Categories:

Quais são as melhores motos para trabalhar?

Conheça as melhores motos para trabalhar, selecionamos o melhor custo-benefício para que você possa tirar dúvidas entre os modelos. Neste artigo, você terá informações relevantes para encontrar a sua moto para trabalhar. Confira!

Quais são as melhores motos para trabalhar?

O aluguel de motos para trabalho está cada vez mais comuns. A profissão de motoboy e a procura por motos econômicas para trabalhar têm aumentado muito, em especial desde a pandemia. Porém, antes de alugar moto para trabalhar é preciso ter certeza que você quer seguir essa profissão e, depois, entender qual a moto ideal para o seu bolso. Então, suba na garupa e vem com a Zapay nesse artigo sobre o assunto.

A importância da profissão de motoboy

Uma das profissões mais comuns hoje em dia, em especial nas grandes metrópoles, é a de entregador ou motoboy. E, para exercer bem as suas tarefas, eles precisam de um veículo de qualidade, além de boas condições de trabalho.  

O Pós Pandemia

Depois da chegada da pandemia, a profissão de entregador passou a se destacar ainda mais no cenário econômico, devido à grande demanda por pedidos dos mais variados tipos. Os motoboys se tornaram, de certa forma, um dos poucos pilares que sustentava nossa economia, que regredia cada vez mais devido ao necessário isolamento. Isso foi mais visível em especial nos primeiros meses, em que estava tudo fechado, com exceção dos serviços essenciais.

Por isso, a saída para muitos estabelecimentos foi fazer parte do delivery, tentando garantir que sua empresa se mantivesse funcionando mesmo sem o fluxo dos clientes presencialmente. 

É importante falar que, mesmo antes da pandemia, o delivery já estava em alta, facilitando o surgimento desse meio de entrega como solução para que as vendas não parassem. É por isso que podemos afirmar que a profissão de motoboy vai continuar muito requisitada, pois já é uma tendência consolidada.

O que não dá para acontecer nem com motoboy, nem com condutor nenhum, é ter a moto apreendida. Então, clique aqui e veja sobre o que fazer nesses casos com o artigo sobre o assunto em nosso blog. 

Dicas para sua moto

Agora que já destacamos a importância dos motoboys, é hora de destacar sua principal companheira: a moto. Por isso, é bom ficar atento a algumas coisas antes de um motoboy escolher a moto em que vai trabalhar.  

  1. A primeira delas é estar atento a documentação, e a ao DUT. Para saber mais sobre o assunto, acesse aqui e veja nosso artigo. 
  2.  Se a ideia principal é ganhar aquele dinheiro extra utilizando a moto, a primeira coisa a se fazer é escolher um modelo que seja bem econômico. Motos de baixa cilindrada, com motor que vai de 125 cc (cilindradas) até 200 cc, são mais econômicas do que modelos de 300 cc ou mais.  Modelos com motor flex também ajudam na economia, afinal, você pode escolher encher o tanque com o combustível que estiver mais barato naquele momento, ainda mais com os preços tão altos praticados pelos postos hoje em dia. 
  3.  Depois de ver como escolher uma moto econômica quando o assunto é combustível, é preciso saber também qual o custo de manutenção desse veículo, pois é um gasto que pode pesar no bolso e comprometer o orçamento. Portanto, vale conversar com pessoas que possuem motocicletas ou, principalmente, falar com algum mecânico de confiança. É bom você descobrir quanto custa as peças que são trocadas com frequência, como um kit de relação ou um pneu, por exemplo. Isso tudo vai garantir a segurança do condutor e das outras pessoas no trânsito.
  4. O óleo é o grande responsável por lubrificar as partes móveis do motor e realizar a sua limpeza dele. Por isso, é essencial trocar ele periodicamente, para prolongar o bom funcionamento do motor o máximo possível. Ficar de olho no nível do óleo é fundamental.
  5.  Se existe algo que diversos motociclistas fazem é negligenciar a importância da embreagem. Ficar apertando a embreagem sem ser necessário pode danificar o mecanismo em curto ou médio prazo. Além disso, essa prática aumenta o consumo de combustível e faz o motor durar menos.
  6. Ao andar sempre em ruas e terrenos de todos os tipos, inclusive esburacados, o motoboy precisa estar atento na hora de trocar o amortecedor. Não realizar esse procedimento pode trincar e quebrar alguns componentes da moto.
  7. A corrente deve estar lubrificada e bem ajustada aos discos. Este material é bem durável, e por isso essa resistência deve ser prolongada, caso você faça uma boa manutenção.
  8. Quem vai trabalhar com entregas precisa saber tudo antes de comprar a próxima moto, para que não haja arrependimento. Além do consumo de combustível e da manutenção, existem outros custos que devem ser levados em consideração. 

Para saber outras dicas de manutenção e prevenção, é só clicar no link. 

Vale lembrar que tributos como IPVA, Licenciamento (CRLV) e o seguro DPVAT são cobrados de qualquer motocicleta. São valores que devem ser pagos anualmente e, por isso, é preciso colocar na ponta do lápis. 

Além disso, considere ter um seguro para moto. Com ele, o seu veículo fica protegido contra roubos e furtos e será extremamente importante em caso de acidente.

Honda CG 160 Cargo

Você pode ver diversas motos da Honda nas ruas como meio de transporte para milhares de motociclistas. Porém, falando de trabalho, a marca projetou a Honda CG 160 Cargo, focada em especial para esse público com essa especial finalidade. Quando se trata de motor, a linha é mesma das anteriores. Trata-se de um monocilíndrico de 162,7 cm³ biocombustível, que rende 15,1 cv ao ser abastecida com álcool ou 14,9 cv com gasolina. 

Diferente de seus modelos anteriores, a CG 160 Cargo está mais robusta, com uma suspensão dianteira reforçada e facilidade de instalação de baús para cargas de até 20 kg.

Yamaha Factor 125

Quando o assunto é moto para trabalho, outra opção é a Yamaha Factor 125i. Seu principal diferencial está em seu bom custo e o benefício. Sua estrutura conta com rodas liga-leve, partida elétrica, painel digital informativo e autoexplicativo. Apesar o acabamento num primeiro olhar pareça simples, trata-se de um design ousado e que valoriza a moto, otimizando assim o tempo de trabalho.

Embora não seja mais tão comum, esse modelo vem com motor 125 cc. São 11 cv de potência cujo desempenho é suficiente para o tráfego na cidade. Como isso é o suficiente para a rotina de um motoboy, ao cumprir o limite máximo de velocidade, que geralmente é 80 km/h no perímetro urbano, ela é bastante econômica. Se abastecida com gasolina, chega a fazer 46km/l. Por tudo isso, é uma ótima opção para o bolso.

Honda Biz 110

A Honda Biz 110 é um sucesso de vendas, em especial por dois motivos: é fácil de pilotar e a mais barata do momento. Ela conta com um assento confortável, o painel tem hodômetro analógico, velocímetro e marcador de luzes de advertência e de combustível.

Esse modelo roda mais de 45 km por litro, tem um taque de 5,1 litros e ainda possui tomada de 12V para recarregar seu celular. Com tantos aplicativos e o GPS ligado todo tempo, esse diferencial permite que o motoboy ou entregador não perca nenhuma entrega.

Yamaha NMax 160

Bem fácil de manusear e outro sucesso das ruas, a Yamaha NMax 160 tem câmbio CVT, automático. O veículo não utiliza pedal e manete, basta acelerar e seguir viagem. Outra vantagem é não precisar se preocupar com freio e troca de marchas. Ela possui um sistema antitravamento ABS, que evita as rodas derraparem.

A Yamaha possui 15 cv de potência e chega a 120 km/h. O motor é monicilíndrico de 155 cc. Embora as rodas sejam pequenas, de 13 polegadas, o consumo da moto não é tão elevado quanto poderia ser. 

Honda NXR 160 Bros

Essa é a mais cobiçada pela categoria, porque vem equipada com suspensões de curso mais longo e possui freios a disco na frente e atrás. A roda aro 19′ na dianteira e o motor cilíndrico de bicombustível proporcionam um poder de viagem fantástico e melhor do que suas outras concorrentes.

A Bros 160 possui pneus de uso misto e ainda roda mais de 40 km/litro com muita facilidade. A máquina de duas rodas possui 836 mm de altura, e todas essas vantagens tem um preço alto: seu valor passa da casa dos R$ 12mil. 

Quais são as motos mais econômicas para trabalhar?

Honda Pop 110i

A Honda Pop 110i é considerada em muitas avaliações a moto mais barata do Brasil. O preço cobrado por ela é de R$ 7.330, sendo uma excelente escolha para quem busca custo/benefício.

Ela roda através de um motor gasolina e que tem injeção eletrônica. O motor é monocilíndrico, de 4 tempos e arrefecido a ar, tendo uma potência de 7,9 cv a 7.250 rpm e torque de 0,90 kfgm a 5.000 rpm. 

Os freios são a tambor com CBS e o câmbio conta com 4 marchas, sendo que sua partida é por pedal. O tanque tem capacidade de 4 litros e ela chega a fazer entre 55km/l e 61 km/l.

Shineray Jet 125 2x

A Shineray Jet 125 2x custa R$ 7.790 e é uma moto chinesa que chegou ao país para bater de frente com a Honda Pop. A moto também conta com ótimo custo/benefício e conta com motor monocilíndrico de 4 tempos e 123,6 cm3, capaz de atingir 6 cv a 7.500 rpm e 0,9 kgfm a 5.500 rpm.

O modelo possui 4 marchas e utiliza freio a disco. Seu tanque de combustível tem capacidade para 3 litros e a moto faz entre 38 km/l e 40 km/l.

Honda Biz 110i 

A Honda Biz 110i é um modelo um pouco mais caro que os anteriores, custando cerca de R$ 8.900A moto vem equipada com motor monocilíndrico de 109 cm3, capaz de gerar 8,33 cv a 7.250 rpm e 0,89 kgfm a 5.500 rpm. Também tem câmbio de 4 marchas e conta com partida elétrica. Seu consumo médio da Biz é de 40 km/l.

Honda Elite 125

A Elite 125 custa R$ 9.650 e pode falar que é um modelo extremamente eficiente, talvez o mais dentre os dessa lista. Ela conta com tanque de combustível de 6,4 litros e é capaz de fazer 50 km/l. Possui motor monocilíndrico de 9,34 cv a 7.500 rpm e 1,05 kgfm a 6.000 rpm. Um detalhe importante é que essa moto possui transmissão automática, além de seu bom acabamento e índice reduzido de vibração. Tudo isso acompanhado de um painel digital e farol em LED.

Yamaha Neo 125 UBS

A Yamaha Neo 125 UBS custa R$ 10.190 e utiliza um motor de 9,8 cv a 8.000 rpm e 1 kgfm a 5.500 rpm. A moto possui freio a disco na dianteira e conta com câmbio automático. O tanque de combustível da Neo 125 possui 4,5 litros e seu consumo médio é de 40 km/l. A moto em sua parte externa bem com farol em LED e um ótimo acabamento.

Haojue Nex 115

Custando R$ 10.497, a Nex 115 funciona a base de um motor com injeção eletrônica e 113 cm3. Sua potência é de 9 cv a 7.500 rpm e torque de 0,92 kgfm a 4.500 rpm. O consumo de combustível da motocicleta varia entre 35 km/l e 40 km/l.

A Nex 115 possui freio a disco na dianteira e conta ainda com um bauleto com capacidade para 26 litros. Seu tanque de combustível é de 4,2 litros.

Honda CG 160 Start

 A Honda CG 160 Start custa R$ 10.520 e possui um motor de 162,7 cm3 com injeção eletrônica e potência de 14,9 cv, com torque máximo de 1,4 kgfm a 7.000 rpm. Seu consumo médio é de 40 km/l.

A CG é uma das motos mais vendidas no Brasil, tanto para motoboys tanto para os que utilizam elas apenas para passeio. Esse sucesso ocorre devido ao seu custo-benefício, com mecânica simplificada e manutenção e preços que cabem no bolso.

Haojue Lindy 125 

A Haojue Lindy 125 custa R$ 10.992 e utiliza um motor 124 cm3, com potência de 8,4 cv e torque de 0,92 kgfm a 7.000 rpm. O câmbio da moto é automático do tipo CVT. O consumo médio da moto é de 35 km/l. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.