BR-158
Categories:

BR 158: A Rota de soja do Brasil

Você já transitou pela BR-158, amigo condutor? Conheça a importância da rodovia BR 158, o impacto na economia brasileira, as rotas estratégicas e muito mais.

– Por onde passa a BR 158 

– História e Importância da BR 158 na Malha Rodoviária Brasileira 

– Desafios e Oportunidades de Desenvolvimento ao Longo da BR 158 

– Belezas Naturais e Atrativos Turísticos às Margens da BR 158 

– Impactos Socioeconômicos e Ambientais da BR 158 no Brasil

Dica da Zapay: conheça a maior rodovia do Brasil e saiba mais sobre a sua importância.

Por onde passa a BR 158?

É importante que o amigo motorista saiba que a BR-158 diz respeito a uma rodovia longitudinal brasileira, que atravessa nosso país de Norte a Sul. Ou seja, é bastante estratégica para a logística de pessoas e objetos, sendo de suma importância para o escoamento de minérios

A BR-158 começa na cidade de Redenção, no Pará, e passa pelos estados de Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Essa rodovia termina no município de Santana do Livramento, que é uma cidade próxima da fronteira entre Brasil e Uruguai (Fronteira Brasil-Uruguai).

Região Norte

Pará

  • Altamira
  • Anapu
  • Pacajá
  • Novo Repartimento
  • Itupiranga
  • Marabá
  • Eldorado do Carajás
  • Piçarra
  • Sapucaia
  • Água Azul do Norte (entre Água Azul, Bannach e Rio Maria recebe o nome de estrada do Creone ou Rodovia de Bannach)
  • Xinguara
  • Bannach (entre Água Azul, Bannach e Rio Maria recebe o nome de estrada do Creone ou Rodovia de Bannach)
  • Rio Maria (entre Água Azul, Bannach e Rio Maria recebe o nome de estrada do Creone ou Rodovia de Bannach)
  • Redenção
  • Santa Maria das Barreiras
  • Santana do Araguaia

Região Centro-Oeste

Mato Grosso

  • Vila Rica
  • Confresa
  • Porto Alegre do Norte
  • Canabrava do Norte
  • São Félix do Araguaia
  • Bom Jesus do Araguaia
  • Ribeirão Cascalheira
  • Canarana
  • Água Boa
  • Nova Nazaré
  • Nova Xavantina
  • Barra do Garças

Goiás

  • Aragarças
  • Bom Jardim de Goiás
  • Piranhas
  • Caiapônia
  • Jataí
  • Serranópolis
  • Aporé

Mato Grosso do Sul

  • Cassilândia
  • Paranaíba (Mato Grosso do Sul)
  • Aparecida do Taboado
  • Selvíria
  • Três Lagoas
  • Brasilândia

Região Sudeste

São Paulo

  • Paulicéia
  • Panorama
  • Santa Mercedes
  • Tupi Paulista
  • Dracena
  • Presidente Venceslau
  • Marabá Paulista
  • Mirante do Paranapanema
  • Teodoro Sampaio
  • Sandovalina

Região Sul

Paraná

Noroeste Paranaense

  • Itaguajé
  • Paranapoema
  • Paranacity
  • Inajá
  • São João De Caiuá
  • Paranavaí
  • Tamboara
  • Jussara

Centro Ocidental Paranaense

  • Terra Boa
  • Engenheiro Beltrão
  • Peabiru
  • Campo Mourão
  • Luiziana
  • Roncador

Centro Sul Paranaense

  • Mato Rico
  • Palmital
  • Marquinho
  • Passo Liso
  • Laranjeiras do Sul
  • Rio Bonito de Iguaçu

Sudoeste Paranaense

  • Saudade de Iguaçu
  • Chopinzinho
  • Coronel Vivida
  • Pato Branco
  • Vitorino

Santa Catarina

  • São Lourenço do Oeste
  • Campo Erê
  • Saltinho
  • Bom Jesus do Oeste
  • Tigrinhos
  • Maravilha
  • Cunha Porã
  • Caibi
  • Palmitos

Rio Grande do Sul

Noroeste Rio-Grandense

  • Iraí
  • Frederico Westphalen
  • Seberi
  • Boa Vista das Missões
  • Jaboticaba
  • Palmeira das Missões
  • Condor
  • Panambi
  • Pejuçara
  • Cruz Alta

Centro Ocidental Rio-Grandense

  • Tupanciretã
  • Julio de Castilhos
  • Itaara
  • Santa Maria
  • Cacequi

Sudoeste Rio-Grandense

  • Rosário Do Sul
  • Sant’ana Do Livramento

Dica da Zapay: confira outras BRs, saiba quais estados elas atravessam e tire todas suas dúvidas sobre elas. 

BR-116 – Regis Bittencourt

BR- 163 – Cuiabá-Santarém

BR-230 – Transamazônica 

BR-364 – Marechal Rondon

BR-101- Rodovia Rio-Santos

 

BR 158

História e importância da BR 158 na Malha Rodoviária Brasileira 

De acordo com o planejamento original do Ministério dos Transportes, o ponto inicial da BR-158 deveria ser entre as rodovias BR-230 e PA-415, no município de Altamira (Pará). Porém, tal ligação com Altamira nunca foi construída, o que fez com que a rodovia só se iniciasse mesmo na cidade de Redenção, ao Sul paraense.

Embora a BR-158 seja conhecida por sua longa extensão (3.470 quilômetros), há determinados trechos dessa rodovia que não se conectam com o traçado original, de modo a desencadear uma série de partes interpostas com outras rodovias estaduais e federais. Se considerarmos somente os trechos oficialmente existentes, a BR-158 possui 2.973 quilômetros de extensão. 

Ainda, apesar de ser uma rodovia longitudinal federal, a BR-158 não atravessa nenhuma capital brasileira, marcando-se por uma estratégia diferente: é uma das principais rodovias do interior do Brasil, ao lado da BR-163 e a BR-364.

Vale destacar que aBR-158 é também conhecida como Corredor de Soja, que atravessa o país de Norte a Sul, passando por sete estados. Ela se inicia na cidade de Redenção (Pará) e termina no município de Santana do Livramento (Rio Grande do Sul), na fronteira do Brasil com o Uruguai. 

Há uma curiosidade quanto à aproximação com o país vizinho: no trecho que faz a fronteira com o Uruguai, a rodovia BR-158 emenda com a Ruta 5 daquele país, de modo a seguir até Montevideo. 

Já ressaltamos que a BR-158 não passe por nenhuma capital (aliás, é uma das poucas grandes rodovias que não faz esse trajeto), porém ela atravessa estados tais como: Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.  

Conheça mais sobre o Corredor de Soja no tópico a seguir.

Desafios e Oportunidades de Desenvolvimento ao Longo da BR 158 

A BR-158 é bastante estratégica para estados como o Mato Grosso, conhecidamente o maior produtor de grãos em território brasileiro. E a alcunha não é à toa: o estado é o número 1 quando o assunto é produção de soja, milho e algodão, além de ser o terceiro maior produtor de feijão e o sexto maior produtor de cana-de-açúcar. 

O estado do Mato Grosso detém ainda o maior rebanho bovino do Brasil, com mais de 30 milhões de cabeças de gado, o que significa que esse estado sozinho detém 14% da produção nacional. O que traz ainda mais peso estratégico à BR-158.

Mas nem tudo são flores, amigo condutor. Diante desse cenário, a pavimentação e a conservação da rodovia, que ainda apresenta trechos de terra (sem pavimentação), é considerada importante fator de desenvolvimento econômico, de modo a interferir nos custos no transporte e, consequentemente, no preço das mercadorias que chegam ao consumidor final. 

Por exemplo, o Vale do Araguaia, por onde passa a BR-158, é um grande polo de desenvolvimento estadual, além de ser uma região extremamente rica em biodiversidade e com papel essencial no abastecimento de água para milhões de brasileiros.

De acordo com Luiz Antônio Pagot, ex-secretário de Infra-Estrutura do Brasil, a BR-158 é um eixo estruturante, multimodal, que combina rodovia com hidrovia e ferrovia – motivos nos quais a faz ser tão importante para o desenvolvimento brasileiro.

Diante desses fatores apresentados por Pagot, ressalta-se a importância de conclusão das obras de pavimentação da BR-158, de modo a promover competitividade ao agronegócio mato-grossense, além de mais condições para que o porto de Ponta de Madeira possa ser um corredor também fundamental de exportação para outros produtos que possam ser incorporados.

 Ou seja, as boas condições da BR-158 podem trazer grandes oportunidades de retorno de frente do Nordeste. Assim, os navios que vierem de outros países poderão trazer insumos agrícolas, dentre outros produtos. Nesse contexto, cabe à rodovia BR-158 fazer a ligação com duas grandes ferrovias. 

A primeira é a de Carajás, que desde as jazidas de Carajás (no Pará) até o terminal de Ponta de Madeira, em São Luiz (Maranhão). A segunda é a Ferrovia Norte-Sul, que se localiza em Estreito (Tocantins) e desce até o estado de Goiás. 

Como se pode imaginar, a BR-158 é suma importância também ao estado do Pará, já que passa por toda a enorme região mineradora desse estado, mais precisamente pela Serra dos Carajás.

O Pará é o estado líder na produção de minério de ferro, além do destaque à bauxita, ao manganês, ao caulim, ao cobre, ao calcário, e o níquel e ao ouro. São todos minérios com alto valor comercial, o que traz grande impacto econômico e socioambiental à região. 

A China e a Malásia são os principais países que compram o minério de ferro que vem do Pará. Para se ter uma ideia, a produção de minério de ferro brasileiro foi de 410 milhões de toneladas em 2019, o segundo maior exportador global desse minério.

Ou seja, seria inimaginável esse volume de negócios sem que houvesse a logística feita pela rodovia BR-158. Assim, prova-se, mais uma vez, a importância dessa via para o desenvolvimento e para os negócios brasileiros.

Essa rodovia apresenta também relevância econômica e logística para a região Sul do Brasil, afinal, corta áreas de grandes produções no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná. É importante frisar que o Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz em território brasileiro, com 70,5% da produção total; Santa Catarina é o segundo estado nessa produção.

Por sua vez, quando o assunto é soja, os estados do Paraná e do Rio Grande do Sul estão entre os principais protagonistas do país, com cerca de 16% da produção cada – ficando atrás apenas do estado do Mato Grosso. Ainda: o Paraná é o segundo maior produtor de milho brasileiro – logo em seguida, no terceiro lugar, está o Rio Grande do Sul. 

A região Sul brasileira também é marcada pelas grandes áreas de produção de carne suína, com destaque aos três estados mencionados – Santa Catarina, por exemplo é o maior produtor de suínos do Brasil. O Oeste do Paraná é a principal região do polo transformador de grãos em proteína animal no território brasileiro. 

O Sul brasileiro destaca-se ainda pelo protagonismo na produção de leite, sendo responsável por 35,7% da produção nacional. A região é ainda fundamental na produção de cana-de-açúcar e álcool. O Brasil é o maior produtor sucroalcooleiro mundial, com 672,8 milhões de toneladas colhidas em 2018.

Belezas Naturais e Atrativos Turísticos às Margens da BR 158 

A BR-158 pode levar o amigo motorista a alguns destinos de exuberante beleza natural, além de muitos pontos turísticos. Confira algumas dicas que a Zapay separou para você:

  • Município de Barra do Garças (Mato Grosso):

A cidade oferece a beleza dos rios Araguaia e Garças, o Parque Estadual da Serra Azul e o discoporto para extraterrestres, além das trilhas de cachoeiras no parque e na Serra do Roncador. Há ainda o misticismo e o mistério em torno do desaparecimento do coronel inglês Percy Fawcet. A cidade conta com locais de hospedagem e a gastronomia regional.

  • Município de Rio Bonito do Iguaçu (Paraná):

Trata-se de um forte polo para o desenvolvimento do Turismo no território da Cantuquiriguaçu, região central do Estado do Paraná. Seus atrativos naturais estão localizados em diferentes pontos da cidade, o que é uma oportunidade para a prática de roteiros integrados pela extensa região. Algumas das opções que o município oferece são:

  1. Turismo Religioso – caminhada religiosa, visita à Santa no balneário do alagado.
  2. Turismo Ecológico – trilhas em áreas de preservação ambiental, fontes de águas termais.
  3. Turismo de Pesca – estímulo à pesca esportiva, passeios, incentivo a pescadores.
  4. Turismo de Eventos – revitalização do Parque de Exposições e organização de feiras.
  5. Turismo Gastronômico – culinária típica da região.
  6. Ecoaventura – rapel, rafiting, arborismo, treeking, escaladas.

Impactos Socioeconômicos e Ambientais da BR 158 no Brasil

Ao longo desse artigo, você pode conhecer mais sobre os impactos socioeconômicos da BR-158 em sua extensão, sendo uma estratégica rota para a circulação de pessoas e produtos, de modo a contribuir com o desenvolvimento econômico das referidas regiões e do país.

Porém, é necessário considerar também os riscos ambientais e potenciais problemas que podem ocorrer quando uma rodovia cruza uma área protegida. Alguns dos desafios são: aumento do número de incêndios, o risco de extinção de espécies, além da intensificação dos conflitos fundiários.

Desse modo, os impactos da pavimentação da BR-158 contribuem com problemas socioambientais, sobretudo impactos ambientais e sociais sobre o território Marãiwatsédé, por exemplo. Nesse cenário, portanto, faz-se necessária a avaliação constante de riscos e benefícios da rodovia a esta comunidade indígena, bem como às interferências na biodiversidade local, com problemas como desmatamento e devastação de espécies da flora e da fauna.

Cabe destacar que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Infraestrutura (MI), criada pela Lei nº 10.233/2001, apresenta, dentre suas competências a responsabilidade de regular ou supervisionar as atividades de prestação de serviços e de exploração da infraestrutura de transportes, exercidas por terceiros, com o objetivo de garantir a movimentação de pessoas e bens, em cumprimento a padrões de eficiência, segurança, conforto, regularidade, pontualidade e modicidade nas tarifas e harmonizar, preservado o interesse público, os objetivos dos usuários, das empresas concessionárias e de entidades delegadas.

Destacam-se ainda princípios da ANTT, tais como:

  • A preservação do interesse nacional e promoção do desenvolvimento econômico e social.
  • A compatibilização dos transportes com a preservação do meio ambiente, reduzindo os níveis de poluição sonora e de contaminação atmosférica, do solo e dos recursos hídricos.
  • A promoção de práticas adequadas de conservação. 
  • O uso racional dos combustíveis e de preservação do meio ambiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *