pedágios
Categories:

Pedágio aceita cartão? Descubra as formas de pagamento

A polêmica dos pedágios é uma constante na vida de motoristas brasileiros que utilizam as rodovias públicas por todo o país. Muitos são contra as cobranças realizadas durante os trechos do percurso e alguns a favor, mas o fato é que os valores e a necessidade de interromper o trajeto é sempre um incômodo.

Os pedágios são ferramentas de concessionárias privadas que ao vencerem licitações públicas, ganham o direito de administrar as rodovias. O dinheiro cobrado nas cancelas pertencem a essas concessionárias, que em contrapartida tem a obrigação de prestar serviços aos usuários, como atendimento médico de emergência, telefones para ligações de emergência e segurança ao trafegar.

Com o avanço das tecnologias e a utilização cada vez menor de dinheiro vivo pelas pessoas, a necessidade de novas formas de pagamento tornam-se cada vez mais necessárias para facilitar o processo.

Pedágio aceita cartão de crédito e débito?

Tudo depende do estado onde você está trafegando. O Projeto de Lei 4.643/2020, que atualmente tramita no Senado Federal, pretende possibilitar que o pagamento através de cartões seja aceito em todas as rodovias federais.

Enquanto o PL não torna-se oficial, as rodovias administradas por empresas privadas podem decidir se permitem ou não o pagamento com cartão. Para as que aceitarem, a utilização deve ser através do sistema NFC ( Near Fiel Communication), o famoso pagamento por aproximação, sem a necessidade de inserir o cartão e digitar a senha. A medida reduz as chances de transmissão da Covid-19.

Atualmente, além de algumas rodovias do estado de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, já utilizam o sistema. 

Formas de pagamento disponíveis no pedágio

Ainda que estejamos falando sobre a possibilidade de usar o seu cartão de crédito ou débito para passar pelos pedágios brasileiros, mas que ainda não são uma realidade em todo o país, alguns formatos mais tradicionais continuam em funcionamento.

Dinheiro 

O dinheiro vivo é certamente a forma mais convencional de pagamento, ainda que o mais cansativo. Para pagamento em dinheiro, é preciso encarar filas que podem tornar-se bastante longas, principalmente durante férias e feriados.

As concessionárias pedem sempre que o troco seja facilitado. O dinheiro trocado agiliza o andamento dos veículos, além de permitir que as empresas tenham sempre quantias pequenas para fazer a cobrança.

Cheque

Talvez você nem saiba dessa possibilidade, principalmente porque o cheque caiu muito em desuso no Brasil, mas algumas empresas ainda o aceitam como pagamento. Você também vai precisar passar pelos guichês regulares, mas vale a pena consultar o site da operadora por onde você vai passar, para garantir que será possível, caso necessário.         

Tag de pedágio

Já faz algum tempo desde que as empresas de TAGs para veículos ganharam força no Brasil. Ao contratar o serviço em duas modalidades, você aplica a TAG no para-brisa e pode passar pelo pedágio sem encarar filas. As faixas exclusivas para esses veículos ficam sempre às laterais da pista.

A primeira forma de contratação – e a mais procurada – é que você paga uma taxa mensal e tem o dispositivo sempre ativado. Além da taxa, você pagará também o valor da tarifa que utilizar. A cobrança conhecida como pré-paga, vem em faturas mensais ou no cartão de crédito.

A segunda, a pós-paga, permite que você carregue um valor específico, que será descontado apenas quando utilizar o serviço.

A cobrança é feita diretamente pelas empresas, que repassam os valores devidos às concessionárias. Vale lembrar que as TAGs não valem apenas para pedágios, mas para quaisquer outros serviços que utilizem cancelas e estacionamentos particulares, como supermercados e shoppings. Basta saber se estes lugares são conveniados à empresa de TAG que você possui.

 Boleto bancário

Ainda que bastante incomum, essa forma de pagamento pode ser aceita em algumas praças de pedágio, para aqueles momentos onde você não se preparou para pegar a estrada, e acabou parando em uma cancela.

Quando isso acontece, é possível – em algumas empresas – emitir um boleto para pagamento posterior. É importante que você saiba exatamente a data do vencimento, para que essa “segunda chance” não seja desperdiçada. Depois de expirada a data, a concessionária informa aos órgãos de trânsito responsáveis, e você então terá cometido uma infração grave, por evasão de pedágio. A multa é de R$ 195,23, mais 5 pontos na carteira de habilitação.

É possível pagar pedágio com pix?

E quanto ao PIX? Desde seu surgimento, ele já se tornou o favorito de milhões de brasileiros, tanto pela agilidade quanto pela segurança das operações.

Em 2021, a Câmara dos Deputados do Mato Grosso aprovou por unanimidade um Projeto de Lei que autoriza o pagamento através do novo sistema. O PL ainda precisa da aprovação do Governo do Estado.

No restante do país, a iniciativa ainda não aconteceu, ainda que muito se discuta sobre o assunto.

Conclusão

O pedágio é uma realidade na vida de todos os motoristas que trafegam por estradas brasileiras, então é claro que dúvidas sempre aparecem.

As mudanças nas formas de pagamento caminham, ainda que lentamente, para contribuir com o usuário e facilitar a vida das concessionárias. Concordando ou não com eles, procure se prevenir antes de viajar, facilitando a transação, independente da forma que você escolher. Isso vai tornar a sua viagem mais proveitosa, e também a das outras pessoas que compartilham as rodovias com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *