ela é automatizada de seis marchas com dupla embreagem. Talvez você não estranhe tanto esta tecnologia, pois ela já é bastante presente em diferentes modelos de veículos que transitam nas vias públicas brasileiras. 

Ainda sobre o sistema DCT: ele faz uso de sensores que escolhem a marcha mais adequada para o momento (ou seja, considerando a velocidade que a moto trafega e a exigência do motor). Desse modo, o sistema pode escolher o melhor instante para realizar as trocas de marcha necessárias na moto.

Você pode estar se perguntando: mas e a autonomia do piloto? O condutor perde suas funções? Pode ficar tranquilo, amigo motorista, pois a sua autonomia permanecerá, se você assim desejar, afinal ainda será possível operar a seleção das marchas a serem utilizadas. 

Vale ressaltar que uma motocicleta automática tem o mesmo nível de funcionamento que uma moto que utilize a transmissão convencional. 

Como o sistema DCT possui dupla embreagem, elas funcionam da seguinte forma: enquanto uma fica encarregada das marchas ímpares, cabe à outra o funcionamento das marchas pares.

Há uma harmonia para o funcionamento das marchas. Imagine só: quando você está conduzindo a moto e ela está na segunda marcha, a outra embreagem fica com a primeira e a terceira marchas já pré-engatadas. 

É possível também que você encontre motocicletas automáticas com o sistema CVT – sigla para Continuous Variable Transmission – que é uma transmissão continuamente variável. Tal opção é direcionada aos veículos de baixa potência devido aos limites mecânicos e estresse da correia. Uma curiosidade: parar de acelerar uma moto com CVT é o mesmo que colocá-la em ponto-morto. 

As motos automáticas são também conhecidas como scooters – categoria de motocicletas bastante popular nas áreas urbanas brasileiras. De modo simplificado, o condutor tem apenas o trabalho de acelerar e frear quando está pilotando uma moto automática.

Ainda: as motocicletas automáticas apresentam chassi monocoque ou monobloco estrutural, além de conterem um único assoalho e tanque de combustível na parte de baixo do banco do condutor. 

As rodas das scooters são menores, de modo que a distribuição de peso ocorre sobretudo na parte traseira do veículo.

Você sabe quais são os documentos obrigatórios da moto? Confira neste conteúdo! 

Quais são as melhores? 

Há alguns pontos que são considerados vantagens para quem pilota motos automáticas, como a praticidade em sua condução, o fácil deslocamento nas cidades e o conforto (afinal, cabe ao condutor apenas acelerar e frear).

Conheça algumas das principais motocicletas automáticas disponíveis no mercado automobilístico brasileiro.  

O site da Zapay é sempre uma mão na roda!

Com a Zapay você vai:

Consulte as pendências do seu automóvel;

Parcele os débitos em até 12 vezes no cartão de crédito.

Você pode também consultar placa de veículo.

APP Zapay

Honda PCX 150 H3 

Honda PCX 150 H3 
Honda PCX 150 H3

Quando o assunto é o mercado brasileiro, a Honda PCX 150 entende bem. Trata-se de uma das líderes do mercado e que é marcada por características como conforto, praticidade e economia, com tanque de oito litros. 

Devido ao motor 150 cc – de quatro tempos, arrefecido a líquido e com injeção eletrônica -, esta scooter costuma rodar mais de 30 quilômetros a cada litro. Ainda sobre o motor: ele tem potência de 13,2 cv a 8.500 rpm, de modo que é capaz de alcançar velocidade máxima de 110 km/h (limitada eletronicamente).

Há quatro modelos da Honda PCX disponíveis no mercado: Sport ABS, DLX ABS, PCX ABS e PCX CBS. Todos com painel 100% digital, que revelam informações como consumo médio, relógio e nível de gasolina. Estas motos automáticas possuem ainda o sistema “idling stop”, que desliga o motor quando parado por mais de três segundos. 

Confira as características mecânicas (motor) da Honda PCX 150 H3:

  1. Tipo: OHC, Monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a líquido.
  2. Cilindrada: 149,3 cc.
  3. Potência Máxima: 9,74 kW (13,2CV) a 8.500 rpm.
  4. Torque Máximo: 13,5 N.m (1,38 kgf.m) a 5.000 rpm.
  5. Transmissão: Tipo V – MATIC.
  6. Sistema de Partida: Elétrico.
  7. Diâmetro x Curso: 57,3 x 57,9 mm.
  8. Relação de Compressão: 10,6:1.
  9. Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI.
  10. Combustível: Gasolina.

Dafra Citycom 300i 

Dafra Citycom 300i 
Dafra Citycom 300i

Esta moto é uma parceria entre as empresas Dafra (Brasil) e SYM (Taiwan), resultando em uma scooter de motorização intermediária. 

Além da praticidade e versatilidade quando trafega nas cidades, esta scooter pode ser uma ótima companheira para viagens mais longas nas estradas. Afinal, ela possui rodas grandes com aro maior, de 16 polegadas, além de liga de alumínio.

A Dafra Citycom 300i epsa cerca de 185 quilos e seu tanque tem capacidade de armazenar até 10 litros de combustível. Esta moto faz em média de 25 a 30 quilômetros por litro de combustível – números que podem variar a depender do terreno e dos costumes do piloto. De modo geral, possui uma autonomia entre 250 e 300 quilômetros.

Confira a ficha técnica da Citycom 300i, no que diz respeito à mecânica:

  1. Cilindrada: 278,33 cc.
  2. Configuração do motor: Monocilíndrico.
  3. Ciclo: 4 tempos.
  4. Arrefecimento: Água com injeção eletrônica.
  5. Tipo: OHC.
  6. Potência máxima: 27,8 cv a 7750 rpm.
  7. Torque máximo: 2,8 kgf.m a 6500 rpm.
  8. Diâmetro x curso: 75 x 63 mm.
  9. Transmissão: Automática de variação continua.
  10. Partida: Elétrica.

Honda Lead 110 

Honda Lead 110 
Honda Lead 110

Esta scooter é mais um sucesso nas vias públicas brasileiras. Lançada em 2009, a Honda Lead 110 apresenta injeção eletrônica de combustível e freio com sistema CBS, que possibilita, ao acionar o freio traseiro, que o freio dianteiro também seja acionado.

Em 2017, a Honda Lead 110 saiu de linha, por conta da lei antipoluentes. Devido ao Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (PROMOT 4), muitas motos precisaram sair de linha. O motivo: não estavam adequadas às regras de emissão de gases poluentes.

Confira algumas características da Honda Lead 100:

  • Motor: 4 tempos / OHC, monocilíndrico, 2V / 115 cc / refrigeração a água.
  • Alimentação: injeção eletrônica.
  • Ignição: eletrônica.
  • Partida: elétrica.
  • Diâmetro x curso (mm): 50 x 55.
  • Taxa de compressão: 11,0:1.
  • Potência (cv a rpm): 9,2 a 7500.
  • Torque (mkgf a rpm): 0,97 a 6000.
  • Câmbio: automático, tipo CVT.
  • Chassi Quadro: monobloco.
  • Suspensão Dianteira: garfo telescópico com 90 mm de curso.
  • Traseira: balança oscilante monoamortecida lateralmente, com 84 mm de curso.
  • Freios Dianteiro: disco de 190 mm de diâmetro.
  • Traseiro: tambor de 130mm de diâmetro.
  • Pneus Dianteiro: 90/90 – 12.
  • Traseiro: 100/90 – 10.

Yamaha Neo 125 

Yamaha Neo 125 
Yamaha Neo 125

Esta scooter marcou uma geração, mais precisamente entre 2004 e 2013. A Yamaha Neo 125 ressurgiu novamente ao mercado automotivo, agora com um motor de 125cc, bastante atraente para os iniciantes no universo das motos automáticas.

Em tempos de crise econômica, onde todos querem o melhor custo-benefício e, de preferência, escapar de veículos beberrões de combustível, a Yamaha Neo 125 é mais uma ótima opção. Vale ressaltar que sua autonomia é de 150 quilômetros, com tanque de 4,2 litros. Com rodas de 14 polegadas, ela ainda oferece conforto ao condutor.

Confira alguma das características técnicas desta motocicleta:

  • Cilindrada: 125 cc.
  • Tipo de Motor: 4 tempos. 
  • Arrefecimento: Ar.
  • Combustível: Gasolina.
  • Potência Máxima: 9.00 a 8000 rpm.
  • Torque Máximo: 0.98 a 5500 rpm.
  • Transmissão: CVT.
  • Injeção: Eletrônica.
  • Suspensão dianteira: Convencional.
  • Partida: Elétrica.
  • Ajuste da suspensão dianteira: Sem ajuste.
  • Chassi: Aço tubular.
  • Suspensão traseira: MonoShock.

Honda Elite 125 

Honda Elite 125 
Honda Elite 125

A Honda Elite 125 costuma ser a queridinha entre as motoristas. Esta scooter é também marcada por características como praticidade e economia. Pesando apenas 104 quilos, ela é fácil de ser conduzida e manobrada. 

Além disso, trata-se de uma scooter baixinha, a qual o banco fica situado a apenas 77 centímetros do solo – o que facilita muito para as condutoras ainda não tão experientes, afinal é fácil colocar os pés no chão com a Honda Elite 125.

Conheça as características técnicas desta moto automática:

  • Tipo: OHC, Monocilíndrico 4 tempos, arrefecido a ar.
  • Cilindrada: 124,9 cc.
  • Potência máxima: 9,34 CV a 7500 rpm.
  • Torque Máximo: 1,05 kgf.m a 6000 rpm.
  • Transmissão: Automática, do tipo V – MATIC.
  • Sistema de Partida: Elétrica.
  • Diâmetro x Curso: 52,4 x 57,9 mm.
  • Relação de Compressão: 9.8 : 1.
  • Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI.
  • Combustível: Gasolina.

Haojue Lindy 125 

Haojue Lindy 125 
Haojue Lindy 125

Se você procura por uma moto automática para se locomover em seus compromissos no dia a dia das cidades, a Haojue Lindy 125 pode ser perfeita. Esta scooter traz a união entre a economia e o conforto, além de um motor com tecnologia de combustão eficiente.

Uma vantagem: esta motocicleta traz, já de fábrica, um bauleto, o que facilita muito para o transporte dos pertences do condutor. 

Confira a ficha técnica da Haojue Lindy 125:

  • Motor tipo: 4 tempos, OHC, refrigerado a ar forçado.
  • Curso: 55,2 mm.
  • Tipo de ignição: Eletrônica (CDI).
  • Potência Máxima: 8,4 cv / 6,2 kw a 7000rpm.
  • Torque Máximo: 0,92 kgf.m / 9 nM a 6000rpm.
  • Número de cilindros: 1 cilindro.
  • Diâmetro: 53,5 mm.
  • Cilindrada: 124 cc.
  • Taxa de compressão: 9.6:1.
  • Sistema de lubrificação: cárter úmido.
  • Sistema de partida: elétrica e pedal.
  • Alimentação: carburador.

Shineray Retrô EX 50 

Shineray Retrô EX 50 
Shineray Retrô EX 50

Para andar pelas cidades com charme e estilo, a Shineray Retrô EX 50 é a escolha certa. Essa motocicleta de 50 cilindradas apresenta câmbio CVT, porta objetos debaixo do assento, suspensão traseira com duplo amortecimento, assento anatômico e protetor de escapamento cromado. 

  • Conheça suas características técnicas:
  • Cilindradas (cc): 49 cc.
  • Motor: 2 Válvulas, 4 T, Monocilíndrico, OHC.
  • Capacidade do tanque de combustível: 4,5 litros.
  • Sistema de partida: Elétrica, Pedal.
  • Peso: 95 kg.
  • Dimensões (mm): 1.950 x 870 x 1.320.
  • Refrigeração: Ar.
  • Qtde cilindros: 1.
  • Capacidade: 50 cm³.
  • Potência: 3 cv.
  • Torque: 0,35 kgfm.
  • Câmbio: CVT.

Kymco Agility 16+ 200i 

Kymco Agility 16+ 200i 
Kymco Agility 16+ 200i

Esta scooter traz ótimo custo-benefício, sendo o menor e o mais barato modelo oferecido no Brasil. A Kymco Agility 16+200i apresenta sistema de freio ABS e motor monocilíndrico de 163 cm³. Além disso, tem arrefecimento a ar, é alimentada por injeção eletrônica e transmissão automática do tipo CVT. 

Kymco Agility 16+200i roda apenas com gasolina e é capaz de entregar 12,5 cv de potência a 7.500 rpm e 1,3 kgfm de torque a 5.500 rpm.

É importante ressaltar que, em março de 2022, a Kymco – que também administra as marcas Suzuki e Haojue – anunciou a descontinuação do modelo. Os proprietários podem ficar tranquilos, pois a assistência continuará funcionando.

  • Cilindrada: 163 cc.
  • Tipo de Motor: 4 tempos.
  • Arrefecimento: Ar.
  • Combustível: Gasolina.
  • Potência Máxima: 12,5 cv a 7.500 rpm.
  • Torque Máximo: 1,30 kgf.m a 5.500 rpm.
  • Transmissão: Automática (CVT).
  • Injeção: Eletrônica.
  • Suspensão dianteira: Telescópia mola helicoidal, com amortecimento hidráulico.
  • Partida: Elétrica.

Qual é o preço de uma moto automática?

As motos automáticas chamam atenção também pelo seu preço. Há muitos modelos disponíveis no mercado brasileiro na faixa de R$8.500 a R$15.000. Confira os preços das mais acessíveis nas lojas e concessionárias, em 2022:

  1. Shineray Worker 125 – R$ 8.490
  2. Honda Pop 110i – R$ 8.580
  3. Shineray Jet 125 – R$ 9.290
  4. Honda Biz 110i – R$ 10.480
  5. Honda Elite 125 – R$ 11.740
  6. Yamaha NEO 125 – R$ 11.990
  7. Honda CG 160 Start – R$ 12.280
  8. Shineray JEF 150S – R$ 12.290
  9. Haojue Nex 115 – R$ 12.993
  10. Yamaha Factor 125i UBS: R$ 13.290

Dica da Zapay: conheça motos até 5 mil reais. 

Curtiu o conteúdo e quer ficar sempre atualizado? Acompanhe nosso blog e as redes sociais:

One thought on “Melhores motos automáticas: confira a lista
  1. Faltou as Honda SH150 e SH300.
    Se colocaram a Lead que saiu de linha em 2017, acho justo citarem s da família a SH que saíram de linha em 2021 e são excelentes scooters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *